Saúde

UTIs lotadas, alta nas mortes e explosão de casos: avanço de Covid-19 deixa estados à beira do colapso na saúde

O Brasil vive seu pior momento desde o início da pandemia, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ao menos 20 capitais enfrentam dificuldades e estão quase à beira de colapso na saúde.

FOTO: Brasil de Fato

Estados brasileiros vivem situação crítica na saúde em razão do avanço da pandemia de Covid-19, com alta nos números de casos e de mortes causadas pela doença. Também estão na iminência de colapso, com Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) lotadas ou perto de ficar sem vagas.

Chegou a ser assustador e desesperador ouvir ontem, 26, em um telejornal, uma profissional de saúde lamentar que as UTI’s estão todas lotadas e um número altíssimo de pacientes estão à espera de vaga.
“Infelizmente, para liberar uma vaga na UTI, é preciso que alguém vá a óbito”, disse ela.

Em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul, Bahia e em Rondônia, autoridades alertaram, na quinta-feira (25), para o colapso nas estruturas de atendimento de saúde. Ao menos 20 capitais enfrentam dificuldades.

Também na quinta, o Brasil bateu recorde de mortes registradas em 24 horas: 1.566 pessoas – é o maior número desde a chegada da pandemia ao país, em março de 2020.

Pesquisadores da Fiocruz afirmam que o Brasil vive o seu pior momento desde que a pandemia se instalou no país, há um ano. As unidades de atendimento intensivo estão em alerta máximo em quase todos os estados e o Distrito Federal.

Estados mais comprometidos 

O presidente do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass), Carlos Lula, apontou alta ocupação hospitalar em Santa Catarina, Tocantins, Rondônia, Rio Grande do Sul, Bahia, Ceará, Paraíba, Maranhão e Sergipe. Para ele, a transferência de pacientes entre estados, em consequência da situação, está comprometida.

“A gente termina a contabilidade tendo feito o transporte de mais de 600 pacientes do Amazonas para outros estados. E mais de 60 de Rondônia. Hoje a gente já teria dificuldade bem maior de fazer esse transporte porque todo mundo está no seu limite”, afirmou o presidente do Conass.

Maranhão

No início da noite desta sexta-feira, 26, Carlos Lula, que é também é secretário de saúde do Maranhão, confirmou 1º caso da variante P1 da Covid19. Uma mulher de 35 anos, sem histórico de viagem. (reveja AQUI)

Deixe uma resposta