Política

Prefeito Eduardo Braide comemora a criação e aprovação de projetos inéditos para São Luís

Em sua página pessoal de rede social, Twitter, o novo prefeito de São Luís, Eduardo Braide, comemorou a criação aprovação do que chamou de “grandes avanços para a nossa cidade.”

É que segundo Braide, nesta segunda-feira, 11, vereadores (as), aprovaram:

– Criação da Secretaria da Pessoa com Deficiência;

– A Subprefeitura da Zona Rural;

– A Agência de Desenvolvimento Econômico e Social;

– Modernização da agora Secretaria de Inovação, Sustentabilidade e de Projetos Especiais;

– Criação do Programa “Alvará Zero”.

O Projeto de Lei que cria a Secretaria Municipal Extraordinária da Pessoa com Deficiência (SEMEPED), vai ter a finalidade de formular políticas de interesse da pessoal com deficiência, além de apoiar atividades que contribuam para a efetiva integração, garantindo a representação dessas pessoas em diversas áreas.

“Assim, começamos a fazer de São Luís, uma cidade inteligente, sustentável e humana. Vamos em frente”, finalizou o prefeito em sua postagem.

Política

Três novos / velhos nomes de volta à Assembleia Legislativa nesta segunda-feira

Com o fim das eleições municipais 2020, posse dos novos prefeitos no último dia 1º, três cadeiras ficaram disponíveis para os suplentes na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Apenas a ex suplente e agora deputada, Betel Gomes, chega como novata na Casa

É que os ex deputados estaduais, Rigo Teles (PL) – eleito prefeito na cidade balneária de Barra do Corda, Felipe dos Pneus (Republicanos) – eleito prefeito na cidade de Santa Inês e Fernando Pessoa (Solidariedade) – eleito prefeito na cidade de Tuntum, ao assumirem a nova empreitada municipal, abriram vagas para os suplentes, Socorro Waquim (MDB) – no lugar do 1º, Betel Gomes (PRTB), no lugar do 2º e Fábio Braga (Solidariedade), no lugar do 3º.

Cerimônia de posse 

A cerimônia de posse dos 3 novos deputados, que, inclusive, dois deles já passaram pela Casa, foi conduzida pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) hoje, segunda-feira (4), às 11h, no Plenário Nagib Haickel.

Socorro Waquim e Fábio Braga são veteranos no Plenário da Assembleia Legislativa. Ambos exerceram mandatos em legislaturas anteriores e, recentemente, na condição de suplentes, estiveram interinamente no exercício de mandato por conta do pedido de licença dos respectivos titulares.

Já a suplente do PRTB, Betel Gomes, assume o mandato pela primeira vez, aumentando, assim, o número de mulheres a compor a bancada feminina no Plenário da AL, ao lado das deputadas Ana do Gás (PCdoB); Andreia Rezende (DEM); Cleide Coutinho (PDT); Daniella Tema (DEM); Detinha (PR); Drª Thaiza (PP); Helena Duailibe (Solidariedade); e Mical Damasceno (PTB) e a, também, agora, Socorro Waquim.

Política

Barão de Grajaú: A vitória de Claudimê representa a força das mulheres na liderança feminina


Uma mulher no comando, à frente na administração da prefeitura de Barão de Grajaú.
Algo inédito e grandioso para os baronenses!

Claudimê foi a grande vitoriosa nas eleições municipais de 2020, mas a força mesmo é da MULHER e de todas as outras que essa vitória representa.

Muito se fala sobre liderança feminina nas organizações, nas disputas, mas, na prática, é um discurso que ainda assusta muita gente, inclusive, as próprias mulheres que, muitas vezes, têm preconceito com elas mesmas e com a gestão feminina.

Eu tive a oportunidade de conhecer pessoalmente e fazer um trabalho com a, na época, pré-candidata à Prefeitura de Barão de Grajaú, Claudimê.
Na ocasião, pudemos conversar um pouco sobre a dificuldade que ela estava tendo apenas por ser mulher e ser pretensa candidata. As acusações, os insultos e a resistência de forma vexatória era muito violenta, vindo, principalmente, em sua maioria, de comentários maldosos de homens da cidade. A falta de respeito e de humanidade assustava. Uma grande demonstração de preconceito, mesmo ela já tendo sido vice-prefeita do município.

Mas qual era o “medo” dessas pessoas? Por que o grande trabalho em desqualificar as mulheres, mesmo quando estas têm uma bagagem profissional e humanitária, às vezes, muito maior do que a de muitos homens?
É realmente apenas uma questão de gênero que pesa?

O grande problema que nós, mulheres, enfrentamos é exatamente apenas por sermos mulheres e isso é um impasse desde o início de tudo, mas que, infelizmente, não soube ser resolvido com o passar dos anos, sendo transformado num problema cultural.

Um grande exemplo de superação e modelo que se torna representatividade aconteceu no resultado das eleições do município, pois arregaçando as mangas, não parando para se justificar em cada palavra má dita, em cada ofensa, em cada ironia, Claudimê seguiu firme no que estava propondo, na força que falava no seu coração. E venceu! Eleita prefeita!

Venceu porque acreditou em si e no sonho que Deus colocou em seu coração. Venceu porque não parou para olhar apenas para quem a aplaudia ou ria de si. Venceu porque estava focada. Venceu porque tinha e tem o objetivo de fazer em Barão de Grajaú uma cidade de mais oportunidades para as mulheres, para os jovens, para os micro e grandes empresários do local, ou seja, um trabalho com o povo da cidade para o povo da cidade.

Empossada no último dia 1º, sabe os desafios que tem pela frente, mas, também, acerta quando diz que “as pessoas sempre puderam contar comigo e eu, como prefeita, vão continuar sempre contando. Eu sempre tentei resgatar a mulher baronsense; tentei abraçar a causa da mulher. Na minha gestão, a mulher poderá ter vez e voz”, foi o trecho da hoje, prefeita, Claudimê, em uma live realizada no mês de Agosto de 2019, com o tema Mulher.

Acredite em você, mulher
Já no seu 1º discurso como prefeita de Barão de Grajáu, Claudimê inaugura um novo tempo para a cidade

Aqui vai um conselho, uma dica, talvez, da, também, mulher, responsável por esse blog:

“As líderes mulheres nem sempre percebem como estão preparadas para o sucesso e o nosso potencial e habilidades são inegáveis. Contudo, há fatores que dificultam a nossa chegada ao topo de qualquer que seja o nosso alvo e a falta de autoconfiança, infelizmente, é uma delas.

Portanto, precisamos ter coragem para seguir adiante, porque, assim, vamos ser representatividade para a percepção de outras mulheres.
Mesmo que ainda soframos opressão, vamos continuar buscando formas de mudar esse realidade machista e deixar claro que o nosso lugar é onde nós quisermos”.

Por isso, o trabalho começou!