Saúde

COVID 19: governador do Piauí anuncia lockdown ‘parcial’ no Estado

As restrições começam a valer das 0h de quarta-feira e seguem até o dia 7 de março. Durante esse período, poderão funcionar apenas atividades consideradas essenciais, como, construção civil e área da saúde. Comércio, bares e restaurantes, somente funcionarão por meio do sistema delivery. Já as aulas presenciais, na rede pública e privada, além de atividades religiosas, estão proibidas de acontecer em todo o estado do Piauí.

Wellington Dias – governador do Piauí

O governador piauiense Wellington Dias (PT) anunciou, há pouco, que ficarão suspensas, até o dia 7 de março, todas as atividades presenciais no Estado, com exceção dos serviços essenciais.

A medida vem após a ocupação dos leitos de UTI chegar a mais de 90%, em decorrência de pessoas infectadas pelo novo coronavírus e, com isso, a grande chance de ocorrer colapso na rede de saúde. O governo não divulgou ainda o decreto, mas adiantou algumas medidas do “lockdown parcial” que ocorrerá com restrições semelhantes ao do ano passado.

O comércio, bares, restaurantes suspendem o atendimento presencial e os serviços só irão funcionar por delivery.

Veja o que funcionará:

– mercearias, mercadinhos, mercados, supermercados, hipermercados, padarias;
– farmácias, drogarias, produtos sanitários e de limpeza;
– lavanderias;
– postos revendedores de combustíveis, distribuidoras de gás, oficinas mecânicas e borracharias;
– lojas de conveniência e de produtos alimentícios, situadas em rodovias e BRs, na zona rural;
– hotéis, com atendimento exclusivo dos hóspedes;
– distribuidoras (exceto de bebidas alcoólicas) e transportadoras;
– serviços de segurança e vigilância;
– serviços de alimentação preparada e bebidas exclusivamente para sistema de delivery ou drive-thru;
– bancos, serviços financeiros e lotéricas;
– serviços de telecomunicação, processamento de dados, call center e imprensa;
– transportes de passageiros;
– hospitais e laboratórios;
– prestação de serviços de atividades físicas.

Ficam proibidos:

– Atividades religiosas de forma presencial – missas e cultos;

– Suspensas atividades em parques, praias e espaços que podem gerar aglomerações;

– Proibidas as realizações de festas, shows, atividades culturais e esportivas;

– Atividades presenciais em todos os órgãos públicos; e irão funcionar apenas 30% de atividades presenciais de servidores;

– Suspensas aulas presenciais; apenas remotas;

As restrições começam a valer das 0h de quarta-feira e seguem até o dia 7 de março. Durante esse período, poderão funcionar apenas atividades consideradas essenciais, como, construção civil e área da saúde. Comércio, bares e restaurantes somente funcionarão por meio do sistema delivery. Já as aulas presenciais, na rede pública e privada, além de atividades religiosas, estão proibidas de acontecer em todo o estado do Piauí.

“A situação é muito grave. Temos um problema real, em relação a mais profissionais. Não estamos encontrando profissionais para criar mais leitos. Estamos com dificuldade também para o abastecimento de remédios e insumos. Em razão disso, estamos pedindo a contribuição das pessoas. Vamos fazer um esforço muito grande para reduzir os adoecimetos e óbitos, para garantir a retomada com menos prejuízos para a própria economia”, destacou o governador Wellington Dias.

Inicialmente, as medidas seriam adotadas apenas em regiões mais atingidas, mas o Estado mudou o posicionamento após ouvir os técnicos do COE – Comitê de Operações Emergenciais.

“A medida prevalece para todo o Estado. Eu mesmo estava colocando a necessidade de ter uma posição para as quatro regiões mais afetadas, porém, o Comitê orientou e nós acatamos que todo o Piauí terá que seguir esse regramento”, anunciou o governador.

Cidade Verde

Deixe uma resposta