Entretenimento

Como surgiu o meme da dancinha “um conto de fadas e o carpinteiro” …


Fazendo uma pesquisa rápida na internet sobre a origem da música Um conto de fadas e a história que a acompanha, descobri que o hit existe há mais de 50 anos, mas, claro, ao longo desses anos, em vozes, versões e formatos diferentes. Sempre um estouro no Brasil e no mundo.

A música, em ritmo de arrocha/brega, voltou com força total na voz do cantor maranhense e imperador da seresta Elias Monkbel e ganhou repercussão no meio artístico nacional, com uma coreografia única e ímpar, fazendo maior sucesso nas redes sociais.
Um conto de fadas teve sua primeira versão nos anos 60, nos Estados Unidos – If I were a carpenter -, na voz de Tim Hardin. A faixa logo virou um clássico nos EUA, sendo regravada ao longo do tempo, por outros grandes artistas de renome.

No Brasil, em 1967, o cantor Ronnie Von, gravou a 1º versão da faixa, em português. A letra assinada por Antônio Carlos Wallace Duncan Júnior, que manteve a ideia original, de um pobre trabalhador, apaixonado por uma mulher rica.

Até a versão reggae já teve do Hit, conhecido como melô do carpinteiro, na voz de Roberto Rasta, em 2012.
E, agora, em 2021, a música segue, ainda mais viva, nos teclados aqui do Nordeste, mais precisamente, no Maranhão, por ter sido regravada pelo nascido em Lago Verde e, atualmente, residente na cidade de Bom Lugar, ambas no Estado, Elias Monkbel.

Mas, como essa música saiu de um interior maranhense e virou sucesso no Brasil inteiro?

No início deste ano, as músicas de Elias chegaram aos ouvido do pernambucano e influencer, Orlandinho “o rei do piseiro”, que faz sucesso no Instagram e ajuda a emplacar canções no Nordeste – principalmente de cantores que não têm tanta visibilidade -, com danças engraçadas, que incorporam o clima de inocência romântica e desengonçada.

Mas, ao que parece, a coreografia mais extraordinária, até para o influencer, que saltou de 300 mil seguidores para, agora, mais de 2 milhões, foi a música O Carpinteiro, na versão de Elias Monkbel.

Em tempo

No último dia 9 de Abril, o imperador da seresta Elias Monkbel lançou o clip da música O Carpinteiro, com a participação de Nattanzinho – cantor conhecido no nordeste brasileiro – e, claro, para a coreografia do clip, não poderia faltar a turma de Orlandinho.

Só no Youtube, até hoje, o clipe já passa da marca de 14 milhões de visualizações.

 

Entretenimento

Justiça libera, a partir de hoje, 19, som ao vivo e mecânico em bares e restaurantes do Estado


O tempo limite que a população chamou de “lockdown da música”, estabelecido pelo juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, proibindo festas com música ao vivo – de qualquer natureza -, som mecânico, ou, qualquer um que facilitasse a aglomeração de pessoas, durante o período que compreendeu os dias de carnaval (12 à 18 de fevereiro) -, chegou ao fim.

Em nova decisão judicial sobre a pandemia do novo coronavírus, o juiz decidiu na madrugada desta sexta-feira (19), “encerrar a vigência da decisão judicial que determinava maior restrição na realização de eventos no Maranhão, especialmente, durante o carnaval”.

De acordo com Douglas, a partir de hoje, 19 de fevereiro, volta a ficar sob responsabilidade dos 217 municípios e do Estado, fazerem valer os decretos municipais e estaduais que determinam medidas de prevenção e proteção ao avanço do coronavírus no Maranhão.
Ou seja, bares e restaurantes já podem, então, abrir com músicas, dj´s e, até bandas. Festas com até 150 pessoas voltam a ser permitidas também.

Prestação de contas com a Justiça

Quanto aos municípios que não prestaram conta à Justiça, em como estão aplicando os recursos recebidos de combate e enfrentamento ao vírus, o juiz Douglas disse que “proferi hoje outra decisão determinando o encaminhamento dessas informações ao Ministério Público do Maranhão, a fim de promover ações penais que são de sua atribuição, a esses municípios, responsabilizando-os por improbidade administrativa”.

Acrescentou ainda que o Estado, a cidade de São Luís, além de municípios como Zé Doca, Alto Alegre, Barreirinhas, entre outros, fizeram a prestação de contas, levando até a Justiça, informações passadas e atuais em como estão trabalhando para combater a doença na localidade.