Sem provas e para ter o que falar, lado frustrado da imprensa se apega a nova estratégia “culpou Marisa”

O depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sergio Moro, na tarde desta quarta-feira, 10, frustrou a imprensa brasileira, que se engajou no golpe de 2016 e pretende trabalhar para que Lula seja condenado em segunda instância e impedido de disputar as próximas eleições. Como faltaram provas, a estratégia agora é demonizar o ex-presidente, como se ele, sem escrúpulos e sem coração, tivesse atribuído a “culpa” pelo triplex à ex-primeira-dama Marisa Letícia, falecida recentemente.

É inegável que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva venceu o debate de cinco horas, na tarde de ontem, com a força tarefa da Lava Jato.

Isso ficou evidente até mesmo no Jornal Nacional e nos demais noticiários da Globo e da Globonews, os quais tiverem que, obrigatoriamente e engasgadamente (sim, eu tenho um dicionário próprio – sic) noticiar o “tipo” de provas que têm contra o ex-presidente. Documentos que o tentam incriminar, sem assinaturas e rasurados. Quem coloca “fé” nisso?

Ao querer questionar Lula com base em tais documentos, o juiz Sérgio Moro só mostrou que é mais um brinquedo usado nas mãos da imprensa que, há mais de dois anos, se lança numa cruzada para destruir o ex-presidente.

Como não surgiu nenhuma prova contra Lula no depoimento de ontem, a imprensa conhecida brasileira, assim como páginas de extrema direita no Facebook, como a do MBL, começaram a construir uma nova narrativa.

Estão tentando induzir e construir o fato de que Lula estaria atribuindo à sua falecida esposa, Marisa, a culpa por decisões acerca de fatos pelos quais está sendo acusado.

A estratégia agora é demonizar o ex-presidente, como se ele, sem escrúpulos e sem coração, tivesse atribuído a “culpa” pelo triplex à ex-primeira-dama Marisa Letícia, falecida recentemente. Essa foi a tônica das manchetes da Folha, do Estado, do Globo e de algumas postagens do MBL.

A realidade, no entanto, é que Marisa tinha uma cota de um empreendimento, que foi devolvida à OAS, porque o casal não teve interesse em se tornar proprietário do imóvel.

Ou seja: fora do terreno das provas, a imprensa tentará demonizar Lula por supostas falhas morais.

Brasil 247 – com alterações

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?