Medo ou autoritarismo: Greve dos servidores municipais é considerada ilegal pela Justiça antes mesmo de acontecer

Se já não bastasse os servidores municipais de São Luís estarem num sono profundo há décadas, quando estes resolvem acordar e pleitear os seus direitos trabalhistas e valorização profissional, não dizendo mais amém para as dezenas de patrões que já passaram pelo Poder municipal, mas, finalmente, entrando na briga contra a prefeitura de São Luís, esta, exercendo a soberania e influência do seu poderio, ‘arma’ e milhares de servidores são impedidos – antes mesmo de começar – de exercerem o direito de greve.

autoritarismo-e-democracia-no-brasil-3-638

Sim, na tarde desta terça-feira, 21, o Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos Municipais de São Luís – SINFUSP/SL recebeu uma liminar do Plantão Judiciário de 2° grau, do Tribunal de Justiça do Maranhão, que concedeu, em Ação Declaratória combinada com obrigação de fazer, em favor do município de São Luís, imediata suspensão/sustação do movimento grevista, sob pena do pagamento de multa diária, no valor de 10 mil reais.

A alegação do município de São Luís se baseia na justificativa de que os servidores, ao realizarem um Ato de Mobilização ontem, 20, na porta da Câmara Municipal, caracterizou-se como paralisação, comprometendo, assim, os trabalhos.

O SINFUSP/SL se defende e afirma que, em nenhum momento, desrespeitou ou prevaricou as preliminares do movimento paredista, informando ao Executivo Municipal, em Ofício de n°127/2016, encaminhado na tarde de segunda-feira, 20, com 72 horas de antecedência, da deflagração da greve geral dos servidores municipais de São Luís a acontecer somente na quinta-feira, 23 e que, através de sua Assessoria Jurídica, a Entidade vai recorrer da decisão, buscando a reforma desta, de modo a garantir o direito dos servidores públicos.

Indicativo de Greve

O Indicativo de Greve tinha sido aprovado pela categoria dos municipais, na tarde da última sexta-feira, 17, em Assembleia Geral, em repúdio à proposta de reajuste salarial de 2% oferecido pela Prefeitura de São Luís aos trabalhadores.

A imoralidade, pedância e resistência nas negociações por parte do Executivo Municipal com a Comissão de representantes dos servidores tem indignado os trabalhadores.

 

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?