Flávio Dino, o homem que não se comunica, apenas se trumbica!

b4a1f705-3f9d-4bf5-aafd-bea0a32e7f7b
“Fui abandonado pelo governo Flávio Dino. Estou parecendo um pedinte de 10° categoria. A população está sendo penalizada”, denunciou o prefeito de Santa Inês.

O prefeito da cidade de Santa Inês, Ribamar Alves (PSB), realizou na tarde desta terça-feira, 7, no Hotel Abbeville, coletiva com a imprensa, onde anunciou publicamente o abandono do governador Flávio Dino (PCdoB) com obras de extrema necessidade ao município, o qual é um das principais cidades do estado.

Quem não lembra que o demagogo Flávio Dino ganhou as eleições no Maranhão pregando um tal de ‘diálogos pelo Maranhão’, tarefa que já vinha realizando pelo interior do estado há quase 8 anos antes de se tornar o chefe maior?

O engraçado está bem aí no trocadilho. Flávio Dino ganhou as eleições com a tal ladainha de ‘diálogos’ – onde, claro, só dialogou para angariar votos, lideranças e a confiança de “meio mundo” de insatisfeito com o governo anterior. A verdade é que hoje, o comunista não se comunica, apenas se trumbica, como já dizia o saudoso Chacrinha!

Mas aí a minha pergunta, “mas a que mesmo se atribui o abandono de Flávio Dino à Ribamar Alves? Problema político ou pessoal”?

Bom, a resposta feita por mim ao prefeito santaineisense não pôde ser respondida pelo mesmo. Tá! É bem verdade que mesmo Ribamar tendo apoiado Flávio Dino nas eleições ao governo do estado (2014) e não tendo dado uma votação expressiva ao então candidato, pode ter gerado uma insatisfação política – quem não sabe que o gestor é rancoroso, fica sabendo agora -, mas nada que não pudesse ser resolvido com o ‘famoso diálogo’, pois segundo o prefeito, dedicação e fidelidade na campanha e nos votos teve, mas o problema foi a força do outro lado. Enfim!

“Apoio o Flávio Dino desde 2009, sempre com dedicação em todos os cantos da cidade. Por onde andei, sempre levei o nome dele como a melhor escolha que nós tínhamos para governar o Maranhão e em uma de nossas antigas conversas pedi à ele que não me virasse as costas quando, finalmente, fosse eleito. Como resposta positiva dele, ouvi que jamais ele faria isso, pois desse mal ele não sofria”, lembrou o prefeito.

Continuando a sua justificativa, Ribamar garantiu que de sua parte não houve qualquer tipo de rompimento. “Tive apenas uma conversa rápida e de calçada com Flávio Dino desde que ele assumiu e isso porque eu o abordei e falei que precisava conversar com ele. Ele me puxou rapidamente para um canto e disse para conversarmos ali mesmo. Eu me sinto abandonado. Estou sendo um pedinte de 10° categoria.”, declarou!

Perguntei também ao prefeito sobre o Hospital Regional de Santa Inês que começou a ser construído na gestão da ex-governadora Roseana Sarney e, que, inclusive, em 2014, já estava em etapas de finalização da obra para ser concluído e entregue à população. Indaguei “prefeito, se a obra já estava quase em pronta entrega, por que passados dois anos, nunca aconteceu a proeza”? Ao que Ribamar respondeu “a nossa pergunta é essa. Qual o motivo desse abandono se tem apenas pouquíssimas coisas para serem ajustadas e concluídas. A população está padecendo”.

“Já que estamos falando em obras do governo, não é apenas o hospital que está parado não. O complexo policial parou também, as escolas estaduais, o município que está construindo muro. Todas as obras do estado estão paralisadas. O Mais Asfalto nunca chegou aqui. Nós estamos sofrendo muito. Toda a população está clamando”, denunciou Ribamar Alves.

Ao final, Ribamar me disse, “Mônica, se você encontrar o Flávio Dino, pergunte à ele o porquê desse abandono”. Eu apenas ri, mas pensei, “se eu o vir, é capaz de ele me consumir só com a bufada dele”.

Enfim (de novo)!

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?