“Somos aliados, fiz todo esforço para que Flávio Dino chegasse ao Governo do Maranhão, mas fui abandonado no meio do caminho”, esclarece Ribamar Alves

Do Blog Gilberto Léda (com alterações)

Não era amizade, era cilada!
Não era amizade, era cilada!

O que o prefeito da grande cidade Santa Inês, Ribamar Alves (PSB) achava que tinha de prestígio junto ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) está se esvaindo que nem água em asfalto quente.

Conhecido como comunista que não se apega a ninguém (a não ser a Márcio Jerry), Flávio Dino tem mostrado a sua verdadeira face desde que assumiu o estado com a ajuda de muitos dos que hoje ele nem atende o telefone. O prefeito de Santa Inês é um, que mesmo não tendo dado uma votação expressiva ao “deus” Flávio na cidade em que administra, sustentou a campanha do então candidato ao governo (2014) em Santa Inês e adjacências. E sabem o que Flávio Dino faz hoje com Ribamar? Lhe vira as costas e, segundo entrevista do próprio gestor à uma rádio da capital nem mesmo os repasses obrigatórios por Lei, Flávio Dino tem repassado à cidade.

Na tarde de ontem (2), em entrevista ao programa Panorama, apresentado pelo jornalista Jorge Aragão, o prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves reclamou do tratamento que tem recebido do governo. A reclamação está geral, até da base aliada.

“Além dos recursos federais terem diminuído, temos o problema da falta de parceria com o Governo do Maranhão. Até hoje Santa Inês não recebeu nenhum recurso”, afirmou Ribamar Alves.

Alves ressente-se de haver feito esforço pela eleição de Flávio Dino e, hoje, não ter nenhuma contrapartida do Executivo.

“Somos aliados. Fiz todo esforço para que ele [Flávio Dino] chegasse ao Governo do Maranhão. Trabalhei e votei para isso, mas parece que fui abandonado no meio do caminho, pois até hoje Santa Inês não contou com o ‘Mais Asfalto’, o hospital que foi deixado 80% pronto nunca foi inaugurado, na Cultura não recebemos nada, ajuda zero e nem as transferências obrigatórias estão sendo feitas”, disse.

Ele lamentou que o tratamento dado pelo governo comunista à Prefeitura de Santa Inês não seja o mesmo da gestão passada.

“O prejuízo é muito grande para Santa Inês. A parceria funcionou bem entre o ex-prefeito Bringel e a ex-governadora Roseana, que só na Saúde foi repassado em duas parcelas R$ 17 milhões, mas agora estamos abandonados”, finalizou.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?