Chapadinha: A cidade da rodoviária fantasma

Se existir um meio pelo qual a sociedade precisa ser organizada, direcionada e administrada, esse meio chama-se política. Bom, pelo menos na teoria essas são algumas de suas funções, o que na prática, os conceitos têm sido totalmente diferentes, responsabilidade de quem tem usado a política para iludir, mentir, ludibriar e, acima de tudo, se dar bem.

Parece que em época de campanha (para cargos majoritários e proporcionais), os candidatos disputam entre si quem mente e engana melhor. E, em 2012, na cidade de Chapadinha, interior do Maranhão, a então candidata Dulcilene Belezinha (PRB), parece que levou a sorte grande com a venda de ilusões pregadas junto a um povo cansado da “taca” (e que continua nela).

7faf7e36-6b12-4234-9fbe-42c9578b78d2
Ninguém teria coragem de realizar uma necessidade fisiológica na nojeira deste banheiro

Uma das promessas da prefeita Belezinha (nome de grito de guerra conhecido na região), foi o factóide da construção de um novo Terminal Rodoviário para a cidade. Construção que até hoje os chapadinhenses esperam – como estão à espera de muitas outras conquistas -, mas que até agora não saiu do papel.

Eis ai o motivo da denúncia

Em contato comigo, moradores da cidade conhecida como a Princesa do Baixo Parnaíba, denunciam as péssimas condições estruturais e higiênicas do Terminal Rodoviário, localizado na Avenida Ataliba Vieira de Almeida, Centro. De acordo com as imagens, a Rodoviária vive condições de miséria. Quem chega ou sai da cidade até se assusta.

99c2dae6-fbd3-4a5a-a4b5-1988cb4e2136ce8a9d25-cdd2-4317-b603-5c5d52150178

Não aguentando mais as condições vergonhosas do local, denunciantes ainda me relataram que em Março de 2014, num ato de pura pirotecnia, Belezinha e sua turma, a incluir o deputado federal Cléber Verde (aquele que fala ligeirinho), em visita ao novo local, deu “início à construção do Terminal” (?). Hã? Como assim? Só se for Rodoviária fantasma, porque no terreno onde a “tal” seria construída, só impera lixo e mato.

Se as notícias de veículos de comunicação alinhados à prefeita, à época, diziam que o sonho dos moradores estava perto de ser realizado, esse sonho continua longe até hoje de ser concretizado.

A promessa seria de que a rodoviária seria construída na BR 222
FOTO: Prefeitura de Chapadinha –  A construção seria à margem da BR 222. Mas, até agora, cadê?

Foi também em Março de 2014, há exatos 2 anos, que a prefeita anunciou que tinha conseguindo, junto ao Ministério das Cidades, a aprovação do convênio de R$ 706 mil para a construção de uma nova rodoviária em conceito ‘A’ de infraestrutura e inovação em quiosques de alimentação e mais, área adaptada para acessibilidade de portadores com necessidades especiais, entre outros. Ótimo, mas e aí, cadê a beleza da rodoviária ou, pelo menos, a obrigatoriedade da satisfação sobre a “quantas” anda esse projeto? Onde estão as informações da licitação, do dinheiro, da construção e afins? O povo quer saber, Belezinha!

A rodoviária de qualquer cidade é, literalmente, a porta de entrada para o município. Mas se ao chegar em Chapadinha o que visitantes, como eu, à cidade ou até mesmo os moradores encontram é apenas sujeira e nenhuma condição que possa, minimamente, oferecer conforto, imagine com o que vão se deparar no “corpo” do município.

E os Chapadinhenses já avisam: “Aqui de Belezinha não tem nada”.

Para mais denúncias, estou à postos!

  • Leia mais AQUI e AQUI sobre o descaso com a cidade de Chapadinha, na administração da amadora política Dulcilene Belezinha.

One thought on “Chapadinha: A cidade da rodoviária fantasma

  • 23/03/2016 at 17:26
    Permalink

    Finalmente alguém criou coragem e se manifestou sobre esse descaso que está ocorrendo na minha querida cidade de Chapadinha. Parabenizo- a pela iniciativa! Espero que o povo não reeleja esta prefeita novamente.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?