Logo no carnaval: Greve dos aeroviários atrasa voos em todo o Brasil

Os funcionários pedem reajuste de 11% nos salários
Greve inclui funcionários do setor aéreo que pedem reajuste de 11% nos salários

Os passageiros que estavam com viagens marcadas para hoje (3) devem ter, além de serem pegos de surpresa, entrado em contato diretamente com as companhias aéreas contratadas para checar o status de seus voos, os quais sofreram atraso logo nas primeiras horas da manhã, entre as 6h e as 8h, devido a paralisação das atividades de aeronautas e aeroviários, em 12 aeroportos.

Os aeronautas (pilotos e comissários) e aeroviários (atendentes e funcionários de operações) dos aeroportos mais movimentados do Brasil fizeram uma paralisação em reivindicação ao reajuste de 11% nos salários, retroativos a dezembro e que não haja parcelamento no pagamento.

Ao menos 300 voos foram afetados em todo o país, o que corresponde a aproximadamente 10% do total de pousos e decolagens programadas para esta quarta-feira.

As categorias rejeitaram a proposta das empresas aéreas, que previa reajuste parcelado e não retroativo à data-base – dia 1º de dezembro. Os trabalhadores reivindicam a aplicação do reajuste de 11% nos salários e benefícios, retroativo à  data-base, que fará a recomposição das perdas inflacionárias nos salários.

O Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea), que representa as companhias TAM, Gol, Azul e Avianca, informou que apresentou seis propostas aos trabalhadores, mas todas foram recusadas. A entidade argumenta que nos últimos dez anos as companhias aéreas promoveram o reajuste dos salários pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), com índices acima da inflação, além de ganhos nas cláusulas sociais. A entidade diz que segue aberta às negociações para evitar transtornos aos passageiros.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vai monitorar os impactos da paralisação. Segundo a Anac, é dever da empresa informar aos passageiros sobre atrasos e cancelamentos de voo e o motivo, além de oferecer facilidade de comunicação para atrasos superiores a uma hora; alimentação adequada para atrasos superiores a duas horas e acomodação em local adequado, traslado e, quando necessário, serviço de hospedagem, para atrasos superiores a quatro horas.

O Tribunal Superior do Trabalho determinou que 80% dos trabalhadores do setor aéreo mantenham suas atividades a partir de amanhã e durante o período de carnaval. Em caso de descumprimento da ordem, a multa diária será de R$ 100 mil.

PROCON/MA faz alerta

O Procon/MA informa aos consumidores maranhenses que aeroviários e aeronautas anunciaram greve e paralisação das decolagens, entre 6h e 8h (horário de Brasília), desta quarta-feira (3). As paralisações irão ocorrer em 12 aeroportos nacionais, a saber: Congonhas, Guarulhos e Campinas (SP), Santos Dumont e Galeão (RJ), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Brasília (DF), Salvador (BA), Recife (PE) e Fortaleza (CE).

 Os consumidores maranhenses que têm voos agendados em quaisquer desses aeroportos devem estar cientes de que as empresas aéreas deverão obedecer às regras estabelecidas pela Resolução n° 141 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), bem como às determinações do Código de Direito do Consumidor (Lei Federal n° 8.078/90), para reembolsar ou acomodar passageiros com voos previstos para o período em que ocorrer a greve.

 As empresas aéreas deverão oferecer ao passageiro reacomodação ou reembolso integral por meio de contato via telefone, e-mail ou presencial. Em caso de reacomodação, as empresas não poderão exigir qualquer espécie de declaração do passageiro que exima a empresa de eventual responsabilidade.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?