Prefeita de Chapadinha relata tratamento diferenciado do governo a quem votou e não votou em Flávio Dino

Mas, perai …

Não era o “governador de Todos Nós” detentor ferrenho do discurso de que no seu governo não haveria distinção no tratamento de quem era ou não era base aliada?

Já dizia um conhecido ditado: “língua é boa é com batata”. E, com Flávio Dino (PCdoB) esse ditado faz jus todos os dias. Tudo o que o comunista “gritava” ao 4 cantos do estado em condenação às atitudes da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), ele tem feito, às vezes na mesma proporção, em outras oportunidades muito pior. Sim, muito pior porque ele se considera o “todo-poderoso, o que não erra, o que tem a última palavra e o que não pode ser chamado atenção. Ê falta de sorte para governantes essa nossa!

O caso mais recente foi o texto de desabafo em sua página de rede social que a prefeita do município de Chapadinha, Dulcilene Belezinha (PRB) fez, ao relatar tratamento de indiferença sofrido pelo maior gestor do estado.

No seu Facebook, Belezinha denuncia que o governador não a recebe e nem tem recebido prefeitos maranhenses que não cantaram a cartilha dele na campanha passada, 2014. A prefeita tem procurado ajuda do governo do estado para que esse intervenha na segurança da cidade que a cada dia é tomada pelos altos índices de criminalidade. Belezinha reivindica aumento no efetivo policial para o município.

“O governador não recebe prefeitos que não votou nele e a maioria dos seus secretários também não nos recebe”, relatou a prefeita.

Belezinha-Face-300x276

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?