Esse é o tipo de deputado e vice presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão que temos

Othelino-Neto
É esse tipo de gente que integra a base aliada do governo

Ele já foi ‘roseanista’, ‘castelista’ e agora chora de amores pelo atual governador do estado, Flávio Dino (PCdoB). Amor esse que fez até se juntar ainda mais ao comunista, se fazendo um dos tais.

Mas quem é esse homem que virou vice-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão e entrou em ascensão ao adquirir ‘poderes’, que, na opinião dele, pode inocentar ou justificar o injustificável e ainda se acha o ‘dono da moral’. Ô coitado!

Sim, eu estou falando é de Othelino Neto (PCdoB), o homem mais enrolado que novelo de lã e que muda de lado como quem muda de roupa. Aquele também que, segundo o blog Atual 7, responde a 22 processos na justiça e mesmo assim é 2 maior representante do legislativo maranhense.

Do Atual 7

Othelino Neto?

Uma rápida pesquisa no sistema de consultas processuais do Tribunal de Justiça do Maranhão, o JurisConsult, responde facilmente a pergunta.

FOTO: Atual 7
FOTO: Atual 7

De peripécias conhecidas pelo Ministério Público desde o ano de 2007, o deputado que tenta abafar o caso da ponte fantasma (Veja Aqui) responde a nada menos que 22 processos na Justiça, sendo a sua maioria de origem criminal, por malversação de dinheiro público, mais conhecido popularmente por roubo, corrupção, gatunagem, tendo conseguido escapar das grades apenas por força de habeas corpus preventivo, que trancou a maioria dos inquéritos policiais e das ações penais movidas pelo MP estadual.

É o caso de um dos processos, o de n.º 0039842014, onde Othelino Neto responde por formação de quadrilha ou bando; falsidade ideológica; corrupção passiva qualificada; inserção de dados falsos no sistema de informação; condescendência criminosa, omissão penalmente relevante e por crimes contra a administração ambiental. Pela extensão das provas, só este processo possui 561 folhas, 03 volumes e 03 apensos.

Nele, quem acusa o escondedor de ponte fantasma de ilícitos é a extinta Comissão de Investigação de Crimes contra o Erário Público (CICCEE), criada em 2009 pela Secretaria Estadual de Segurança Pública, para investigar a conduta de ex-secretários estaduais – atualmente plagiada pelo atual governo com o nome de Secretaria de Transparência e Controle.

Em outro, onde chegou a ter recursos negados recentemente pelo Judiciário Maranhense, Othelino Neto foi condenado por improbidade administrativa ambiental, concessão de licença sem cumprimento de formalidades legais e omissão do dever de fiscalização. Explicando em detalhes, a outra parte condenada pela Justiça por corrupção, a empresa Limp Fort, havia sido multada pela Secretaria de Meio Ambiente, então ocupada por Othelino, mas conseguiu uma redução dada pelo comunista de 90%, bem como a compensação de 10% restante do valor da multa.

O vice-presidente da Assembleia Legislativa também conseguiu escapar das grades mesmo após uma longa investigação da Polícia Civil apontá-lo como “chefe de uma organização criminosa que desviou pelo menos R$ 100 milhões” por meio da comercialização ilegal de autorizações para desmatamento por meio de “créditos virtuais”, inseridos de maneira fraudulenta em um sistema de controle (Ceprof/Sisflora).

Como se percebe, quando subiu a tribuna para tentar defender o prefeito de São Luís e esconder a ponte fantasma e o escamoteio de recursos públicos, Othelino Neto falava de algo que conhece com propriedade, e ainda complicou mais ainda a difícil situação de Edivaldo Júnior, pois como bem questionou o deputado Wellington do Curso em resposta que enquadrou Othelino sobre o destino da verba para a construção da ponte Pai Inácio: o prefeito cometeu estelionato ou ladroagem?

P.S – Mas e aí? Diante de todas essas ‘escapadas’ da justiça, o deputado ainda vai continuar zombando da Justiça? Infelizmente, esse é o parlamento que temos e a Justiça que acham que merecemos.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?