Ainda sobre a “ponte fantasma” da prefeitura de São Luís: “Mentira ou desvio de recursos”?, questiona deputado Wellington

O deputado estadual Wellington do Curso (PPS) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã de ontem, (2), para mais uma vez levar à tona e cobrar informações sobre a construção da “ponte fantasma” – Pai Inácio, anunciada no último dia 24, pela 2 vez, pela prefeitura de São Luís. Na oportunidade, o deputado também rebateu as declarações feitas pelo seu colega de parlamento Othelino Neto (PC do B), quando este saiu em defesa do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), no que diz respeito à construção da obra.

Ao se pronunciar, o parlamentar enfatizou o motivo que o levou a questionar e solicitar informações quanto à aplicação dos recursos destinados à drenagem – canalização e retificação do canal do Rio Gangan, bem como a construção da Ponte Pai Inácio.

Partindo do princípio de que o acesso à  informação é direito de todo cidadão, Wellington destacou que a população de São Luís está à espera da apresentação de documentos que confirmem como os recursos públicos foram gastos, a fim de retirar quaisquer dúvidas sobre a aplicação do dinheiro. Para o deputado, diante da declaração feita pelo prefeito, há quase dois anos,  de que iria iniciar a construção da Ponte, o gestor municipal deveria esclarecer se falseou a verdade ou se houve desvio de finalidade da verba.

IMG-20150825-WA0056
Informações do governo federal dão conta de que, desde 2014, foi destinado orçamento para obras 

“Desde a semana passada tenho solicitado informações sobre esta obra. Em momento algum eu disse que o Prefeito de São Luís era improbo. Apenas solicitei informações, o que é um direito. Mais uma vez, trago à Assembleia Legislativa a dúvida quanto a aplicação dos recursos destinados pelo Governo Federal. Primeiro, disseram que a construção da ponte não estava contemplada nos quase 8 milhões destinados à drenagem-canalização e retificação do canal do Rio Gangan; depois, que sequer havia recurso e, agora, nos deparamos com a obra sendo construída. Já que a obra está sendo construída, onde está a transparência e informações referentes ao valor da obra, processo licitatório, empresa contratada,  empenho e prazos? Se, inicialmente, não havia recurso, de onde veio, subitamente, tal verba? Se a princípio a construção da obra não estava inclusa, por que que agora está sendo construída? Em qual dessas ‘afirmativas’ o cidadão deve acreditar?  Nós somos, sim, a favor da construção da ponte que beneficiará diretamente a população dos bairros Parque Vitória e Turu e, paralelo a isso, somos a favor do respeito que é devido ao cidadão”, afirmou.

 

Mais uma placa que denuncia 2 'lançamentos para a mesma obra FOTO: Blog Hilton Franco
Mais uma placa que denuncia 2 ‘lançamentos para a mesma obra (2015)
FOTO: Blog Hilton Franco

Mas, perai ..Diante dessas duas placas para a mesma obra, eu também pergunto:
“- A obra é federal ou municipal”?

Tá, por que se for federal, pelo programa PAC – Programa de Aceleração do Crescimento -, onde estão os quase 8 milhões destinados pelo governo para a drenagem, canalização e retificação do canal do rio?

Mas em 2013 os "serviços" foram até vistoriados pela prefeitura e anunciados como federal. FOTO: Atual 7
Mas em 2013 os “serviços” foram até vistoriados pela prefeitura e anunciados como federal.
FOTO: Atual 7

Em sua fala, Wellington também salientou que as solicitações sobre os esclarecimentos representam questionamentos dos ludovicenses que esperam por informações que lhes são de direito.

“Os fatos, infelizmente, convergem para a ideia de que se o prefeito não  desviou o recurso quando disse que não existia, ele mentiu ao afirmar que iria realizar a construção da ponte Pai Inácio. Hoje, a única certeza que temos é que no dia 14 de outubro de 2013, o atual gestor de São Luís divulgou o lançamento da construção e, agora, pela segunda vez, no dia 24 de agosto de 2015, divulga tal lançamento. Mais uma vez, ressalto não uma solicitação minha, mas a representatividade dos ludovicenses que estão à espera de uma informação e que não querem acreditar no fato de que a Gestão Municipal desviou a finalidade dos recursos ou mentiu sobre a construção da ponte”, concluiu.

Se a obra, a priori, foi federal e ninguém sabe onde foi parar essa “obra”, então “atenção Polícia Federal e Ministério Público Federal”, cobrou o deputado fiscalizador Wellington.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?