Prefeita de Bom Jardim está foragida!

prefeita-ostentação

De acordo com informações da Polícia Federal, todo o Estado está sob alerta e com a vigilância reforçada em busca da prefeita do município de Bom Jardim, Lidiane Leite (PP), acusada de desviar milhões da verba pública da cidade – para a sua conta pessoal -, a qual eram destinados para investimentos na educação.

Lidiane está foragida desde ontem, 20, logo após agentes da Polícia Federal começarem a realizar mandados de buscas, apreensão e prisão de suspeitos por desvios de verbas da merenda escolar, da reforma de escolas, do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Até o momento, duas pessoas já foram presas, os ex-secretários de Agricultura, Antônio Gomes da Silva, conhecido como ‘Antônio Cesarino’, que também é presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Bom Jardim (STTR) e o de Assuntos Políticos, Humberto Dantas dos Santos, conhecido como Beto Rocha, namorado da prefeita. Os acusados já estão no Presídio de Pedrinhas.

1621

Ainda de acordo com a PF, outros ex-secretários, secretários atuais e até empresários também estão sendo alvo de investigação por causa de irregularidades encontradas em contratos firmados com “empresas-fantasmas”. Houve duas licitações para reformar 13 escolas, pelas quais a “Zabar Produções” obteve R$ 1,3 milhão e a “Ecolimp” recebeu R$ 1,8 milhão. Até agora, nenhuma das empresas foi encontrada.

“Mesmo sendo policiais federais, somos humanos e estamos absolutamente indignados porque chegou ao nosso conhecimento que as crianças estavam sendo dispensadas mais cedo das aulas por falta de alimentação”, revelou o delegado Fabrizio Garbi. (G1 Maranhão)

Em entrevista ao blog Gilberto Léda, a Polícia Federal deu mais detalhes sobre a Operação:

O delegado Ronildo Lages, chefe da Delegacia de Repressão aos Crimes Patrimoniais, explicou ontem (20), em entrevista ao Blog do Gilberto Léda como funcionava o esquema de corrupção desbaratado pela Polícia Federal em Bom Jardim, por meio do desencadeamento da Operação Éden.

Segundo ele as prisões da prefeita Lidiane Leite (PP) e dos ex-secretários Beto Rocha (Assuntos Políticos) e e Antônio Cesarino (Agricultura) foram pedidas quando as investigações apontaram desvios em um contrato de cerca de R$ 300 mil, firmado entre a Prefeitura de Bom Jardim e agricultores locais, após uma licitação realizada no ano de 2013.

O objetivo era pagar, com esse dinheiro – oriundo do Governo Federal – pela produção de agricultores de Bom Jardim. Os produtos seriam utilizados, em tese, para o fornecimento de merenda escolar, mas foram desviados.
“O então marido da prefeita, com anuência da prefeita e de um secretário, conseguiu que alguns contratos fossem assinados por pessoas humildes, sob o pretexto de que receberiam recursos para posteriormente fornecer alimentos”, explicou.
Continue lendo AQUI

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?