FERROU: Servidores estaduais da AGED/MA anunciam greve para o próximo dia 25, logo no mês da Febre Aftosa

IMG-20150512-WA0016

Servidores estaduais, fiscais da Aged – Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão e demais funcionários estão, desde ontem, 11, de luto e afirmam que ficarão assim até o próximo dia 25 – dia em que anunciam uma greve -, caso o governo do estado continue protelando em não atender as reivindicações da classe de trabalhadores, no que diz respeito à valorização da atividade de fiscalização agropecuária no Maranhão, além de pagamento do adicional de insalubridade para os fiscais do campo, o qual é um direito concedido ao trabalhador, por trabalhos que expõem a saúde.

Caso a greve seja realmente estabelecida no dia 25, todos os trabalhos de fiscalização da AGED, incluindo as Blitz, fiscalização a propriedades de risco, a matadouros, a salgadeira, lixões, rodoviárias, aeroportos, entre outros, serão suspensos. Não vai haver também fiscalizações nas barreiras fixas entre um estado e outro, do gado que entra e sai, prejudicando totalmente os nossos estados vizinhos e vice-versa.
Sem falar que vai comprometer, no geral, a campanha de febre aftosa desse ano, a qual acontece neste mês de Maio, resultando, assim, numa queda dos índices de vacinações. Acarretando grandes danos ao estado.

De acordo com o Sindicato dos Servidores da Fiscalização Agropecuária do Maranhão (SINFA), os servidores se dizem enganados pelo novo governo.

“Até agora, esperamos com boa vontade e disposição o governo para negociarmos, mas, passados os cem primeiros dias da lua de mel do governo Flávio Dino (PCdoB) vamos endurecer o diálogo em torno das nossas reivindicações”.

IMG-20150512-WA0012

É importante lembrar que ano passado, 2014, o Maranhão foi um dos estados brasileiros a receber o Certificado de Zona livre da Febre Aftosa com vacinação, na sede da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em Paris – França. Com isso, o estado virou um exportador habilitado a comercializar nossa carne e derivados mundialmente. Ou seja, isso requer muito trabalho e dedicação por parte dos servidores, que merecem uma valorização profissional. É de uma necessidade tamanha que o novo governo não desmonte um trabalho técnico que vinha sendo realizado na área de rebanhos e classificação sanitária, por puro despeito político.

Acredito que para um trabalho ser bem feito e traga grandes resultados, é de extrema valia investir no profissional da área, com qualidade, estrutura e boa remuneração.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?