Deputada Andrea Murad pega pesado tocando na ferida de Flávio Dino ao falar da morte de seu filho

AndreaMurad1 A deputada Andréa Murad (PMDB) foi de uma insensibilidade tamanha ao tentar chamar a atenção do governador Flávio Dino (PCdoB), ontem, 27, durante seu pronunciamento na sessão da Assembleia Legislativa, para a fatídica morte de 3 crianças e uma idosa, no Hospital Macrorregional de Coroatá. Ao criticar a postura do governador diante do caso, a filha do ex-secretário de saúde do estado, Ricardo Murad foi, na minha opinião, sem coração, ao levar à memória da Casa a morte prematura – vítima de grave crise de asma -, de Marcelo Dino, filho do governador, morto em 2012, no UTI do Hospital Santa Lúcia, Brasília.

“Muito me admira o governador Flávio Dino que já perdeu um filho e alega que foi por erro médico, não ter ainda se manifestado de alguma forma em relação a morte de crianças na UTI do Hospital de Coroatá, por falta de oxigênio. É inadmissível que no local não tenha uma equipe capacitada para manusear um equipamento de oxigênio. O governador não se importa com o povo, não se importa com as pessoas. Está na hora desta Casa, está na hora do deputados passarem a cobrar do governo uma atitude e posição. Não é justo que pessoas humildes paguem o preço de uma irresponsabilidade do governador”, esbravejou a deputada.

29/03/2012. Crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A. Press. Brasil. Brasília - DF. Entrevista com Deane Maria Fonseca de Castro e Costa e Flávio Dino, pais de Marcelo Dino Foseca de Castro e Costa, vítima de um possivél erro médico.

Relembrando

O triste caso de Coroatá, que poderia ser lembrado, lamentado e cobrado por Andréa, sem tanto apelo sensacionalista e insensível, chegando a beirar o ridículo, aconteceu no sábado, 18, onde, na infeliz oportunidade, 4 mortes foram registradas, segundo confirmação da Secretaria Estadual de Saúde.

A alegação de que as mortes foram resultado de falta de oxigênio é por parte do corpo de funcionários do Hospital Macrorregional de Coroatá, que contam que uma queda de energia interrompeu o fornecimento de oxigênio e, na hora, não tinha uma equipe que pudesse resolver o problema, tendo como consequência o falecimento das pessoas, entre elas crianças e idosa.

De acordo com o jornal “O Estado do Maranhão”, “a usina de oxigênio que abastece a UTI do Macrorregional de Coroatá desliga quando há queda de energia elétrica, e quando isso ocorre automaticamente, é acionado o que os técnicos chamam de “backup”, que são cilindros de reserva de oxigênio usados para atender pacientes que respiram através de aparelhos, até que o fornecimento normal seja restabelecido. Porém, naquele dia, esses cilindros estavam vazios e teria havido demora, tanto para enchê-los novamente, quanto para reativar a usina de oxigênio. Os técnicos que poderiam resolver o problema não estavam no hospital e nem atenderam ao chamado. Em decorrência dessa falha operacional e de gestão, os pacientes teriam morrido”.

P.S -Eu não sou nenhuma defensora do governador Flávio Dino, até porque não sou advogada e nem juíza, mas, pessoalmente acho que o mínimo que a parlamentar poderia fazer seria se retratar com a família Dino, independente de indiferenças políticas. Respeito é bom e todo mundo merece!

4 thoughts on “Deputada Andrea Murad pega pesado tocando na ferida de Flávio Dino ao falar da morte de seu filho

  • 30/04/2015 at 01:27
    Permalink

    Roberta esse problema de saude nesse estado é apenas a ponta da miseria.
    esqueceu que o Maranhao vive a mais de 60 anos nas maos das mesmas pessoas?

  • 30/04/2015 at 01:22
    Permalink

    O estado do Maranhão é o pior da federação,culpar esse governo com poucos meses na situação é no minimo injusto. Sabemos muito bem que toda essa desgraça que campeia essa”capitania hereditária”tem apenas um único culpado:Clã Sarney a 60 anos sugando os cofres publicos

  • 30/04/2015 at 00:30
    Permalink

    Roberta, não se chama atenção de um errado, errando junto com ele. O que eu quis dizer é que a deputada não precisava beirar a insensível para poder chamar a atenção do governador, que, pelo que parece, também não está dando muita atenção para o caso.
    Grata pela participação!

  • 29/04/2015 at 19:37
    Permalink

    Ela não falou nada de mais, só quis dizer, que como o governador já passou por esta dor tamanha, deveria dar mais atenção para o caso. o filho de pobre pode morrer em um hospital publico? se eu estivesse lá faria o mesmo.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?