Mesmo sendo anunciada a redução de 0,20 na passagem, manifestantes prometem voltar às ruas na terça-feira (07)

IMG-20150404-WA0008[1]

Nem mesmo a redução de 0,20 centavos  no preço da passagem de ônibus do Sistema Integrado – de R$ 2,80 para R$ 2,60 -, anunciada ontem (03) pela prefeitura de São Luís – depois de uma reunião com o governador Flávio Dino (PCdoB) -, foi capaz de acalmar os ânimos e jogar água fria na força e decisão de jovens estudantes e sociedade civil, no geral, de manter o movimento #contraOAumentoSLZ.

O valor que tinha ‘pulado’ de $2,40 para $2,80, por decisão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), foi completamente rejeitado pela classe trabalhadora e estudantil, a mais afetada com o aumento. Desde que este  foi anunciado, movimentos têm ido às ruas protestar contra o que chamam de “sistema de transporte falido”.

A redução de 0,20 centavos começa a valer a partir da próxima segunda-feira (6) e foi obtida depois que o governador desonerou o ICMS (imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação) cobrado sobre o óleo diesel para as empresas de ônibus.

Cientes da pequena diminuição no valor do transporte, o movimento #ContraOAumentoSLZ chama de mentirosa a nota divulgada pela prefeitura da capital, ao afirmar que “há um jogo ensaiado entre empresários e prefeitura, para calar e massacrar a população”.

A “chamada” do Movimento que conclama toda a população a se juntar ao Grande Ato, na próxima terça-feira (07), ainda diz que “a prefeitura reconhece que quem manda no setor de transporte coletivo da cidade é o empresariado do sistema (…) A população é sempre deixada de fora de um assunto que a atinge. Não podemos aceitar esse tratamento em que só nos chamam para pagar a conta”.

Para Bruno Bezerra, professor e um dos que está à frente do Movimento de Protesto, a sociedade não está sendo chamada às ruas apenas por 0,20 centavos, mas sim, por uma reforma no transporte público.

“Vamos continuar sim nas ruas e não é simplesmente pelo valor da passagem. É também sobre a situação caótica do transporte público de São Luís. Merecemos um sistema de qualidade, o qual nos garante a Lei, que diz que o sistema de transporte público precisa funcionar com qualidade, o que não vemos aqui. Vamos continuar nas ruas até a prefeitura apresentar a população um programa prático para dizer o que vai ser melhorado, quando o sistema vai ser reorganizado. Precisamos de renovação de 100% na frota e não de um cala boca de 10%. Mais da metade dos ônibus são sucateados.
Sobre o bilhete único, o que o prefeito tem a nos dizer? Aquilo ali foi estelionato eleitoral. Ele já está quase no último ano de mandato e nem fala no assunto. O sistema de transporte público é deficiente”, desabafa o organizador.

De acordo ainda com organizadores da manifestação, várias entidades e sindicatos estão contribuindo para a causa, que, segundo eles “a cada dia que passa está ganhando corpo”.

Entidades que se juntaram ao Movimento:

UNE, UBES, UJS, JPT, JPSTU, Dce’s, CA’s, escolas secundaristas e professores das Universidades UFMA e UEMA, Sindicato dos Bancários, Sindicato da Caixa Econômica.

Veja abaixo a chamada do Movimento para às ruas:

“NEM MEIO AUMENTO, NEM AUMENTO NENHUM!
Nossa luta não é por centavos: é por direitos e dignidade!

Diante da mentirosa nota da Prefeitura de São Luís anunciando “redução” no valor da passagem integrada de R$ 2,80 para R$ 2,60 (e sem mexer no aumento das demais tarifas), reafirmamos o compromisso na batalha, e conclamamos TODA A POPULAÇÃO A PERMANECER NA LUTA PELA REVOGAÇÃO TOTAL DO AUMENTO DA PASSAGEM DOS ÔNIBUS! Vamos dizer um grande “NÃO” ao jogo ensaiado entre empresários e prefeitura para calar e massacrar a população!

Na Nota, a Prefeitura acaba por reconhecer que quem manda no setor de transporte coletivo da cidade é o empresariado, ao afirmar que “conseguiu reduzir o valor proposto pelo SET”. Diz também que as negociações foram encaminhadas entre empresários e os governos municipal e estadual, apontando que a população é sempre deixada de fora de um assunto que a atinge! Não podemos aceitar esse tratamento, em que nos chamam apenas para pagar a conta! Que se abra a discussão sobre quem ganha com o sofrimento da população nos ônibus e nas paradas!

Chega desse jogo de cena entre empresários e a prefeitura conivente! Chega de mentiras, como essa “redução” de tarifa, quando o que estamos vivendo é UM VERDADEIRO ASSALTO AO BOLSO DO TRABALHADOR com mais um aumento de passagem. NÃO VAI COLAR!

Seguimos firmes contra a negação do nosso direito à informação sobre o que realmente acontece no setor de transporte público da cidade! Não vamos permitir que continuem a cercear também nosso direito de ir e vir com esses aumentos sucessivos na tarifa! TRANSPORTE É DIREITO!

Não queremos esmolas, o que exigimos é respeito! Não é por centavos, é por direitos que vêm sendo negados há décadas por todos os que passaram pela Prefeitura e se submeteram à ditadura das empresas de transporte! Governem em benefício da população, não de um setor que a explora!

Pela imediata revogação de todo e qualquer aumento: CHEGA DE MENTIRA!

TODOS ÀS RUAS NESTA TERÇA-FEIRA, DIA 7 DE ABRIL:
– GRANDE ATO com concentração a partir das 15h próximo ao antigo cinema, no bairro do Monte Castelo!

FRENTE DE LUTAS CONTRA O AUMENTO DA PASSAGEM DE ÔNIBUS EM SÃO LUIS
#ContraOAumentoSLZ”

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?