Prefeitura de São Luís comemora “entrega” de novos ônibus, enquanto alunos são espancados em manifestação

Relato da agressão que sofri ontem. Neste vídeo eu relato a ação truculenta da polícia contra mim e outros manifestantes!

Posted by Pétala Adrianne Monteiro on Quarta, 1 de abril de 2015

 Muito tem se visto e ouvido falar sobre a comemoração da prefeitura de São Luís, que afirma a entrega de 250 novos ônibus disponíveis para a população de São Luís.

Na propaganda institucional, há quem diga que as pessoas nas paradas de ônibus estão muito felizes com o maior número de ônibus (???) e que agora melhorou 100%. Hã?!

Veja o vídeo aqui: https://www.youtube.com/watch?v=eTjpGXdUARg

Essa mesma prefeitura que faz festa pela “entrega”, esqueceu-se de informar também que o preço a se pagar dessa suposta aquisição de novos ônibus, vai para a conta do usuário de transporte público e tem ido também para o “couro” – literalmente falando -, de alunos que indignados com o aumento da passagem do coletivo, ousadamente se atrevem a manifestar contra o aumento de 0,40 centavos, considerado abusivo.

O estudante Bruno Cacau contesta as declarações do vídeo institucional da prefeitura, ao dizer que o que vê nas ruas e sente na pele todos os dias, é exatamente a falta de mobilidade urbana que o prefeito Edivaldinho Júnior prometeu melhorar e, até agora, só piorou. E por isso, ele é um dos que está nas ruas.

“O povo está nas ruas porque o prefeito da capital não cumpriu, até hoje, suas promessas de campanha. A pauta principal das manifestações é o aumento absurdo e abusivo da tarifa de ônibus. Nós não aceitamos essa medida descabida, pois os coletivos, em sua maioria, encontram-se em estado precário. O prefeito da cidade virou as costas para a população para poder agradar os grandes empresários. Estamos nas ruas e nelas vamos permanecer até Holandinha voltar  atrás e cumprir com suas promessas. Nosso movimento cresce a cada dia. O prefeito tem de voltar atrás e ouvir o clamor da população”, declarou o estudante.

Entenda o caso:

No último dia 27 de Março, a prefeitura, através do secretário de Trânsito e Transportes – Canindé Barros -, anunciou um aumento de 16% nas tarifas de ônibus, em entrevista coletiva realizada na sede da SMTT, sob alegação de que os tais 16% seriam para cobrir o aumento do combustível, a manutenção dos ônibus, mão-de-obra e, óbvio, para que não houvesse paralisação.

 É aí que eu quero chegar.

Não houve paralisação, realmente, até por que, como sempre, os interesses dos grandes empresários são colocados à frente das necessidades da população e eles sempre saem ganhando.

 Por isso, inconformados com esse abuso, jovens têm sentido na pele o que é ‘meter a cara’ e ir às ruas lutar pelos seus direitos. Há 3 dias fazem protestos e manifestações em diversos pontos da cidade, sofrendo com isso as consequências de defender o seu bolso.

 Prova disso é a estudante Pétala Monteiro, que no vídeo acima, de mais de 4 minutos conta como, na noite de ontem (31), sofreu duras agressões físicas e verbais por parte dos policiais que estavam presentes, ao tentar defender os seus direitos.

IMG-20150401-WA0008[1]IMG-20150401-WA0039[1]

“Ontem fui agredida várias vezes por diversos policiais. A 1° agressão que sofri foi na subida ao Palácio dos Leões, para a frente da prefeitura. Quando fomos chegando, os policiais já tinham jogado spray de pimenta no ar (…) Nessa hora, tinha outro policial, alto e branco que ficava provocando os estudantes, chamando a gente de vagabundos e virou para mim e me chamou de piranha, de vagabunda e perguntou por que eu não estava lavando louça (…)”, conta a manifestante.

Os estudantes garantem que não vão se intimidar com as ações truculentas da polícia, com a falta de segurança que estão sofrendo em uma atitude considerada legítima e com a ausência de uma atitude da prefeitura de São Luís e do Governo do Estado.

Preços a se pagar:

O valor da tarifa cobrada nos ônibus de São Luís subiu de R$ 2,40 para R$ 2,80. As de R$ 1,90 para R$ 2,20 e R$ 1,60 para R$ 1,90. Os preços começaram a serem aplicados no último domingo (29).

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?