Para se vingar de empresa, secretário de Saúde de São Luís, Lula Filho, deixa centenas de doentes sem alimentos perecíveis

O secretário municipal de Saúde de São Luís, Luís Carlos de Assunção, mais conhecido como Lula Filho, autorizou a suspensão do abastecimento de alimentos perecíveis, como carnes e frangos, para os hospitais e demais unidades de saúde mantidas pelas sua pasta. A medida foi tomada após o rompimento unilateral do contrato com a empresa fornecedora e deixou centenas de pacientes sem ter o que comer neste fim de semana (19 e 20).

FOTO: Blog Daniel Matos

Comunicado expedido pela Semus informa que a rescisão contratual e, a, consequente suspensão do fornecimento de proteínas (carne bovina e frango) aos hospitais, se deu porque não houve entrega de alimentos às unidades de saúde municipais na última quinta-feira (17).

Trata-se, portanto, de um tipo de vingança à empresa fornecedora em razão do suposto descumprimento de termos estabelecidos em contrato.

O que, porventura, o secretário municipal de saúde deve ter esquecido é de que, primeiro ele deveria ser HUMANO, além de que, não está em sua casa para decretar quem come ou não come.
O mesmo ocupa um cargo público, é pago com o dinheiro público, a incluir, desses pacientes e está na condição de SERVIR ao público.

Empresa nega descumprimento de contrato

A empresa nega que não tenha entregue os alimentos na referida data e alega que tal afirmação não passa de um pretexto para excluí-la.

Informa, ainda, que a nova fornecedora, que começará a entregar os alimentos às unidades de saúde da Semus na próxima terça-feira (22), foi contratada sem licitação.

Solicitação da suspensão de alimentos foi feita ao secretário por e-mail
Em tempo

Em alguns hospitais, como o da Criança, no bairro Alemanha, dentre outros, os pacientes vão comer soja até até a próxima terça-feira, enquanto esperam a empresa assumir o fornecimento sem nenhuma contratação formalizada.

Blog Daniel Matos – com alterações

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?