Atendimento médico da Rede Estadual de Saúde do Maranhão vai parar, afirmam os profissionais da área

Por falta de pagamento, a paralisação ocorrerá a partir do dia 4 de Dezembro, próxima terça-feira. Atendimento de emergência e urgência vão ficar à disposição apenas até o próximo dia 7, caso não haja solução por parte do Governo do Estado.

Com salários atrasados há aproximadamente três meses, médicos que prestam serviços nas unidades de saúde
administradas pelo Governo do Maranhão decidiram, na noite da última terça-feira (27), paralisar os serviços por tempo indeterminado, a partir da próxima terça-feira, dia 4 de dezembro, em reunião dos profissionais
realizada na sede do Conselho Regional de Medicina (CRM-MA), em São Luís. Os atendimentos de emergência e urgência ficam à disposição até o dia 7 de dezembro, conforme informou Abdon Murad, presidente do CRM-MA.

– As consultas que já haviam sido marcadas só serão atendidas até segunda-feira, dia 3. Apenas para serviços de emergência e urgência, os médicos ficam disponíveis até o dia 7, após isso, se o Governo do Maranhão não tomar nenhuma providência, tudo ficará parado.
Não há condições mínimas de trabalhar, porque os atrasos no pagamento dos salários são sucessivos. Há médicos que já estão há três meses sem receber. Os profissionais não recebem a remuneração de forma adequada. Quem mais sofre com isso é a população, que fica sem os serviços básicos e essenciais de Saúde – afirmou Murad.

Informações do Jornal O Estado do Maranhão 

Em reportagem publicada no dia 1º de novembro, O Estado mostrou que os médicos haviam se reunido no dia 31 de outubro para debater o que seria feito, em decorrência da falta de pagamentos por parte do Governo do Maranhão.

Durante a Assembleia Extraordinária da categoria, um representante da Secretaria Estadual de Saúde (SES) definiu
um cronograma de pagamento, mas, conforme Abdon Murad, este não foi cumprido. “No mês de outubro, em reunião realizada pelo CRM-MA e, também, pelo Sindicato dos Médicos, sinalizamos que pararíamos as atividades médicas, caso o Governo do Maranhão não realizasse os pagamentos que estão atrasados. Um acordo foi firmado
com um representante da SES, mas não foi cumprido – concluiu Murad.

Segundo informações de O Estado, até a publicação, o Governo não retornou nenhum contato a fim de dar um posicionamento sobre a decisão dos médicos.

Nota da categoria

A reunião reuniu cerca de 180 médicos.

Participaram da reunião as instituições CRM, Sindicato dos Médicos do Maranhão, Associação dos Médicos do Maranhão. Não havia representante da Secretaria de Saúde do Estado.

Segundo o presidente do CRM-MA, cerca de 950 a mil médicos estão sem pagamento. Os que atendem no Hospital Materno Infantil de Imperatriz não recebem desde o mês de setembro.

Os médicos decidiram pela greve, a partir do dia 04/12 para atendimentos eletivos (cirurgia marcada e consultas médicas) em todo o Estado. Em São Luís, estarão sem atendimento eletivo, as UPAS, Hospitais Carlos Macieira e do Servidor.

A partir do dia 07/12, caso nada seja resolvido, a paralisação se estenderá também para os atendimentos de emergência em todo o Estado.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?