Deu e tomou: Maranhenses tomam mandatos de deputados estaduais denunciados no Conselho de Ética da Assembleia Legislativa

A população eleitora do Maranhão fez com o deputado estadual Levi Pontes (PCdoB) o que seus colegas governistas do Conselho de Ética da Assembleia Legislativa não fizeram: colocou o comunista para fora da Casa do Povo, fazendo do deputado de apenas 1 mandato, deputado bananeira.
Levi Pontes ficou conhecido no parlamento e em quase todo o estado como o ‘deputado do peixe’.

De acordo com o resultado final da votação do pleito deste ano, Levi teve apenas 16.646 votos e, por isso, não conseguiu se reeleger. Foram 2.957 votos a menos do que em 2014, quando se tornou deputado pelo Solidariedade.

Deputado ‘do peixe’
Situação eleitoreira até hoje dorme no Conselho de Ética da Assembleia Legislativa. População deu a resposta nas urnas

No ano passado, o deputado do PCdoB foi alvo de uma representação no Conselho de Ética da Casa, que pedia a cassação de seu mandato, após haver ele próprio divulgado num grupo de WhatsApp um áudio em que dá orientações sobre uma “cota” de peixes — de uma compra feita pela Prefeitura Municipal de Chapadinha, no período da Semana Santa, para distribuição para a população local — que deveria ser entregue para lideranças dele, de outras cidades de sua base eleitoral.

Entenda: Suposto áudio do deputado Levi Pontes pode complicar gestão de Magno Bacelar em Chapadinha 

– Vice prefeito de Chapadinha manda deputado “do peixe”, Levi Pontes, se defender do processo que o acusa de desviar dinheiro público

A representação, porém, acabou sendo arquivada pelo Conselho de Ética, sob a alegação de ausência de provas robustas e de que o áudio gravado e divulgado pelo próprio parlamentar seria clandestino.

Em março de 2018, Levi Pontes voltou a ser acionado no colegiado, após ser novamente flagrado em áudio, desta vez, negociando a estrutura da Secretaria de Estado da Saúde (SES) em troca de votos, exatamente para as eleições ocorridas no último domingo 7, quando saiu derrotado.

O caso, porém, passados já cinco meses da definição da subcomissão de investigação, sequer foi analisado pela Comissão de Ética da Assembleia Legislativa maranhense.

Mais dois fora

O deputado Cabo Campos (PATRIOTAS), alvo do embrandecido pedido de afastamento de suas funções por apenas dois meses após ser acusado pela própria mulher de violência doméstica, também recebeu dos eleitores maranhenses o tratamento que o Conselho de Ética não lhe deu. Com apenas 8.714 votos, ele não teve votação suficiente para conseguir permanecer na Casa.

Deputado Rogério Cafeteira e líder do governo Flávio Dino, também, não foi reeleito

O próprio presidente do Conselho, inclusive, o líder do governo Rogério Cafeteira (PSB), também encolheu em votos e não se reelegeu.

A partir de 1.º de janeiro de 2019, salvo se conseguirem algum emprego na Casa do Povo, todos eles estarão fora da Assembleia Legislativa do Maranhão.

De Atual 7 – com alterações 

Eleições 2018: Mesmo com mais de 50% de renovação na Assembleia Legislativa, Casa vai continuar inclinada às ordens do comunista Flávio Dino

No último domingo, 07, o povo brasileiro parou, ou melhor, andou e correu para exercer a sua cidadania, por meio do seu voto.

É bem verdade que muita gente se sente obrigada a votar. Outras pessoas, por pura birra e, com total descrença na política brasileira, não fizeram um pingo de questão de se deslocar aos locais de votação. Já, outros, como eu, não pôde dar a sua parcela de contribuição por estar fora do atual domicílio eleitoral.

Prova de ter sido um dia “normal” para muita gente é que, do total de 147.306.295 eleitores, 117.364.560 compareceram às urnas, número equivalente a 79,67%. Os votos válidos totalizaram 107.050.673, equivalentes a 91,21%. A abstenção alcançou 29.941.265 e representou 20,33%. O total de votos nulos foi de 7.206.205, equivalentes a 6,14%, e os votos brancos somaram 3.106.936 (2,65%). Foram apuradas 454.490 urnas, a última delas na cidade de Houston, nos EUA.

As eleições deste ano para Deputado Federal, Deputado Estadual, 2 Senadores, Governador e Presidente deixou muita gente enrolada. Filas gigantescas eram, em todo o tempo, anunciadas em redes sociais. Sem falar nas urnas eletrônicas, suspeitas de não estarem funcionando corretamente em muitos locais.

Quis fazer uma rápido geralzão do que foi o domingo de eleição; Mas, o que quero me ater mesmo é sobre o resultado das eleições no Maranhão.

Ontem conversando com uma colega, disse à ela que ainda estava me recuperando do choque de surpresas que nós, maranhenses, tivemos, confirmadas, já na mesma noite da eleição.

Uma das maiores surpresas foi o resultado de renovação na Assembleia Legislativa. Mais de 50% de renovação parlamentar e, confesso, achei bem bacana o resultado.

Nova Composição da Assembleia Legislativa a partir de 2019

– Detinha (PR)
– Duarte Júnior (PCdoB)
– Cleide Coutinho (PDT)
– Zé Gentil (PRB)
– Otelino Neto (PCdoB)
– Márcio Honaiser (PDT)
– Thaiza Hortegal (PP)
– Neto Evangelista (DEM)
– Carlinhos Florêncio (PCdoB)
– Prof. Marco Aurélio (PCdoB)
– Marcelo Tavares (PSB)
– Andréa Rezente (DEM)
– Rafael Leitoa (PDT)
– Edson Araújo (PSB)
– Ana do Gás (PCdoB)
– Adelmo Soares (PCdoB)
– Glalbert Cutrim (PDT)
– Paulo Neto (DEM)
– Daniela Tema (DEM)
– Vinícius Louro (PR)
– Yglésio Moisés (PDT)
– Hélio Soares (PR)
– Antonio Pereira (DEM)
– Ciro Neto (PP)
– Fábio Macedo (PDT)
– Ricardo Rios (PDT)
– Adriano Sarney (PV)
– Rigo Teles (PV)
– Arnaldo Melo (MDB)
– Roberto Costa (MDB)
– César Pires (PV)
– Fernando Pessoa (SD)
– Rildo Amaral (SD)
– Helena Duailibe (SD)
– Zé INácio (PT)
– Leonardo Sá (PRTB)
– Felipe dos Pneus (PRTB)
– Mical Damasceno (PTB)
– Pastor Cavalcante (PROS)
– Wendel Lages (PMN)
– Wellington do Curso (PSDB)
– Pará Figueiredo (PSL)

Plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão

Detinha, esposa do, até agora deputado estadual e, a partir de Fevereiro de 2019, deputado federal, Josimar de Maranhãozinho, foi a deputada mais votadas no Maranhão, assim como o seu esposo, para uma cadeira na Câmara Federal. Só queria entender o poder político de ambos .. Mas, tudo bem!

Duarte foi uma surpresa para mim!
Não que eu não acreditasse que ele seria eleito, até imaginava, mas sendo o 2° mais votado e disparando de votos em São Luís, essa realmente muita gente não esperava. Foi uma revelação!

Eu sempre achei que o menino Duarte tem um futuro muito promissor, ainda mais se ele não entregar o mandato dele nas mãos e nos caprichos do governador Flávio Dino, traindo a confiança do povo que lhe deu essa oportunidade. Afinal, ele, como todos os outros, foram eleitos para serem porta-vozes das necessidades da população, mas, infelizmente, a gente sabe que na prática é bem diferente.

Eu não vou falar, particularmente, de cada deputado eleito, senão a matéria viraria uma enciclopédia, mas, o importante a ser dito é que se na legislatura passada – já a chamo assim -, nunca se tinha visto uma Assembleia tão inclinada às ordens e mensagens do governador Flávio Dino, penso que a eleita não venha ser muito diferente.

Saíram uns deputados babões, cegos, propositalmente e de entendimento atrofiado aos gritos de socorro dos maranhenses e entraram outros que vão apenas ficar no lugar. Uma troca de 6 por meia dúzia, na realidade.

Não que seja isso que eu queira ou deseje, mas uma análise prévia do perfil de cada um, em como foram eleitos, com a ajuda e apoio-mor de quem e coligação.

Previamente falando, Flávio Dino ao olhar os 42 deputados eleitos, deve estar se sentindo em casa, onde não vai ter muito esforço na aprovação de seus projetos de sucateamento do bolso das famílias, empresários, trabalhadores, proprietários de veículos e afins ..

Oposição mínima

A mínima oposição diminuiu ainda mais com a saída de Andréa Murad (fiquei chocada), Edilázio (eleito deputado federal) e Sousa Neto (desistiu da campanha de reeleição).

Vamos saber, a partir de 1° de Fevereiro de 2019, quem se juntará aos deputados estaduais Wellington do Curso e Adriano Sarney, na briga pelos direitos dos maranhenses.