São Luís: Empresário Lucas Porto, que matou Mariana Costa vai a júri popular, decide Juiz

O juiz da 4ª Vara do Tribunal do Juri, José Ribamar Goulart Heluy Jr, decidiu pelo júri popular do empresário Lucas Porto no processo do assassinato da publicitária Mariana Costa, na noite do dia 13 de novembro de 2016. A decisão ocorreu em audiência de instrução realizada nesta quinta-feira (25). A data do júri apenas poderá ser determinada após esgotados todos os recursos da defesa.

A defesa do empresário informou que haverá recurso ao Tribunal de Justiça visando a despronúncia em relação ao crime de estupro porque não haveria elementos suficientes para remeter o réu ao júri. Em relação ao homicídio, a defesa de Lucas Porto disse que não há elementos suficientes de autoria e que a própria decisão aponta que não existe testemunha ocular do crime.

Mariana Costa era sobrinha-neta do ex-presidente da República José Sarney e foi encontrada morta no apartamento onde morava, no bairro Turu, em São Luís. As investigações da polícia apontaram que ela foi morta por asfixia e também foi estuprada. Na época, o empresário e cunhado de Mariana, Lucas Porto, confessou o crime.

A motivação seria uma atração que ele tinha por Mariana. Após ser preso, Lucas Porto segue na Penitenciária de Pedrinhas como preso provisório e responde pelos crimes de estupro, homicídio e feminicídio.

De acordo com a família de Mariana e a acusação, o processo tem sido protelado por conta de diversos pedidos de habeas corpus e exames de sanidade mental do acusado, feitos pela defesa. “A gente tem um assassino confesso, e a gente tem a expectativa que ele seja julgado conforme as leis”, disse Juliana Costa, irmã da vítima e ex-esposa de Lucas.

Alegação de problemas mentais

Após a prisão, nos últimos anos, Porto vinha fazendo diversos exames de avaliação psicológica a pedido da defesa, que alega que ele tem problemas mentais. A estratégia busca amenizar a pena sobre o empresário.

No entanto, durante o andamento do processo um laudo de insanidade mental de Lucas Porto apontou que ele foi “completamente responsável pelos atos que praticou (estupro e homicídio)”. O laudo foi enviado à justiça no dia 21 de fevereiro deste ano.

Lucas volta atrás e nega estupro e assassinato

Na última quarta-feira, 25, em audiência realizada no Tribunal de Justiça do Maranhão, o empresário Lucas Porto, preso pelo estupro e feminicídio da ex-cunhada Mariana Costa, voltou atrás e negou ter cometido os crimes.

Na ocasião, o juiz José Ribamar Heluy Júnior,titular da 4ª Vara do Tribunal do Juri, decidiu que o acusado irá a júri popular. A defesa de Lucas Porto poderá recorrer à decisão no TJ.

Conheça as principais falas de Jair Bolsonaro em seu pronunciamento depois de eleito presidente do Brasil

Não poderíamos mais continuar flertando com comunismo, populismo e com o extremismo da esquerda. Todos nós sabíamos para onde o Brasil estava indo. O que eu mais quero é, seguindo ensinamentos de Deus, ao lado da constituição, me inspirar em grandes líderes mundiais. E, com boa assessoria técnica, isenta de indicações políticas de praxe, começar a fazer um governo que possa colocar o nosso Brasil num lugar de destaque – Jair Bolsonaro, em fala a seus apoiadores pelo Facebook.

Após ser confirmado eleito, às 19h21 deste domingo, 28 de Outubro, em disputa de segundo turno, pela presidência do Brasil, Jair Bolsonaro fez a sua primeira aparição em uma transmissão ao vivo pelo Facebook, aos seus eleitores.

– Fizemos uma campanha não diferente dos outros, mas como deveria ser feita. Afinal de contas, a nossa bandeira, o nosso slogan, fui buscar naquilo que muitos chamam de caixa de ferramenta para consertar o homem e a mulher, que é a Bíblia Sagrada – assim Bolsonaro começou a sua fala em primeira aparição logo ser conhecido o resultado.

Como estava sendo costumeiro durante toda a campanha de segundo turno e parte do 1°, logo após receber alta do Hospital, após sofrer atentado em 6 de Setembro, na cidade de Juiz de Fora – MG, Bolsonaro, ao lado da esposa Michelle Bolsonaro e uma tradutora de libras, na live que durou pouco mais de 7 minutos, iniciou a sua fala agradecendo à Deus, à todos os profissionais da medicina envolvidos em sua recuperação e ao povo brasileiro que acreditou em sua campanha.

– Nós temos que nos acostumar a conviver com a verdade. Não existe outro caminho se quisermos a paz e a prosperidade – reafirmou o presidente eleito, Jair Bolsonaro na live.

Integrante de um partido nanico nas eleições de 2018, Jair Bolsonaro rompeu uma série de paradigmas políticos e
eleitorais. O candidato quase não contou com tempo de televisão, além disso não teve fundo partidário.

Propostas reafirmadas 

Logo após a vitória ser confirmada, Bolsonaro reiterou suas propostas para o Brasil.

Em entrevista e pronunciamento, compromissos e propostas de campanha foram reafirmados, como, diminuição de impostos, enxugamento da máquina pública e defesa do livre mercado.

– Todos compromissos assumidos serão cumpridos, nas mais variadas bancadas, com o povo em cada local do Brasil que estive presente e fazendo um pequeno aparte – afirmou.

Em seu pronunciamento, o Presidente eleito garantiu que o seu governo respeitará à Constituição e disse que liberdade é um princípio fundamental.

– Faço de vocês as minhas testemunhas, o de que esse governo será um defensor da Constituição, da Democracia e da Liberdade. Isso é uma promessa, não de um partido, mas um juramento de um homem a Deus. A verdade vai transformar esse país e a liberdade vai nos transformar em uma grande Nação – declarou.

– A liberdade é um princípio fundamental da Constituição: liberdade de ir e vir, andar nas ruas; liberdade de empreender; liberdade política; liberdade de ter opinião; liberdade religiosa; liberdade de fazer escolhas e ser respeitado por elas. Esse é um país de todos nós, brasileiros natos ou de coração. Um Brasil de diversas opiniões, cores e orientações – completou ele, fazendo referências a vários grupos.

Ainda durante o discurso, Bolsonaro priorizou a fala sobre “emprego e equilíbrio fiscal” em seu novo governo e disse que o déficit público primário precisa ser eliminado o mais rápido possível.

– Emprego, renda e equilíbrio fiscal é o nosso compromisso para ficarmos mais próximos de oportunidades e trabalho para todos. Quebraremos o ciclo vicioso do crescimento da dívida, substituindo-o pelo círculo virtuoso de menores déficits, dívidas decrescentes e juros mais baixos. Isso estimulará os investimentos, o crescimento e a consequente geração de empregos. O deficit público primário precisa ser eliminado o mais rápido possível e convertido em superávit – completou.

Bolsonaro fez o seu 1° pronunciamento em casa e ainda garantiu que será o presidente de todos os brasileiros.

O novo presidente não mencionou o seu rival político petista e nem foi mencionado no discurso do candidato derrotado Fernando Haddad.

Com diferença de 10 milhões de votos, Jair Bolsonaro deserda o PT e é eleito Presidente do Brasil

Passavam apenas alguns pouquíssimos minutos das 19h, deste domingo, 28 de Outubro, quando o resultado da Boca de Urna, na eleição para presidente do Brasil, começava a ser amplamente divulgado em rede nacional.

Obtendo vantagem de cerca de 10 milhões de votos, Jair Bolsonaro foi declarado, matematicamente, eleito às 19h21 deste domingo.

Bolsonaro foi um fenômeno eleitoral: venceu sem participar de debates e, praticamente, não fez campanha de rua, depois de sofrer um atentado em Juiz de Fora, Minas Gerais, no dia 6 de Setembro.

Jair Bolsonaro, eleito, democraticamente, presidente do Brasil

Eu, particularmente, confesso que a ansiedade por esse resultado já vinha tomando conta de mim há alguns dias. Não via a hora desse dia 28 chegar.

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) é o mais novo presidenciável a entrar para a história do Brasil como o 38° presidente do Brasil.
Com mais de 55 milhões de votos alcançados, às 19h21, o resultado de 84% das urnas apuradas já dava a vitória ao capitão reformado do Exército Brasileiro, com 55,7%  dos votos, contra 44,3% de Fernando Haddad (PT). 
Jair Bolsonaro nasceu no interior de São Paulo, no dia 21 de março de 1955.

Já anunciado como o próximo presidente da República a partir do dia 1° de Janeiro de 2019 e mantendo o seu estilo consagrado ao longo da campanha, sua primeira aparição foi em uma live – transmissão ao vivo pelo Facebook.
Durante a transmissão, o presidenciável eleito começou citando um versículo bíblico. Falou de forma serena que respeitará a Constituição e falou, também, em unir o país.

Oração de Magno Malta no pronunciamento de Jair Bolsonaro

Pronunciamento e oração

Após a fala via rede social ao seu eleitorado (foi assim que Jair B realizou, praticamente, toda a campanha do 2° turno), poucos minutos depois concedeu entrevista a uma Tv Nacional, leu o seu 1° discurso e, em atitude inédita de um presidenciável brasileiro, a Tv aberta transmitiu uma oração feita pelo Senador Magno Malta, de mãos dadas com o candidato eleito, futura primeira-dama e demais apoiadores, em reconhecimento e agradecimento à Deus pela vitória.

-O presidente de todos nós. Um presidente que ama a pátria. Um cristão verdadeiro – orou.

Que eu saiba, essa foi a primeira vez que de forma, clara, pública e notória que um presidente do país coloca Deus acima de tudo em seu pronunciamento.

Com a vitória de Bolsonaro, a partir desta segunda-feira-29, começa mais uma batalha para, de fato, unir o país e unir o dividido Congresso Nacional.

Como já era de se esperar, Bolsonaro perdeu – e feio – nas cidades do Nordeste. Cerca de 70% contra 30% do candidato do PSL.
Em compensação, ganhou em todos os outros colégios eleitorais das demais regiões.

P.S – Desejo sorte, benção de Deus, sabedoria e muito discernimento para o mais novo presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro.

Atenção população: Ônibus não vão circular em horário de pico na próxima sexta-feira, 26

Na segunda-feira (29) o transporte público da capital entrará em greve por tempo indeterminado.
Paralisação de advertência está precista para acontecer na próxima sexta-feira, 26.
Decisão ocorreu em assembleia dos rodoviários realizada nesta quarta-feira (24).

Rodoviários de São Luís decidiram que nesta sexta-feira, dia 26, os ônibus não vão circular nos períodos de
“pico”, entre os horários de 4h às 7h e de 15 às 18h. Na segunda-feira (29) o transporte público da capital entrará em greve por tempo indeterminado. A decisão ocorreu em assembleia da categoria realizada nesta quarta-feira, dia 24.

De acordo com o sindicato da categoria, os empresários não querem ceder reajuste salarial para os rodoviários, além de retirar os cobradores e limitar direitos trabalhistas, como o plano de saúde, por exemplo.

O Sindicato dos Rodoviários já havia alertado que se não houvesse negociação, os trabalhadores não continuariam com os serviços e a população ficaria sem ônibus.

– Trabalhadores, em primeiro lugar, quero agradecer a presença de todos que foram até a Assembléia, preocupados com a defesa de nossos direitos.
Estamos confiantes que, juntos, unidos, conseguiremos atingir nossos objetivos.
Quero esclarecer a toda a população da capital, que de fato, essa é uma medida drástica, mas estamos adotando, por não restar outra alternativa, devido a resistência dos empresários. Fomos disponíveis, pacientes e nos mostramos sempre com boa vontade em negociar, mas em nada as nossas reivindicações foram atendidas. Chegou a hora de mostrarmos a nossa força.
Nosso objetivo não é causar nenhum transtorno à cidade, mas que sejamos, acima de tudo, respeitados – disse
Isaías Castelo Branco, presidente do Sindicato dos Rodoviários do MA.

Proposta dos Rodoviários

A proposta dos Rodoviários contempla toda a categoria. Os trabalhadores pedem: Reajuste salarial de 12%; aumento do ticket alimentação para 650 reais; manutenção dos demais benefícios, como planos de saúde e odontológico e ainda, a permanência da função de cobrador, evitando assim, a demissão em massa dos trabalhadores.

Já a contraproposta dos empresários é considerada um desrespeito a categoria e destaca: Congelamento de salários (sem novo reajuste); congelamento no valor do ticket alimentação (sem novo reajuste); a participação da categoria no pagamento de 50% do plano de saúde; acabar com o plano odontológico; terceirizar o pessoal da manutenção e do administrativo e o item mais grave, os patrões querem a extinção da função de cobrador, o que resultaria na demissão destes profissionais.

Ainda segundo a categoria, diante de todo esse descaso, votou e decidiu que a partir de agora, os Rodoviários já estão em Estado de Greve. Caso não ocorra nenhum avanço, os trabalhadores cruzarão os braços na sexta-feira (26), em dois períodos do dia (pela manhã nas primeiras horas e à tarde das 15h até às 18h), em uma paralisação de advertência.
Se os empresários não convocarem os diretores do Sindicato para uma nova rodada de negociação, a greve geral será deflagrada a partir de segunda-feira (29).

Cresce o número de políticos maranhenses que declaram apoio ao presidenciável Jair Bolsonoro

Logo após o resultado do 1° turno das eleições, colocando os candidatos à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) no segundo turno, alguns parlamentares maranhenses logo trataram de declarar apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro, que lidera na disputa.

Uma das primeiras a declarar apoio à Bolsonaro foi a ex-governadora Roseana Sarney, derrotada no primeiro turno, na corrida pelo Governo do Maranhão. Roseana Sarney e todo o seu grupo político declarou, no último dia 15, apoio ao presidenciável.
Ricardo Murad e Adriano Sarney, ambos da família da ex-governadora, também declararam, abertamente, apoio ao capitão reformado do Exército Brasileiro.

Outro que, ao que parece, também, aproveitou a “onda” de apoio, foi o Senador Roberto Rocha que, pessoalmente, na tarde desta terça-feira, 23, fez questão de ir até o candidato e deputado Jair Bolsonaro.

Segundo Roberto, o Encontro serviu para tratar de economia, segurança e projetos para o Maranhão.
Tratou, também, do projeto Zema – Zona de Exportação do Maranhão, que tem como objetivo transformar a economia nordestina e do centro-oeste, em um vetor de desenvolvimento.

Senador Roberto Rocha visita Jair Bolsonaro e declara apoio

O deputado federal, até Janeiro de 2019, José Reinaldo, foi outro político maranhense que oficializou apoio ao presidenciável JB.

A informação foi noticiada no dia 19 de Outubro, pela candidata do PSL ao Governo do Maranhão, Maura Jorge.

A deputada eleita Mical Damasceno calou a boca da maior parte da imprensa maranhense e, até, de alguns políticos que insistiam em afirmar que a “irmã” da Igreja Assembleia de Deus, dona de 31 mil votos maranhenses, estava ao lado de Fernando Haddad.

Para desfazer todo e qualquer mal entendido, Mical Damasceno postou, nesta terça-feira, 23, em rede social, uma imagem declarando apoio ao presidenciável com o mote “Em defesa da família”.

Tiveram alguns outros “apoios” por ocasião/momento/interesse e necessidade, mas que nem vale a pena citar aqui.
Enfim!

P.S – Uma coisa é certa: Declarar apoio é fácil e qualquer um pode declarar, a fim de ir na “onda de quem está ganhando”.

Agora, saber se Bolsonaro está sabendo dessa apoio, aceitando e levando em consideração, aí é ooooutra história.

Leia também:

– São Luís: “Apoio Bolsonaro pelo bem do Brasil”, declarou o vereador Francisco Chaguinhas em apoio ao presidenciável

De acordo com informações repassadas ao TSE, Haddad gasta mais do que arrecada e Bolsonaro tem ‘sobra’ de R$ 826 mil

A cinco dias do segundo turno das eleições, a campanha do candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, gastou mais do que arrecadou. O presidenciável recebeu R$ 32.471.866,33 e contratou R$ 32.502.258,39 em despesas, o que resulta em um saldo negativo de R$ 30.392,06. Adversário de Haddad na disputa pelo Planalto, Jair Bolsonaro (PSL) tem uma “sobra” de R$ 826.102,78. A campanha do deputado recebeu R$ 2.547.640,20 e contratou R$ 1.721.537,42.

As informações foram fornecidas pelos candidatos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ainda segundo a prestação de contas oficial, a maior parte dos gastos de Haddad foi com a produção de programas de rádio televisão ou vídeo (47,47%). Na sequência, aparecem doações financeiras a outros candidatos/partidos (15,11%), pesquisas ou testes eleitorais (8,993%), despesas com transporte ou deslocamento (8,129%) e publicidade por materiais impressos (6,748%). Por outro lado, o maior doador de verbas para a campanha do petista é a direção nacional do próprio partido, responsável por 98,33% do total recebido.

Bolsonaro também dedicou a maior fatia de seus recursos à produção de programas de rádio, televisão ou vídeo (38,34%). Em seguida, vêm serviços prestados por terceiros (21,25%), doações financeiras a outros candidatos/partidos (20,04%), criação e inclusão de páginas na internet (6,68%) e publicidade por adesivos (6,517%). O maior doador da campanha do deputado é a Aixmobil Serviços e Participações LTDA, uma empresa que faz “vaquinhas” virtuais. Dela, o candidato recebeu 84,87% de seus recursos.

Haddad, porém, não o único com deficit na campanha. Alguns candidatos derrotados no primeiro turno também gastaram mais do que arrecadaram. Foi o caso de Alvaro Dias (Podemos), que teve um saldo negativo de R$ 332.241,31; Ciro Gomes (PDT), que registrou deficit de R$ 1.450.932,41; e Geraldo Alckmin (PSDB), cujo prejuízo foi de R$ 2.824.516,12.

Correio Braziliense

Eleições 2° turno: Saiba o que acarreta OU NÃO prisão a partir de hoje, 23 de Outubro

O código eleitoral, popularmente conhecido como lei eleitoral, prevê regra que proíbe prisões no período de cinco dias antes, até dois dias depois da votação, exceto em casos de flagrante delito, sentença criminal condenatória por crime inafiançável e desrespeito a salvo-conduto.

Nenhum eleitor pode ser preso a partir desta terça-feira (23), segundo o Código Eleitoral.
De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, o objetivo da regra é a garantia do exercício do direito do voto pelo maior número possível de pessoas “sem ameaças ou pressões indevidas”.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) informa que só são possíveis as prisões em flagrante delito ou crimes que já tenham sentença criminal condenatória. As prisões podem voltar a acontecer normalmente 48 horas depois do encerramento da eleição.

Segundo o Código Eleitoral, a pessoa que for presa no período devem ser “imediatamente conduzido à presença do juiz competente que, se verificar a ilegalidade da detenção, a relaxará e promoverá a responsabilidade do coator”.

O que é “flagrante delito”

Flagrante delito é quando alguém é surpreendido cometendo um crime ou quando acabou de cometer. O Código de Processo Penal diz que se o suspeito é detido durante perseguição policial ou se é encontrado com armas ou objetos que sugiram participação em um crime recente, também é flagrante delito.

O que é “sentença criminal condenatória por crime inafiançável”

Neste caso pode ser preso aquele contra quem há sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou seja: racismo, tortura, tráfico de drogas, crimes hediondos, terrorismo e ação de grupos armados contra a ordem constitucional.

O que é desrespeito a salvo-conduto

Este caso aplica-se para a prisão de quem desobedecer salvo-conduto. O salvo conduto é uma ordem de proteção, expedida por juiz ou presidente de mesa eleitoral, para eleitor que sido vítima de violência ou ameaça em seu direito de votar. Vale para de três dias antes até dois dias depois da votação.

Segundo o TSE o salvo-conduto é uma garantia à liberdade do eleitor, para que ele não sofra nenhum tipo de intervenção ou de coação indevida nas vésperas da eleição e que, eventualmente, possa comprometer o seu comparecimento no dia da votação.

Membros das mesas receptoras e fiscais de partido

A lei eleitoral diz também, no parágrafo primeiro do artigo 236 que “os membros das mesas receptoras e os fiscais de partido, durante o exercício de suas funções, não poderão ser detidos ou presos, salvo o caso de flagrante delito; da mesma garantia gozarão os candidatos desde 15 (quinze) dias antes da eleição”.

E, mesmo com tanta dificuldade para que o suspeito consiga ir preso, a lei eleitoral prevê, no parágrafo segundo do artigo 236 que: “Ocorrendo qualquer prisão o preso será imediatamente conduzido à presença do juiz competente que, se verificar a ilegalidade da detenção, a relaxará e promoverá a responsabilidade do coator”.

Então se a sua pergunta é: “ninguém pode ir preso no período eleitoral?” A resposta é depende! Só nas possibilidades acima.

Em tempo

segundo turno eleitoral acontece em 28 de outubro deste ano, das 8h às 17h, no horário local. Os eleitores brasileiros voltarão às urnas para escolher o novo presidente do Brasil, cargo disputado entre os candidatos Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).

Flávio Dino fala da sujeira que lhe veste: Filho de ministro de Temer ganha 10 mil, como fantasma, no governo do Maranhão

O governador Flávio Dino ficou conhecido durante a campanha por culpar o presidente Michel Temer (MDB) pelos números ruins da economia do Maranhão nos últimos quatro anos. O governador, também, usa suas redes sociais constantemente para criticar o presidente.

As críticas, ao que tudo indica, não se expandem aos homens fortes da Presidência da República.
Bruno Jungmann, filho do ministro Raul Jungmann, é assessor especial no governo Flávio Dino. Mesmo não residindo em São Luís, o jovem recebe um salário de cerca de R$ 10 mil.

Raul Jungmann ficou conhecido, nacionalmente, por ser, além de ministro da Segurança Pública do governo Michel Temer, um dos grandes defensores do presidente. Jungmann foi um dos poucos ministros que decidiu não deixar o cargo para disputar mandato eletivo nas eleições de 2018.

Site do Governo do Estado atesta vínculo de Bruno Jungmann e seus vencimentos

Completamente desconhecido no Maranhão, o filho do ministro, Bruno Costa Jungmann, foi nomeado no dia 02 de abril de 2018 para o pomposo cargo de “assessor especial de apoio institucional”. O cargo é vinculado a Secretaria de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos (SECAP), atualmente coordenada pelo secretário Márcio Jerry. O assessor custa aos cofres públicos cerca de R$ 10 mil por mês. Até agora o filho do ministro de Michel Temer já recebeu do governo Flávio Dino cerca de R$ 70 mil.

Essa não é a primeira vez que Bruno Jungmann protagoniza nomeações consideradas estranhas. No ano passado uma nomeação no para um cargo comissionado no MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), de Gilberto Kassab. Até o salário era semelhante aos vencimentos recebidos no governo Flávio Dino. Cerca de R$ 10 mil.

Após a publicação da denúncia, Bruno foi exonerado do cargo.

O Estado entrou em contato com o Governo do Estado e com o próprio Bruno Jungmann para saber detalhes de sua nomeação, que tipo de serviço ele presta ao povo do Maranhão, onde trabalha e qual sua carga horária.

Até o fechamento da matéria não se obteve resposta.

As informações são do Portal Imirante

P.S – Eu, fui, pessoalmente, na rede social do referido funcionário fantasma, procurar fotos dele aqui no estado, trabalhando ou apenas à passeio, ocasião que, claro, não encontrei

Haddad em São Luís, em ato de campanha, neste domingo, 21 de Outubro

De acordo com informações em flyer e panfletos dos apoiadores do candidato à Presidência, Fernando Haddad (PT), o petista estará em São Luís, no próximo domingo, 21, no bairro Anil, às 8h30.

A vinda do petista faz parte de agenda política, promovida pelo maior entusiasta da campanha de Haddad, no Maranhão, o governador Flávio Dino (PCdoB), que declara a torto e à direito que está “mergulhado de cabeça” na campanha do aliado político.

Pesquisa Datafolha: Bolsonaro tem 59% dos votos válidos; Haddad tem 41%

Faltando apenas 10 dias para a eleição presidencial de 2° turno, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, mantém vantagem confortável sobre seu adversário político, Fernando Haddad (PT), de acordo com a pesquisa abaixo, divulgada pelo Instituto Datafolha.

BRASÍLIA – Pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (18), indica que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem 59% das intenções de votos válidos, e que o candidato Fernando Haddad (PT) tem 41%. Os dados excluem os votos nulos, brancos e indecisos.