Vídeo: Deputado Sousa Neto anuncia desistência à candidatura de reeleição

Alegando falta de apoio do grupo que apoiou durante a sua curta trajetória política, o deputado estadual Sousa Neto (PRP), genro do ex-secretário de Saúde – Ricardo Murad e cunhado da, também, deputada estadual – Andréa Murad, anunciou a sua desistência à corrida da reeleição.

“Vim para a campanha e, infelizmente, constatei que o nosso grupo, do qual participei até hoje, não está me apoiando.
Ninguém faz campanha sozinho. Eu não sou político profissional (…) Nessas condições, não vejo como levar adiante minha campanha”, desabafou em um vídeo caseiro o, ainda, deputado Sousa Neto

O deputado finalizou o vídeo declarando apoio e voto na candidata ao governo do estado, Roseana Sarney, nos senadores – Lobão e Sarney Filho, no genro e candidato à deputado federal – Ricardo Murad e, agora, na cunhada e candidata à reeleição – Andréa Murad.

Morre Roberto Elísio que estava preso por agredir a própria mãe, de 84 anos

De acordo com informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), o interno Roberto Elísio Coutinho de Freitas, de 53 anos, faleceu, ontem, segunda-feira (24), no Hospital Municipal Dr. Clementino Moura, o Socorrão 2, onde estava internado desde a noite da última sexta-feira (21).

A SEAP ainda comunicou que Roberto Elísio estava recluso em cela apropriada a internos com curso superior, na Penitenciária Regional de São Luís (PRSLZ), onde o interno teve um ‘mal-estar’, e foi verificada a necessidade de atendimento médico, procedimento este realizado prontamente pela segurança interna prisional.

PRISÃO

Bacharel em Direito, Roberto Elísio foi preso por agredir a própria mãe, idosa de 84 anos, em maio de 2017, após a veiculação de vários vídeos em que aparecia realizando agressões físicas e verbais, chegando a usar um pedaço de madeira.

Roberto estava preso na Penitenciária Regional de São Luís após ser flagrado em uma série de vídeos agredindo a própria mãe

O suspeito confessou as agressões, mas alegou problemas psíquicos que o fariam ficar fora de si. Disse também que as imagens feitas pela esposa, foram registradas para que ele tivesse consciência do que estava fazendo, já que ele não lembrava das agressões, que começaram no mesmo ano em que os vídeos vazaram (2017).

Roberto foi preso e depois condenado a 10 anos de reclusão na Penitenciária Regional de São Luís (PRSLZ) pelos crimes de tortura, apropriação indébita e por retardar a assistência à saúde da vítima. O réu também foi condenado a pagar R$ 2 milhões como efeito da condenação pelos danos causados a sua mãe.

Em tempo

O homem fez tanto mal a uma pessoa indefesa que acabou morrendo primeiro do que a vítima de suas agressões.