Em baixa e quase ninguém lembrando mais que existe, Pinto da Itamaraty desiste da corrida à Câmara Federal

Não pegou muito de surpresa a informação da desistência do ex-deputado e atual suplente de Senador, Pinto da Itamaraty (SD), dando conta de que não concorrerá mais a uma das 18 vagas para a Câmara Federal.

Segundo informações do próprio suplente, em entrevista a uma rádio da capital, Pinto afirmou que o motivo da desistência se dá em razão de um apoio irrestrito à candidatura de deputado estadual do ex-secretário estadual de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, presidente do partido o qual agora faz parte, Solidariedade. Além disso, pretende “se jogar de corpo e alma” no projeto de reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

Sem prestígio até mesmo em suas principais bases de apoio, Pinto prometeu coordenar a campanha majoritária do chefe comunista, na região metropolitana de São Luís, Baixada Maranhense e região do Munim.
Segundo ele, o seu apoio e dedicação se estenderá, também, ao candidato forçado do governo ao Senado, Weverton Rocha (PDT).

Enfim!
Só sendo!

Deputado Júnior Verde se reúne com diretores e técnicos de Institutos para buscar ampliação da regularização fundiária no Maranhão

O deputado estadual Júnior Verde (PRB) participou na última quarta-feira (15), de uma reunião técnica que teve o objetivo de buscar a ampliação da regularização fundiária no Maranhão por meio de um Termo de Cooperação.

O encontro teve a participação do diretor do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), Joseil Ferreira, do técnico do Instituto de Terras do Maranhão (Iterma), Raimundo Filho e do representante do programa Terra Legal (INCRA), Saller Trovão.

– Defendemos o trabalhador e acreditamos que a regularização fundiária ajudará a fortalecer o produtor rural do nosso estado. Esse Termo de Cooperação entre os órgãos ajudará a definir e a regularizar as terras que contribuem para o crescimento da economia no Maranhão – ressaltou deputado, que é candidato a reeleição.

O Imesc tem estudos e projetos voltados à identificação e delimitação dos limites territoriais no Maranhão. O material será utilizado na construção do Termo de Cooperação que delimitará as terras dos produtores rurais ao longo do Estado.

– O momento é muito importante porque parte da iniciativa dos três órgãos que têm interesse de fazer o perfil do assentado, não só na questão física quanto no meio social-econômico, para que esses beneficiários consigam se identificar como cidadão – destacou Joseil Ferreira, que pontuou ainda o fato de a iniciativa ser capitaneada pelo parlamentar.

Uma das frentes de trabalho de Júnior Verde, desde o início do mandato, é o fortalecimento do trabalhador rural e o candidato não tem medido esforços para que esse segmento tenha qualidade de vida.

– Vamos utilizar os trabalhos e análises feitas pelo Imesc para acelerar os processo da regularização fundiária e da obtenção dos títulos das terras no nosso estado, fazendo assim com que as famílias conquistem seus títulos mais rapidamente – garantiu Raimundo Filho durante a reunião.

O encontro contou ainda com a presença do pesquisador do Departamento de Estudos Territoriais do Imesc, Getúlio Martins; o assessor jurídico George Adriano; e o diretor de Assentamento e Desenvolvimento Rural do Iterma, Rener Santos.

– Esse encontro orquestrado pelo deputado estadual Júnior Verde é muito importante porque nos ajuda a identificar quem de fato é beneficiário dos programas do governo e contribui para a fortalecimento do identidade do trabalhador rural no nosso estado – reiterou Saller Trovão.

Com obra paralisada e ignorando decisão judicial, governador Flávio Dino abandona feira da Cidade Operária e deixa entregue à sujeira e urubus

Lideranças da Feira da Cidade Operária denunciaram o estado precário da feira da Cidade Operária e cobram do Governo do Estado o cumprimento de sentença da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, expedida desde fins de 2015, conforme ação movida pelo Ministério Público, que obrigava o governo Flávio Dino de reformar toda a infraestrutura da feira. Como não houve avanço, o caso foi novamente encaminhado, pelos feirantes, ao gabinete dos deputados estaduais que vêm auxiliando na luta dos trabalhadores.

Os feirantes afirmam que já houve a licitação (Concorrência Pública nº 007/2018 Sinfra),  desde 29 de maio deste ano, para contratação de empresa para realização da obra, mas que até agora nada foi feito.

De acordo com a decisão judicial, o Governo do Estado deveria inserir no orçamento estadual a previsão de verba necessária para a realização da reforma total da Feira da Cidade Operária. Foi estabelecido um prazo de 30 dias para que o Executivo divulgue o programa e cronograma da obra e foi fixada multa diária de R$ 2 mil em caso de descumprimento da ordem judicial.
Os problemas estruturais e administrativos da Feira da Cidade Operária foram amplamente discutidos em audiência pública realizada no dia 18 de novembro de 2015, em sessão promovida na Assembleia Legislativa pela Comissão de Assuntos Econômicos da Assembleia.
Feira da Cidade Operária dominada por urubus
Entre os pontos principais da audiência, ficou deliberado o envio de vários encaminhamentos ao poder público, solicitando providência quando a questão da segurança, em especial a conclusão da reforma do prédio do 6º Batalhão da PMMA; limpeza e saneamento básico, além da organização dos feirantes que exercem a atividade nos boxes do mercado e na parte exterior do prédio, ocupando calçadas e estacionamentos.