Governo Temer suspende, por 5 anos, abertura de novas turmas do curso de Medicina no Brasil

A medida vale tanto para escolas públicas, quanto particulares

O Ministério da Educação anunciou nesta quinta-feira (5), o congelamento de vagas de Medicina no País. A abertura de novos cursos está suspensa.

Cursos que já estão em andamento também estão proibidos de aumentar o número de vagas. A medida vale tanto para escolas públicas quanto particulares. Mesmo instituições estaduais, que, pela regra atual, têm autonomia para criação de vagas, ficarão sujeitas às regras de suspensão. O ministro da Educação, Mendonça Filho, afirmou que duas portarias serão publicadas nesta sexta-feira, 6, sobre o assunto e, numa delas, há regras específicas para vincular as instituições estaduais à proibição de abertura de vagas.

O ministro classificou a medida como uma espécie de “freio de arrumação” do setor. Repetindo um discurso feito por associações médicas, que desde a Lei dos Mais Médicos lutam contra a ampliação de vagas na área.

Mendonça afirmou que em 15 anos o número de escolas de Medicina dobrou no País. “Essa é uma parada necessária para que assegurar que todos os cursos tenham a qualidade necessária”, disse.

 A medida, no entanto, vale para todos os cursos, mesmo para aqueles que estão muito bem avaliados. Pesquisas sobre distribuição de médicos indicam haver, ainda no País, bolsões onde a oferta de profissionais é muito precária.

Questionado se a suspensão de abertura de vagas não dificultaria ainda mais o provimento de postos médicos nesses locais, Mendonça afirmou: “A demanda será atendida com os cursos já criados. A abertura de postos já superou a demanda”, disse. Atualmente, há 302 cursos de Medicina no Brasil.Mendonça já havia anunciado a decisão de fazer uma moratória para abertura de cursos de Medicina no fim do ano passado. Como ele havia dito na ocasião, a suspensão de vagas tem duas exceções: cursos de Medicina já autorizados para funcionar em dois editais formulados pelo MEC (no total de 67) vão poder expandir as vagas e cursos federais que já estão em processo de implantação.

Além da moratória, Mendonça anunciou a criação de um grupo de trabalho encarregado de fazer a avaliação de escolas que atualmente estão em funcionamento. A comissão será integrada por representantes do ministério, entidades médicas e professores. “Nosso zelo é com a formação do médico. Ele não é um profissional como outro qualquer. Um profissional malformado compromete vidas humanas”, afirmou.

Desde a Lei dos Mais Médicos, a abertura cursos de Medicina por instituições particulares é regulada de forma rígida pelo MEC. As propostas têm de obedecer critérios estabelecidos pelo ministério e apresentadas em locais considerados com maior demanda. Quando foi perguntado se a moratória era um sinal de que o sistema proposto pelo próprio MEC não havia funcionado de forma adequada, Mendonça foi evasivo.

O acompanhamento dos cursos por esse comitê de avaliação será feito por meio de visitas nos centros, análise das condições de infraestrutura e de hospitais e centros de apoio.

Rapidonoar

O grande acordo nacional: Cármen Lúcia, que salvou Aécio e tomou chá com Temer, condena Lula

Quando Cármen Lúcia decidiu pautar o habeas corpus de Lula já sabia o resultado.
Fachin liberou o processo tabelado com a presidenta. Sabia como Rosa Weber votaria.
Quem tem o poder só marca o dia da batalha se tiver certeza da vitória!

A decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), de negar na madrugada desta quinta-feira (5) o habeas corpus preventivo ao ex-presidente Lula, está sendo o principal assunto de toda a mídia brasileira e estrangeira, além de rodas de conversas, do dia de hoje.

Eu não sei se me assusta tantos “disparates” que tenho lido e ouvido ou, se, fico com medo de uma sociedade tão modista, efêmera e de pseudos-entendedores de política e defensores da Nação.

Sim, porque é surreal os conceitos das pessoas acerca da decisão do STF. Muitos, na verdade, não sabem nem o que significam essas 3 letrinhas. Mas, mesmo não sabendo, estão lá feito papagaios repetindo as mesmas coisas que ouvem da grande imprensa ou até mesmo do vizinho ou amigo que, também, escutou de uma outra pessoa. Enfim! É uma cadeia de informações rasas e sem consciência.

Outros, mais entendidos, que já vi e li se manifestando acerca do assunto, muitos deles, é em total defesa de suas ideologias, de seus partidos, de seus ideais e interesses. Cada um por si e Deus por todos!
É assim que “a coisa” tem funcionado.

Mais um triste capítulo na história do país. A marcha da insanidade seguirá destruindo a nação.

Eu não falo baseada totalmente em uma defesa cega a favor do ex-eterno-presidente Lula. Eu falo do triste capítulo de uma “vitória” que não é para os brasileiros, como esses iludidos estão achando.

As pessoas têm crido que a corrupção acaba a partir do momento em que Lula estiver atrás das grandes. Ledo engano!

Ontem li a seguinte frase em um comentário de uma foto de um deputado daqui do Maranhão:
“agora o Brasil está nos trilhos”. Não me contive e respondi: “trilho só se for de trem”.

Que trilho, garoto! A coisa vai muito além de prender o ex-presidente. Vai muito além de fazer impeachment contra uma presidente sem nenhuma prova concreta de corrupção e, sim, no apenas “ouvi falar”.

O Brasil não está entrando em trilho nenhum. O País não está saindo vitorioso em nada.
Vitória sim de um sistema onde quem está com o Poder e os cofres nas mãos é quem está ditando o que é o certo e o errado. Vitória maiúscula da Aliança do Coliseu, bloco liderado pela Globo com setores antinacionais da burocracia estatal. O fortalecimento da “Cruzada Salvacionista”. Um duro golpe na democracia.

Lula cai em desgraça porque toda uma oposição (que a cada dia só se fortalece) tem se rendido e se vendido aos mais tipos de preços NÃO tabelados que emana do próprio Poder.

Ao contrário do que diz a Constituição “que todo poder emana do povo”, aqui no Brasil isso não acontece há muito tempo.

É isso que as pessoas têm chamado de vitória? Uma troca de 6 por meia dúzia?
Prende uns 2 gatos pingados e deixa um Congresso um Senado e uma Justiça aqui fora como Operadores e Negociantes?

As pessoas têm chamado de vitória e se prostrado diante de uma ministra que condena um ex-presidente mediante a provas totalmente embaraçosas e “salva” um Senador do PSDB de ter o seu mandato cassado, mesmo sendo denunciado pela Procuradoria Regional da República por ser acusado – mediante a provas claríssimas e contundentes – de receber DOIS milhões como propina da JBS, a fim de atuar, com o presidente Temer, para impedir o andamento da Lava Jato.

É a essa ministra que eu vou proclamar como heroína? É esse país que está andando nos trilhos?

Os personagens só mudam. Os figurões só vão passando o bastão!
A coisa funciona hierarquicamente!

A quem interessa a Operação Lava Jato?

Às vésperas de completar quatro anos, a primeira fase da Operação Lava Jato foi lançada em 17 de março de 2014. De lá para cá, a Operação acerta, se omite e, eu diria, até seleciona.

De acordo com algumas leituras que eu fiz, a Operação Lava Jato continua enfrentando críticas por possível seletividade, porque, até hoje, nenhum político do PSDB foi preso ou condenado, apesar de a legenda figurar em quarto lugar em número de investigados.

Por coincidência, um inquérito a que respondia o senador tucano José Serra, foi arquivado por prescrição pela ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber. A investigação tratava de denúncia de caixa dois.
Rosa Weber é a mesma ministra que votou ontem para a prisão e condenação do ex-presidente Lula.

O PT, que comandou o governo de 2003 a 2016, lidera em número de políticos condenados e investigados e tem seu principal representante, o ex-presidente Lula, à beira da prisão. Porém, em comparação ao MDB, partido de Temer, apresenta o mesmo número de investigados, que só possui 16,6% de condenados.

Enfim .. A resposta desse subtítulo fica com vocês!

Na luta: Deputado Júnior Verde se une à mães de alunos e luta por reabertura de escola da rede municipal no bairro Santa Bárbara

O deputado estadual Júnior Verde (PRB) reuniu-se, na tarde desta terça-feira (3), com um grupo de mães de alunos da UEB-Castelinho, no bairro Santa Bárbara, a quem apresentou Indicação de sua autoria, já encaminhada ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior e ao secretário de Educação do município, Moacir Feitosa, no sentido de que ambos busquem alternativas para a reabertura daquela unidade de ensino, desativada desde a semana passada.

Deputado Júnior Verde se une à mães de alunos da UEB Castelinho e luta por reabertura de escola

De acordo com o grupo de mães, uma das coordenadoras da Secretaria de Educação do Município esteve na UEB Castelinho, na semana passada, para anunciar a desativação do prédio, sob o argumento de que o colégio estava funcionando com apenas 45 estudantes, número considerado insuficiente para a manutenção de uma unidade escolar.

Os alunos foram transferidos para a UEB  Enedina Santos Paixão, que, mesmo funcionando no mesmo bairro, agrega estudantes dos bairros Tajaçuaba, Vila Vitória e Vila Magril, de acordo com a dona-de-casa Lisângela Mendonça Bezerra, que é mãe de um dos estudante.

– A diretora foi transferida também para a outra escola, mas, dos 45 estudantes, apenas cinco estão frequentando as aulas na UEB Enedina Santos. Nosso objetivo é fazer com que a escola Castelinho seja reaberta, porque fica próximo às nossas residências e está com suas instalações em perfeitas condições. Por isso é que solicitamos o apoio  do deputado Júnior Verde – afirmou Leidimar Monroe Costa, outra mãe de aluno.

O conselheiro tutelar Edvaldo Oliveira da Silva, que atendeu ao convite das mães dos estudantes, relatou que somente nesta terça-feira tomou conhecimento do fechamento da escola. O deputado Júnior Verde tranquilizou a comunidade local, afirmando já haver entrado em contato com o secretário de Educação municipal.

Moacir Feitosa,  com quem terá uma audiência, juntamente com representantes de pais dos alunos, nesta quinta-feira (5), às 15h. “Acredito numa solução negociada para a reabertura do colégio. Já apresentei uma indicação e vamos dialogar com o secretário Moacir Feitosa, porque é importante a manutenção de uma unidade de ensino próximo à residência dos alunos, principalmente em área de zona rural”, afirmou o parlamentar.

Preso por quase 30 anos de forma injusta revelou como suportou a prisão: “Minha Bíblia me ensina a não odiar”

“Jesus foi processado e acusado falsamente por coisas que não fez, mas tudo o que Ele fez foi tentar amar e salvar este mundo. Ele morreu e sofreu. Se eu tiver que morrer por algo que não fiz, que assim seja. Minha vida não está nas mãos do juiz. Minha vida está nas mãos de Deus”, declarou, segundo informações da CBN News.

Condenado à morte é libertado após 30 anos preso nos EUA

O caso de Anthony Ray Hinton, atualmente com 61 anos, é de causar indignação e revolta, mas ao mesmo tempo inspiração de fé e certeza de que “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8:28), por mais incrível que pareça, até para quem passou quase três décadas preso injustamente em uma prisão.

Ray foi condenado a 28 anos de prisão, entrando no corredor da morte dos presídios norte-americanos por ter sido acusado de matar dois funcionários de uma lanchonete localizada no bairro de Birmingham, estado do Alabama (EUA), em 1985. A segregação racial no país ainda era muito forte nessa época, o que pode ter contribuído para um julgamento equivocado do caso.

Os investigadores disseram que encontraram as capsulas das balas que mataram os funcionários e que elas eram compatíveis com uma arma encontrada na casa da mãe de Ray. Todavia, não havia qualquer evidência de que Ray estava na cena do crime, como digitais ou testemunhas do caso. O julgamento se baseou na simples comparação de compatibilidade dos artefatos, sem vínculo direto com o atirador.

A organização Equal Justice Initiative entrou no caso, defendendo Ray por longos 16 anos. Eles conseguiram posteriormente comprovar que as capsulas não eram compatíveis com arma encontrada. Apenas no ano de 2015 a Suprema Corte americana declarou Ray inocente, retirando todas às acusações contra ele.

O que mais chamou atenção da mídia, no entanto, foi a maneira como Ray tratou a questão durante esses anos e também após sair da prisão. Em sua primeira coletiva de imprensa, ele declarou: “Todos que estão segurando as câmeras, eu quero que vocês saibam que existe um Deus […]. Foi um erro judiciário não apenas para mim, mas para as famílias da vítima também”, disse ele, após lembrar que orou pela família das vítimas enquanto estava na prisão.

Ele contou que durante esse tempo escreveu um livro contando sua história. A obra deverá impactar milhares de vidas com seu testemunho de fé e coragem. No livro, intitulado O Sol Brilha: Como Encontrei Vida e Liberdade no Corredor da Morte ele diz: “Eu tenho orado a Deus pelo promotor, pelo juiz e especialmente pelas vítimas”.

Ray agora ensina o quanto o ódio poderia lhe fazer mal e lhe afastar de Deus. No lugar disso, ele preferiu perdoar e fazer da sua condição de injustiça um meio de evangelizar outras pessoas com seu testemunho: “Eu não posso odiar porque minha Bíblia me ensina a não odiar. O que me ajudaria odiar?”, disse ele.

“Jesus foi processado e acusado falsamente por coisas que não fez, mas tudo o que Ele fez foi tentar amar e salvar este mundo. Ele morreu e sofreu. Se eu tiver que morrer por algo que não fiz, que assim seja. Minha vida não está nas mãos do juiz. Minha vida está nas mãos de Deus”, declarou, segundo informações da CBN News.

Notícias Gospel