“Júnior de Nenzin” não vai participar da reconstituição do crime da morte de seu pai

De acordo com a polícia, a simulação do crime deve ser realizada no fim do mês de fevereiro ou início de março

Os advogados de Mariano Júnior, o qual é apontado como autor do assassinato do próprio pai, o ex-prefeito Manoel Mariano de Sousa, conhecido como “Nenzin”, conseguiram uma liminar, na Justiça, que o isenta de participar da reconstituição do crime em Barra do Corda.

Segundo informações policiais, a simulação do crime deve ser realizada no fim do mês de fevereiro ou início de março. E uma pessoa será colocada no lugar de “Júnior de Nenzin”, para fazer a reconstituição, a qual é necessária para ajudar a polícia a obter mais informações sobre o caso e finalizar o inquérito.

Mariano Júnior está preso desde o dia 8 de dezembro, mas continua negando ter cometido o crime.

Entenda o caso

O ex-prefeito da cidade de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, foi assassinado na manhã do dia 6 de dezembro do ano passado, enquanto trafegava pela BR-226 com destino a sua fazenda.

Segundo versão inicial apresentada por seu filho, Manoel Filho, que dirigia o carro, Nenzin teria pedido para que ele parasse já que pretendia fazer necessidades fisiológicas. Nesse momento, o ex-prefeito teria sido abordado por dois homens que estariam em uma moto. Um deles atirou no pescoço do ex-prefeito. O fato ocorreu por volta das 8h30.

Só que a polícia descartou essa versão e passou a investigar Manoel Filho, chegando à conclusão de sua participação no crime, inclusive como autor dos disparos. Ele ainda tentou fugir, mas foi preso na casa de um amigo.

 Imirante

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?