Em interceptação da Polícia Federal, Ivaldo Rodrigues é um dos “fuxiqueiros” investigados na Operação Sermão dos Peixes

Por isso que já prevê o ditado, “quanto mais se mexe em problema, mais ele fede”. Dei uma alterada no dito para não baixar tanto a escrita. (risos)

Mas, enfim, continuando …

Essa tal de Operação Pegadores da Polícia Federal, que é um desdobramento da Op. Sermão aos Peixes, está ‘revelando’ participantes que muita gente nem imaginava e, para os tais, nunca nem sonharam.

Um dos nomes mais novos na lista da PF, após interceptação telefônica, é a do Secretário Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (SEMAPA) de São Luís, Ivaldo Rodrigues (PDT), aquele da Feirinha da Praia Grande. Em um dos grampos capturados e divulgados pela PF, o nome de Ivaldo aparece relacionado à Operação Pegadores e, ainda, o de Péricles Silva Filho, sócio do Instituto ICN, além de, é claro, o nome da chamada líder da quadrilha criminosa de propina, Rosângela Curado. No áudio, os 3 conversam sobre nomeações no Hospital da Vila Luizão.

Partes das conversas revelam como rolam os esquemas de emprego por apadrinhamento político, ou por troca de apoio / voto, ou débito de campanha.

Prova disso é quando o vereador licenciado e atual secretário Ivaldo Rodrigues reivindica vagas que foram preenchidas na Unidade de Pronto Antedimento – UPA – da Vila Luizão, sem o seu consentimento e indicação.

É importante frisar que o bairro da Vila Luizão é um dos redutos políticos do secretário citado. Ou seja, o mesmo se acha dono do bairro e da UPA instalada ali. Mais um “ou seja” – com uma Unidade de Saúde no reduto do secretário da Feirinha, o que mais ele deve ter ali é débito e promessa de emprego de época de campanha. Não foi à toa o tal do “fuxico” nas ligações reveladas acima.

Rosângela e Ivaldo são do mesmo Partido PDT!

Trecho da conversa

Rosângela Curado: “Péricles, me dá uma informação (…) Na Vila Luizão, por um acaso, foi colocado alguém? Vocês colocaram alguém sem autorização lá da gente da Rede”?

Péricles: “Ninguém, ninguém”

Rosângela: “Rapaz, esse pessoal é muito fuxico,  gente” 

(…)

Rosângela: “O vereador Ivaldo, daqui de São Luís, me telefonou agora e me disse uma porção de coisas aqui”

Rosângela: “(…) pro vereador Ivaldo (Péricles ligar para Ivaldo). É que ele é partidário nosso … dizendo que foram colocadas sete pessoas. Eu disse, eu vou pedir pra alguém da ICN lhe ligar, para lhe mostrar como não foi colocado ninguém”

Péricles: “Esses vereadores chegam lá e ficam, mandam, não tem nada a ver”   

Rosângela: “Olha Ivaldo, eu tô com seu Péricles que é um dos donos da ICN … ele tá dizendo que não foi colocado absolutamente ninguém em unidade nenhuma”

Ivaldo Rodrigues: “Doutora, então ligue pra Ricardo, quem me ligou, inclusive, foi Ricardo”

Rosângela: “Oh, esse fuxico é que atrasa” (…)

Ainda segundo o relatório da Polícia Federal “num primeiro momento, apesar da afronta aos princípios da impessoalidade e da caracterização de atos de improbidade, não se vislumbrou a prática de ilícitos penais”. 

Mas, mesmo diante disso, a polícia não descarta um “grande esquema de desvio de verbas públicas, por meio de pagamentos extras, naquilo que os próprios investigados denominam de Folha Complementar“. 

Lembrando que a conversa referida foi realizada no dia 21 de Maio de 2015, na Operação Sermão dos Peixes – Desvio de Dinheiro Público. 

Deputado Júnior Verde acompanha entrega de asfalto e vistoria obras em São Francisco do Brejão

O deputado estadual Júnior Verde (PRB) foi recebido junto com o governador Flávio Dino, pelo prefeito de São Francisco do Brejão, Adão Carneiro. A visita ao município se deu a fim de entregar diversas ruas asfaltadas por meio do programa Mais Asfalto, além de vistoriar novas intervenções no município, como a Escola Diga que está em fase construção.

– Não se vê mais poeira como antes. A loja ficou mais bonita e o movimento de clientes já até aumentou. O asfalto só nos trouxe melhorias e qualidade de vida – agradeceu a comerciante Vanete Pereira.

Além de entregar quilômetros de asfalto, foram assinados convênios para a construção de duas praças. A comitiva vistoriou ainda as obras da Escola Digna, que tem seis salas de aula e está garantindo emprego para dezenas de pessoas. “Sempre buscamos junto ao Governo do Estado investimentos em São Francisco do Brejão, um município que precisa da atenção do poder público, e que tem recebido obras importantes para o desenvolvimento econômico e social de toda a região”, destacou Júnior Verde.

Participaram da comitiva secretários de Estado, secretários municipais, deputados estaduais e empresários. O prefeito Adão Carneiro destacou a quantidade de obras realizadas no município. “Num momento de crise como esse, com esse apoio a gente tem um grande canteiro de obras na cidade, o que é muito bom”, avaliou. Os investimentos chegam a R$ 5 milhões de reais.

As informações são da ASCOM/JúniorVerde

Saiba quais são as piores faculdades do Maranhão, segundo avaliação do MEC

Foram 31 instituições de ensino avaliadas no Maranhão. A pesquisa foi divulgada ontem, 27 e leva em conta o Índice Geral de Curso.

 

Foi divulgado ontem, segunda-feira, 27, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), o ciclo de avaliação do ensino superior brasileiro referente ao ano de 2016. Ao todo, foram 2.132 instituições de ensino avaliadas. Deste total, 307 são consideradas insatisfatórias pelo MEC. O Maranhão possui 4 faculdades na lista das piores instituições, das 31 avaliadas no estado.

Entre as Instituições de Ensino Superior REPROVADAS, estão:

Faculdade Maurício de Nassau – ensino reprovado pelo MEC

Nota 2 (insatisfatória)

Faculdade do Estado do Maranhão (FACEM)
Faculdade Maranhense São José dos Cocais (FSJ)
Instituto Maranhense de Ensino e Cultura (IMEC)
Faculdade Maurício de Nassau

Para estabelecer o ranking, é levado em consideração o IGC, Índice Geral de Cursos, que vai de 1 a 5. São consideradas insuficientes as instituições que possuem nota menor que 3. Estas podem receber punições, como a proibição de abertura de vestibulares até que se tomem providências para a melhora da nota.

Confira, agora, a lista de instituições maranhenses APROVADAS pelo MEC:

Nota 4

Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
Instituto de Ensino Superior Franciscano (IESF)
Faculdade Brasileira de Estudos Avançados (FABEA)

Nota 3

A Faculdade Estácio, em São Luís, está como uma das Aprovadas pelo MEC. Nota 3!

Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA)
Universidade Ceuma
Faculdade Santa Teresinha (CEST)
Faculdade Pitágoras de São Luís
Faculdade de Educação São Francisco (FAESF)
Faculdade Estácio
Faculdade Santa Fé (CESSF)
Faculdade de Imperatriz (FACIMP)
Faculdade Pitágoras de Imperatriz
Unidade de Ensino Superior Dom Bosco (UNDB)
Faculdade do Vale do Itapecuru (FAI)
Instituto de Estudos Superiores do Maranhão (IESMA)
Faculdade do Maranhão (FACAM-MA)
Faculdade Evangélica do Meio Norte (FAEME)
Faculdade de Educação Santa Terezinha (FEST)
Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA)
Faculdade do Baixo Paraníba (FAP)
Instituto de Ensino Superior Múltiplo (IESM)
Faculdade de Educação de Bacabal (FEBAC)
Instituto Florense de Ensino Superior (IFES)
Faculdade de Balsas (UNIBALSAS)
Faculdade Laboro

Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão (FACEMA)

Avaliação anterior

Em 2015, o número de faculdades consideradas insatisfatórias era menor: IMEC, FEBAC e FSJ possuíam nota 3. No ciclo de avaliação do ensino superior brasileiro do ano passado, a Faculdade Maranhense São José dos Cocais subiu um ponto na avaliação, enquanto FACEM e Maurício de Nassau caíram no conceito do MEC. Já a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), que possuía nota 3, subiu um ponto.

Método

O cálculo do IGC é feito todos os anos e leva em conta o Conceito Preliminar de Curso (CPC) do último triênio. O índice é calculado no ano seguinte à realização do Enade. Também são levados em conta, no IGC, outros conceitos de avaliação de programas de pós graduação stricto sensu e a distribuição dos estudantes entre os níveis de ensino.

Foram avaliados, no ano de 2016, as áreas de Saúde e Ciências Agrárias (licenciaturas e bacharelados) e Ambiente e Saúde, Produção Alimentícia, Recursos Naturais, Militar e Segurança (eixo tecnológico). O resultado da pesquisa está disponível na íntegra no site do Ministério da Educação.

PROPINEIRA: Ex-presa Rosângela Curado cobrava propina na Secretaria de Saúde, aponta Polícia Federal

Interceptações telefônicas obtidas pela Polícia Federal com autorização da Justiça, mostram que Rosângela Curado chegava a cobrar a até 10% do valor de contratos firmados por empresas. 

É como sempre ouço o Bispo da minha igreja pregar, “aquilo que eu penso que domino, uma hora se vira contra mim. Não há nada encoberto que não venha a ser revelado”.

Rosângela Curado quando esteve presa por decisão da Justiça

De O Imirante

Relatório da Polícia Federal (PF) encaminhado à Justiça com pedido de prisão dos investigados na Operação Pegadores, aponta cobrança de propina na estrutura da Secretaria de Estado da Saúde (SES), por Rosângela Curado (PDT).

Interceptações telefônicas que tiveram como alvo proprietários de empresas, gestores de institutos prestadores de serviços e até funcionários da Saúde, sugerem que Curado chegava a cobrar até 10%, do valor dos contratos. É o que mostra um diálogo interceptado pela polícia entre José Inácio Guará e um homem identificado como Joe.

No diálogo eles comentavam as articulações políticas do Palácio dos Leões na cidade de Imperatriz, quando referem-se à atuação de Curado.

“No instante que ele [Flávio] deu uma declaração de que fechou com Madeira a candidatura de [Clayton] Noleto, que ela que ia ser a candidata, eu acho que ela começou a enfraquecer, né? [sic]”, comentou Joe.

José Inácio Guará respondeu: “Ela está tomando 10% de todo mundo. Aí ela já se queimou, já”, disse e completou: “Já, ela foi tomando de… já foi pra São Paulo, arrumou duas empresas lá já. Já saíram em bloco. Ela tá tirando 10% de todo mundo. Tá tomando dinheiro de quem quer acertar atrasado, tá um inferno”, completou.

No diálogo, Guará afirma que o governador Flávio Dino (PCdoB) sabia dos crimes cometidos por Curado.

E Flávio Dino já sabe. Por isso ele fechou com ele. Eu já sabia que ela ia dançar, que já tinha dançado”, afirmou.

“É cara…”, reagiu Joe.

“Sabe, ele ainda falou: ‘essa mulher é uma louca, essa mulher é uma louca’, não sei o que. Ela se queimou, ela era candidata”, disse

‘Ajeitar’ – No relatório, a PF afirma que poderia cogitar que Guará estava apenas maldizendo uma servidora pública – na ocasião, subsecretária de Saúde do Maranhão -, sem que houvesse maiores elementos que pudessem comprovar a prática.

Ocorre que num diálogo entre a pedetista e Luiz Marques, Curado utiliza as expressões “ajudar” e “ajeitar”, que
evidenciariam a cobrança de propina.

“Quem me ligou agora foi o Ricardo, viu”, disse Luiz Marques.

“É um vagabundo. Não quer ajudar ninguém”, respondeu Curado.

“Arrochei hoje o prego. Aí eu falei. Perguntou quando é que eu vou pra lá, eu falei dia 19. Só lá, perto do começo do mês que vem, aí ele disse que antes disso ele vinha aqui. Aí eu sei que a Corpore tá com frescura com ele, o Invisa também, entende?”, continuou Luiz Marques.

“Deixa, ele não quer ajeitar”, enfatizou Rosângela.

A Polícia Federal também apresentou planilhas com pagamentos efetuados por empresas prestadoras de serviços à sua conta.

A DV Informática, por exemplo, efetuou pagamento da ordem de R$ 20 mil à então subsecretária. Na mesma data, a DV Informática havia recebido R$ 50 mil da R.D. Tecnologia Ltda, que mantinha contrato direto com a SES.

“A triangulação para o pagamento da vantagem indevida resta ainda mais evidenciada quando verificamos que no dia anterior ao pagamento da propina, a empresa RD Tecnologia Ltda foi beneficiada com pagamento de R$ 1.276.500,00. No mesmo dia, Karina Mônica Braga Aguiar, operadora da empresa Bem Viver e daquelas que circundam essa OCIP, incluída a RD Tecnologia, também foi beneficiada com recebimento de R$ 5 mil”, destacou o relatório da PF.

Dentre os sócios da DV Informática, estão Ayala Souza Matioli e Celsenio de Sousa Araújo, este último, assessor de
Programas Especiais da Subsecretaria de Saúde.