Rodoviários ameaçam paralisar atividades na quinta-feira ; TRT reage

Na manhã desta segunda-feira (6), Isaías Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, revelou que se os salários ou benefícios dos trabalhadores do transporte público continuar atrasando, uma nova paralisação do sistema em São Luís, será deflagrada.

No último dia 27 de Outubro os rodoviários cruzaram os braços em São Luís por duas horas. A paralisação de advertência foi deflagrada em razão do descaso de algumas empresas que atuam no transporte público, por estas estarem atrasando os pagamentos de salários dos motoristas, cobradores e fiscais, nos últimos meses.

O pagamento de salário dos rodoviários deve ser feito até o quinto dia útil do mês, assim também como liberação de outros benefícios, a exemplo do ticket-alimentação.

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão diz estar atento a situação e já pensa em adotar medidas que obriguem os patrões a cumprir o que diz a Convenção estabelecida entre trabalhadores e empresários, podendo sugerir a categoria que até a próxima quinta-feira (9), trabalhadores que não tenham recebido o salário, cruzem os braços neste dia.

O Sindicato ressalta ainda que no caso das empresas que disponibilizarem o salário e ticket-alimentação na data correta, estas poderão circular normalmente pela cidade. Em relação às empresas que pagarem os motoristas, mas não efetuarem o pagamento dos cobradores, por exemplo, uma prática muito comum atualmente, estas também ficarão sem rodar por São Luís.

 TRT reage

Segundo o blog Gilberto Leda, horas depois de o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão anunciar que pode realizar nova paralisação em São Luís, o desembargador Gerson de Oliveira Costa Filho, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), decidiu: se houver greve, a categoria pagará multa diária de R$ 300 mil.

A decisão atende uma Ação Cautelar de Urgência protocolada pela Prefeitura de São Luís assim que surgiram os primeiros informes sobre o movimento.

No seu despacho, o magistrado acolheu argumentos do Município e declarou a ilegalidade do direito de greve, pelo não cumprimento de exigências legais, e determinou que o Sindicato dos Rodoviários responsabilize-se pelo funcionamento de 100% frota de ônibus em 100%, em todas as linhas, itinerários e horários.

Abaixo, trechos da decisão.

“Defiro parcialmente o pleito, determinando a fixação da frota operante nesta Capital, durante todo o período que durar a greve preconizada, em percentual não inferior a 100% (cem por cento), nos dias da paralisação promovida pelo SINDICATO DOS TRABALHADORES EM TRANSPORTES RODOVIÁRIOS NO ESTADO DO MARANHÃO – STTREMA, que acontecerá a partir do dia 07 de novembro de 2017, o qual será aferido mediante controle de frota fornecido pelo SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTES DE PASSAGEIROS DE SÃO LUÍS – SET

Defiro, também, ad cautelam, medidas proibitivas de protesto alternativo, tais como: vandalismo; danos ao patrimônio público ou privado; bloqueio de vias públicas impedindo a circulação de veículos e pessoas; bloqueio das garagens das empresas prestadoras do serviço de transporte público municipal, etc…, que possam resultar em tumulto ou, em prejuízo à paz social.

Fixo, em caso de descumprimento por parte dos requeridos, das determinações supra, multa diária de R$ 10.000,00 (dez mil reais)”

Abuso sexual: crianças, geralmente, são vítimas de membros da família

“A vida familiar é a nossa primeira escola de aprendizagem emocional”.
Goleman, 1995

Foi do próprio secretário de Segurança do Maranhão, Jeferson Portela, a frase: “mães escutem seus filhos”. O apelo do secretário foi dito na tarde do último sábado, 4, ao apresentar, em coletiva de imprensa, o réu confesso, abusador sexual e assassino de uma criança de 10 anos, Alanna Ludmila. O caso chocou, comoveu e estarreceu toda a população maranhense diante de tanta crueldade e frieza de Robert Serejo – acusado.

– Vídeo coletiva: “No IML foi detectado que antes de ser morta, Alanna havia sido violentada sexualmente”, afirmou delegada 

– Caso Alanna: Padrasto da menina tem prisão decretada pela Justiça 

– A cena cruel que revelou o assassinato da pequena Alanna Ludmila 

É grande o número de crianças que sofrem abuso sexual e, na maioria dos casos, os agressores são pessoas da própria família, já que a criança tem contato maior e confiança no indivíduo.

Ao que parece, o secretário sentiu necessidade de falar isso pelo fato de, por causa da exacerbada e, às vezes, mal usada democracia, muitas pessoas se manifestaram em suas redes sociais tentando justificar e embaraçar as afirmações preliminares da Polícia quando esta antes de apreender o criminoso já tinha decretada a sua prisão. Em nome da “todo mundo é inocente até que se prove o contrário”, muitos perfis no Facebook defendiam que Robert Serejo não poderia ser tratado como agente do crime.

Portela, por sua vez, afirmou que os militares do Maranhão já estavam trabalhando nas investigações e busca do acusado, com provas técnicas colhidas. Para ele, “é inadmissível que a defesa da democracia e do direito individual passe por cima de tudo”. Em outras palavras, o secretário quis mostrar que o acusado já assumira a sua culpa ao fugir e que não se pode criar um artificio de defesa diante dessa atitude. “Isso é coisa maligna, chamada impunidade”.

Ao finalizar o apelo para que a população, em conjunto com as polícias, seja mais participativa na erradicação da violência, Jefferson alertou: “Mães, escutem seus filhos. Tenham mais cuidado com as crianças dentro de casa. Quem  está envolvido em abuso sexual é pai, padrasto, irmão, tio, parentes e vizinhos. Não é um crime de natureza para estranhos. É um crime de gente de proximidade”, alertou.

Para quebrar o ciclo de violência, especialistas apostam na prevenção e no tratamento familiar, por meio da educação, do debate e da divulgação dos serviços de atendimento, além da DENÚNCIA!

Uma das perguntas mais comuns de pais e pessoas, no geral, é detectar quando a criança está sendo vítima.

É importante sempre observar as mudanças de comportamento apresentadas por elas. Geralmente, o primeiro sinal é a mudança na escola, lugar em que passa boa parte do tempo, além do medo de ficar sozinha, conversar menos e não brincar da mesma maneira.

Nesses casos, a conversa franca e a denúncia é fundamental e o único meio de ajudá-la, livrando-a de futuros traumas maiores, tanto físicos quanto psicológicos.

Vídeo coletiva: “No IML foi detectado que antes de ser morta, Alanna havia sido violentada sexualmente”, afirmou delegada

 

A IMAGEM DO MAL

Robert Serejo Oliveira, ex-padrasto de Alanna Ludmila é réu confesso. Ele assumiu autoria do
crime, em depoimento na tarde sábado, 4. Sem expressar arrependimento ou comoção, Serejo
afirmou que se dirigiu à casa da vítima com intenção de matá-la, sem contar com auxílio de
terceiros para execução do plano. O criminoso será encaminhado para o Centro de Triagem de
Pedrinhas e seguirá para área de isolamento.