Paço do Lumiar: Júnior Verde conduz audiência para regularizar a situação de moradores do Residencial Nova Esperança

De iniciativa de deputado estadual Júnior Verde (PRB), a Comissão de Direitos Humanos e das Minorias da Assembleia Legislativa, da qual ele é membro, deu início às discussões para regularizar a situação das famílias que vivem no Residencial Nova Esperança, em Paço do Lumiar. A audiência pública reuniu na última terça (13) representantes da comunidade que corre o risco de ser retirada da área pelo Governo do Estado, que tenta na justiça a reintegração de posse da área para construção de um centro sócio educativo.

Representantes das famílias recorreram ao parlamentar para mediar o impasse com o Governo do Estado. Presidida por Júnior Verde, a audiência também contou com a participação de representantes do Governo e da OAB.

Em setembro de 2015, a Fundação da Criança e do Adolescente pediu liminarmente a reintegração de posse da área onde está localizado o residencial. A liminar foi concedida, porém, não cumprida, após ficar estabelecido que a reintegração de posse só deveria ser realizada depois de estudo de situação pela Secretaria de Direitos Humanos do Governo do Estado.

As famílias apresentaram comprovação e apresentaram documentos que apontam que a área foi doada pelo Governo do Estado em 1994 e questionaram o motivo de o Governo tentar somente agora essa ação, sob a justificativa de construir o Centro Sócio Educativo.

A Polícia Militar chegou a tentar a desocupação da área no dia 11 de novembro de 2016. No dia 18 do mesmo mês, o Ministério Público entrou com pedido de suspensão da Ordem Liminar.

 – O Governo do Estado não só deve desistir da ação de reintegração de posse, como deve garantir aos moradores do residencial qualidade de vida, com acesso a serviços essenciais como abastecimento d’agua, saneamento básico, energia elétrica, pavimentação e acesso à saúde, entre outros, que são obrigação do poder público”, disse Júnior Verde.

O secretário adjunto de Direitos Humanos do Governo, Jonathan Galvão, disse que o Governo reconhece a seriedade da situação habitacional do estado e que o caso será tratado com toda a atenção, em busca de uma solução pacífica para o impasse.

– Temos noção que a situação de habitação é séria e precisa ser enfrentada. Nesse caso, temos uma área que foi ocupada desde 2015. Temos clareza de que existem pessoas em situação de vulnerabilidade e que precisam de habitação. Buscaremos soluções para que essas famílias não fiquem em situação de rua. Fizemos vários encaminhamentos negociados, juntamente com representantes das famílias, faremos um levantamento da situação e a partir desses estudos, encontraremos uma solução pacífica para resolver esse impasse – garantiu Jonathan Galvão.

Vice prefeito de Chapadinha manda deputado “do peixe”, Levi Pontes, se defender do processo que o acusa de desviar dinheiro público

Como no ditado, “quem casa quer casa”, na vida real, quem apoia, quer apoio!

Como já dizia o saudoso e um dos mais queridos políticos (da 3° idade), João Castelo, “em política só não se vê boi voar, porque, de resto, se vê de tudo”. E não que o saudoso tinha razão?

A “amizade” que uma campanha política constrói,  basta que se aproxime outra campanha política, para essa mesma “amizade” ser destruída.

Por causa de interesses políticos, na última campanha para prefeito (ano passado – 2016) foi fundamentada, ainda mais, a amizade de berço  (cheia de grandes interesses, promessas de apoio e de toma lá dá cá, of course), do médico de Chapadinha  (candidato a vice-prefeito da cidade) Talvane Hortegal, com o deputado estadual Levi Pontes. Aquele deputado que há pouquíssimos meses teve não apenas o seu nome, mas, também, sua voz, escancarada em áudio que ficou conhecido como escândalo do peixe. Reveja AQUI!

Mas como aqui tudo vira pizza, o caso do deputado do peixe, foi mais um, de milhares, que, até agora,  não deu em nada.

Continuando …

Interesses políticos que unem as pessoas, são os mesmos que quebram alianças e as deixam sem palavra.

Chapadinha parece que nasceu para ser a cidade dos áudios.

 – OUÇA OS ÁUDIOS AQUI

Segundo um áudio que deixou os moradores Chapadinhenses de queixo caído, o agora ex-aliado e inimigo feroz do deputado Levi, o vice-prefeito Talvane Hortegal, concedeu uma entrevista à uma rádio do município e o mínimo que ele falou do parlamentar foi que ele “tem rabo sujo”.

– O Dr Levi ficou enciumado, já até me esculhambou. (…) Eu não tenho papa na língua (sic). O que eu tenho para dizer, eu digo. Talvane exaltado, ainda mandou um recado estarrecedor para o parlamentar, “procure pagar o peixe que o senhor levou daqui [Chapadinha]. Procure se defender daquele processo que o senhor tem aqui, que o senhor desviou dinheiro público. Você tem rabo sujo! Agora eu, me respeite”, 

Pelo visto, a briga por espaço no Poder, que já começou a dar sinais de baixaria, diz respeito ao interesse do vice/médico que, ao que parece, visa empurrar “goela abaixo” a candidatura de sua filha Thaíza Hortegal, também médica e 1° dama lá do município de Pinheiro, ao pleito estadual 2018, sendo que um dos maiores apoiadores e entusiastas da chapa Magno/Talvane, foi o próprio deputado Levi, que, com certeza, pensa em reeleição. E, mais com certeza ainda, uma de suas condições ao apoio Majoritário seria o apoio irrestrito da prefeitura de Chapadinha  para a sua permanência na Assembleia Legislativa.

Penso que o médico e vice Talvane nem bem chegou ao Poder e já quer “sentar na janela”.

Na 1° oportunidade que está tendo em conviver com o Poder, Talvane já dá sinais de que é um homem dúbio, inconstante,  de duas caras e, pior, homem sem palavra. Sendo assim, o político de 1° viagem pode se lambuzar bastante até a próxima campanha e, quiçá, até o fim do mandato, podendo ainda dar sérios problemas à confusa gestão do prefeito Magno Bacelar.

Quanto ao deputado Levi Pontes, que, na minha  opinião, é um político mesmo de bastidores, papagaio pirata e deputado bananeira, não vai fazer falta alguma ao Parlamento , caso sua candidatura seja “melada” por causa de seus recentes ex-aliados.

Sem votos

O vice-prefeito de Chapadinha pode dar um tiro no pé ao comprar briga e se indispor ainda tão precocemente ao processo eleitoral. Um homem sem votos me faz querer entender como quer eleger a filha – que ninguém conhece – ao cargo de deputada estadual.

Já para o deputado Levi Pontes que sonha em fazer bonito com a reeleição, multiplicando ou triplicando os míseros 19 mil votos que lhe garantiu, de forma arrastada, uma cadeira na Casa, pode começar a ver esse sonho escapulindo pelas suas mãos que nem uma pomba voando ao Paraíso em dia ensolarado.

A “briga” de Talvane Hortegal começou em Chapadinha, mas pode atravessar a baía e ir parar na cidade de Pinheiro, pois lá é Zé Genésio, o pai do menino-prefeito, que se diz O candidato. Inclusive , já está até constituindo as suas bases eleitorais.

Mas, enfim… Isso é pauta para outra matéria!