Matões: Suely Torres, ex-prefeita e mãe do deputado federal Rubens Júnior é acionada pelo Ministério Público

Haja Ministério Público para tanta “caça” a gestores e ex-gestores maranhenses.

A nova acionada pela instituição de defesa da ordem jurídica, diga-se de passagem, uma das atribuições do MP, é a ex-prefeita da cidade de Matões, Suely Torres. Suely é mãe do deputado Estadual Rubens Pereira Júnior.

Ex-prefeita Suely é acionada por não pagar precatórios

Ainda no mês passado, (29/03), o Ministério Público ajuizou contra Suely, Ação Civil Pública (ACP) por atos de improbidade administrativa. A suspensão dos repasses mensais dos recursos destinados ao pagamento de precatórios, referentes ao exercício financeiro de 2016, motivou a ação.

Segundo o MPMA, o Tribunal de Justiça do Maranhão determinou a cobrança de débito de precatórios do Município de Matões, que ficou obrigado a depositar mensalmente o valor de R$ 51.517,47 , pois o saldo devedor corresponde a mais de R$ 5,6 milhões.

Mesmo com a obrigação legal, enquanto chefe do Poder Executivo, Suely Torres não fez os repasses referentes aos meses de agosto a dezembro de 2016, objeto de sequestro no valor de R$ 257.587,35 dos cofres municipais, conforme decisão judicial.

– Trata-se de atitude omissiva grave e desrespeitosa do Poder Público municipal, especialmente, da sua agente gestora, procrastinando a efetivação do pagamento devido, sem qualquer preocupação com a obrigação constitucional de alocação de recursos que poderiam equacionar a dívida de precatórios judiciais – questionou, na ACP, a promotora de justiça.

A representante do Ministério Público destacou, ainda, que, ao deixar de saldar os débitos de precatórios vencidos, houve violação aos princípios da Administração Pública de legalidade e eficiência.

MP quer condenação de Suely

O Ministério Público requereu ao Poder Judiciário a condenação da ex-gestora por atos de improbidade administrativa, ressarcimento integral do dano, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos.

Deputado Júnior Verde solicita ao Governo que direcione seu olhar para políticas de fortalecimento da juventude

Durante pronunciamento na Tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Júnior Verde (PRB) mais uma vez destacou as ações que vem realizando desde o início do mandato em defesa da juventude maranhense. No último dia 30, foi comemorado o Dia Mundial da Juventude, instituído em 1985 pela Organização das Nações Unidas (ONU).

– Esta Casa tem políticas de acolher a juventude do Maranhão e nós direcionamos nossos esforços também para estas políticas, muito importantes para o Estado – ressaltou Júnior Verde, fazendo referência ao projeto que resgatou no parlamento recebendo estudantes de escolas públicas para conhecer a estrutura e o funcionamento do Legislativo Estadual.

– São momentos que recebemos jovens e debatemos, falamos de política, discutimos assuntos pertinentes à sociedade de forma em geral. Jovens ávidos pelo conhecimento, e, claro, atentos às mudanças sociais que estão acontecendo neste país – pontuou.

Verde ainda citou diversas proposições apresentadas por meio de sugestões de estudantes voltadas para o fortalecimento da classe. Entre elas, a Indicação para criação de uma Central de Estágios no Governo do Estado, que criará vagas para estágios remunerados em todas as secretarias estaduais.

Já o projeto Cultura Permanente, encaminhado à Secretaria de Estado da Cultura, busca o incentivo da participação dos jovens nas atividades culturais, dentro das escolas, no teatro e na música.

– Destaco também o Primeiro Emprego, que muitos jovens nos cobraram, nos demandaram essa perspectiva de oportunizar o primeiro emprego, mesmo para aqueles que não têm experiência. Então, temos feito essas Indicações solicitando ao Governo que direcione seu olhar para políticas de fortalecimento da juventude. E vamos dar continuidade a esse trabalho, ampliando-o cada vez mais – completou o deputado Júnior Verde.

Igreja Universal culpa o diabo pela saída do sinal da Record TV da TV por assinatura

No culto, o pastor interroga o espírito que estaria possuindo o corpo de um frequentador e, a certa altura, o demônio “entrega” o propósito do plano que retirou a emissora do bispo Edir Macedo do ar nas operadoras por assinatura: “Muitos vão pra Globo, muitos vão pra novela da Globo, ahahahaha”, diz o espírito maligno.

A Record TV, o SBT e a RedeTV! estão em pé de guerra com as operadoras de televisão por assinatura, por discordarem dos valores repassados a elas em troca da programação. Como não houve acordo, as três emissoras deixaram de fazer parte da grade. No entanto, segundo o diabo, essa seria uma estratégia dele para levar as pessoas à Globo. (#euri .. Mas juro que não queria achar graça. Sorry! (risos – de novo)

Um áudio de uma “entrevista” de um pastor da Igreja Universal do Reino de Deus com um demônio durante uma das reuniões da denominação foi publicado recentemente pelo jornalista Daniel Castro, com o que seria uma conspiração diabólica para derrubar a audiência das novelas bíblicas da Record.

– Esses canais de TV por assinatura, Sky, Claro HDTV, Net, eles não querem pagar a Record, o SBT e a RedeTV! Aí, todo mundo fica pensando que é coisa normal […] Quantas pessoas se entregaram a Jesus depois do filme Os Dez Mandamentos? Quantas pessoas voltaram para a igreja depois das novelas bíblicas que estão passando na Record? – diz o pastor, questionando os fiéis.

As três emissoras do imbróglio fundaram uma joint venture, empresa criada com o propósito de cumprir uma função específica, chamada Simba, para forçar as operadoras de TV por assinatura a pagarem valores maiores pelo sinal das três, assim como negociar contratos de propaganda mais vantajosos e fazer frente à Globo. A Simba enviou às empresas de TV por assinatura uma proposta em que pede R$ 15 pelas três redes, o equivalente ao custo de programação dos pacotes premium da HBO e Telecine, vendidos por R$ 30 mensais aos assinantes.

“Não estou deixando eles pagarem, não quero”, fala o espírito incorporado no fiel. O pastor pergunta por quê. “Porque muitos vão ser salvos por essa programação e vão se converter”, justifica.

Em seguida, o religioso explica o que está acontecendo: “Esses canais de TV por assinatura, Sky, Claro HDTV, Net, eles não querem pagar a Record, o SBT e a RedeTV! [ouve-se uma gargalhada do diabo]. Aí, todo mundo fica pensando que é coisa normal. Por quê? Quantas pessoas se entregaram a Jesus depois do filme Os Dez Mandamentos? Quantas pessoas voltaram para a igreja depois das novelas bíblicas que estão passando na Record? Aí, diabo, você gosta disso?” – “Nããooo”, responde o fiel possuído.

“quantos demônios estão trabalhando só pra fazer parar a TV nos canais pagos?”, pergunta o pastor. O fiel responde: “Milhares“. O pastor prossegue: “A estratégia do diabo é essa, trabalhar na mente desses donos de operadora, Sky e Net”, para não deixar a programação da igreja chegar aos telespectadores”.

Muitos vão pra Globo, muitos vão pra novela da Globo, ahahahaha”, comemora o diabo. O áudio termina com um ritual para expulsar o diabo da “cabeça dos dirigentes dessas operadoras de TV paga”.

 

Projeto de Lei do deputado Wellington prevê facilitar o cancelamento de serviços de telefone, TV e internet

Deputado Wellington do Curso, incansável em solicitações ao Governo do Estado

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) apresentou Projeto de Lei 49/2017 que obriga as empresas prestadoras de serviços de telefonia, de TV a cabo, de cartão de crédito e similares obrigadas a manterem em suas páginas na internet link próprio que possibilite ao consumidor realizar a suspensão ou o cancelamento do contrato de prestação serviço. A não disponibilização do link causará aplicação de multa sobre a empresa prestadora de serviços.

– Os usuários se queixam da demora desse tipo de atendimento. Caso a nossa proposta seja aprovada, o usuário poderá fazer o cancelamento sem ter que falar com ninguém, apenas acessando um link específico na internet ou pelo menu eletrônico do telefone. Como consequência, tem-se a economia de tempo e a satisfação do usuário – propôs Wellington ao justificar o Projeto.

O PL 49/2017 segue para análise dos demais deputados estaduais da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Maranhão.