Em pronunciamento na Câmara Municipal, vereador Beto Castro se coloca ao lado dos taxistas

Em Audiência Pública realizada na manhã desta sexta-feira (31), na Câmara Municipal de São Luís, com os defensores de táxis da capital maranhense, o vereador Beto Castro se colocou ao lado da categoria de taxistas. Taxistas protestam por melhores condições de trabalho, pelo direito à permissão (placas) para possuírem seus próprios táxis, além, da não regulamentação do serviço Uber. A audiência começou as 10h da manhã, se estendendo até as 14h40, com plenário e galeria lotados.

Na oportunidade, a maioria dos vereadores da Casa fez questão de estar presente no debate, o secretário de Trânsito e Transportes – Canindé Barros, representantes da OAB/MA, FECOMERCIO e CDL – ampliando, assim, a discussão.

O debate que foi proposto por um vereador da Casa, além de discutir a pauta de táxis/taxistas, melhores condições de trabalho para a categoria, ainda debateu sobre o serviço Uber e os táxi-lotação.

O vereador Beto Castro fez questão de, em seu pronunciamento na Audiência, se colocar ao lado dos taxistas em suas solicitações.

– Sempre fui a favor dos taxistas. Mas isso não quer dizer que sou contra os táxi-lotação e Uber, mas é preciso que entremos na discussão e na luta para que seja trabalhado, de uma melhor forma, os meios de transporte da capital, com regulamentação, melhorias, direitos e deveres de todos. Somos todos funcionários da população e, como resposta, devemos oferecer serviços de qualidade, que não penalize nem quem oferta e nem quem recebe  – defendeu Beto Castro.

Outras discussões

Mesmo tendo como pauta principal a questão dos defensores dos táxis e serviços, a Audiência caminhou, automaticamente, para outras discussões. Afinal, trânsito sempre causa muita polêmica.

Encaminhamento

Por meio do secretario Canindé, a SMTT – Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes – orientou os vereadores para que a CMSL crie uma comissão, a partir de segunda-feira (03), para que esta elabore um Projeto de Lei afim de especificar e detalhar a situação dos defensores.

Segundo Canindé, feito isto, o Projeto votado e aprovado – pelos vereadores -, a prefeitura se compromete em cumprir o direito das permissões de placas para os defensores de placas.

Cadê aquele asfalto da época de campanha, prefeito Edivaldo Júnior?

Cinco meses já se passaram desde a eleição que garantiu a vitória e a reeleição do prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT).

O populoso bairro da Cidade Operária foi um dos contemplados na “farra do asfalto” de capa. Hoje está para ser engolido por tantos buracos

 

Avenida do Cohatrac. FOTO: Hilton Franco

Há quem diga que a vitória, em 2° turno, conquistada pelo pedetista foi graças a uma campanha exagerada e sem pudor às leis, com dezenas de máquinas de asfalto espalhadas por ruas e avenidas da capital, de manhã, de tarde e de noite.

Cheguei um dia a escrever aqui neste meu espaço que, na oportunidade da “farra do asfalto”, apenas para ganhar campanha, sem nenhum compromisso com a qualidade do produto e necessidades da população, além de ser um asfalto “de capa”, até calçadas entravam no “bolo”.

– Engodo: Em época de eleição, prefeito Edivaldo manda asfaltar até calçada de morador

Prova da ‘qualidade’ que maquiavam os buracos, crateras e imperfeições no chão das ruas da cidade, é o que vemos por onde passamos: “São Luís está para ser engolida por tantos buracos e crateras que estão destruindo ruas e avenidas”. Esse é um dos tipos de serviços que a prefeitura de São Luís consegue oferecer para o seu povo. Talvez esse tipo de serviço seja realmente o que mereça uma população que tem/teve, em mãos, a oportunidade de mudar a política feita por políticos amadores e usados por “chefões” apenas para um projeto próprio.

Aí eu pergunto, “onde está aquela urgência que tinha nos meses de Julho, Agosto e Setembro (passado), em sair asfaltando tudo, inclusive calçadas? Onde estão as máquinas que viviam trabalhando a todo vapor? Onde está o prefeito agora, que outrora, estava nas ruas, ‘fiscalizando’ os trabalhos? Alguém ainda olha este mocinho por aí?”

Até os alunos de auto-escola estão sofrendo com a política do buraco, em seus locais de prova. FOTO: Imirante

Pedestres, moradores, motoristas, são todos os dias penalizados por uma política mixuruca, miserável, de omissão, de maquiagem, de mentiras, de venda de ilusão que é ofertada pelos pedetistas e comunistas que estão no poder. Os vendedores de pão e exibidores dos circos em que eles são os chefes.

É o caos que se alastra!

É o caos que se alastra

Chapadinha: Deputado Júnior Verde destina emenda para aquisição de kits de trabalho

O deputado estadual Júnior Verde (PRB) visitou no último final de semana as atividades do Projeto Educa Baixo Parnaíba (PEBAPAR), coordenado pela Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego e Renda do município de Chapadinha. A iniciativa oferece cursos de capacitação voltados para as áreas rural e urbana e prevê a entrega de kits adquiridos por meio de emenda do parlamentar. As inscrições começaram na última quarta-feira, 29 de março.

– A qualificação é um grande passo para o trabalhador se inserir no mercado de trabalho, mercado este que se encontra cada vez mais rígido com seus candidatos. Por isso, a importância destes cursos em Chapadinha. Não esquecendo os trabalhadores rurais, que se capacitarão em cursos que ajudarão a aumentar sua produção e renda, tendo uma melhor qualidade de vida – avaliou o deputado.

Os cursos oferecidos são nas áreas de Operador de Computador, Operador de Caixa, Auxiliar Administrativo, Autogestão em Atendimento ao Cliente, Agricultura Familiar, Piscicultura, Horticultura, entre outros. Os cursos da zona rural contarão com a distribuição de kits de instrumentos de trabalho, como pulverizadores costais para aplicações de inseticidas e para manejo de hortas.

O secretário municipal de Trabalho, Emprego e Renda de Chapadinha, Jefferson Aguiar, afirmou que o apoio recebido foi indispensável para realizar o projeto. “O caminho para entrar no mercado de trabalho e para aumentar a produção é a qualificação. Agradecemos o empenho do deputado Júnior Verde, que tem se esforçado bastante para realização deste grande projeto, destinando emendas para aquisição dos kits de trabalho que serão distribuídos para agricultores de chapadinha”, agradeceu.

As capacitações terão duração de uma a três semanas e serão realizadas na Unidade Central do SINE de Chapadinha e em comunidades rurais, com uma média de 25 vagas por turma. Os interessados em participar dos cursos devem ter idade mínima de 16 anos.

Márcio Jerry ‘comemora’ demissão de jornalistas do Sistema Mirante de Comunicação

Pense em um “cabra” sem pena de ninguém, porque politiza, da forma mais suja e baixa possível, tudo?!

Pensou? Pois é!

A cada oportunidade de dia para viver que é dado ao ‘homem de confiança’ do governador Flávio Dino, ele, Márcio Jerry – secretário de Articulação Política e Comunicação do Estado -, tem se superado.

Há poucas horas do dia de hoje, 31, o secretário usou a sua ferramenta de trabalho, sim porque se alguém o quiser encontrar basta ir a rede social Twitter, para destilar o pior tipo de “consideração” aos colegas de profissão, segundo ele, demitidos do Sistema Mirante de Comunicação. Até para ‘lamentar’ algo, se é que de fato ele lamentou, Márcio Jerry consegue ser sem escrúpulos à dor de pais e mães de família, chamando as demissões de “império midiático da família Sarney desmorona”. Tudo isso por causa do tipo de política imunda e egocêntrica que o comunista está acostumado a fazer.

Secretaria Municipal de Agricultura lança a Campanha de combate ao abate clandestino de animais

A prefeitura de São Luís, através da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), lançou a CAMPANHA DE COMBATE AO ABATE CLANDESTINO DE ANIMAIS, em parceria com o Ministério Público e Governo do Estado, através da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão e Polícia Civil.

Campanha de combate ao abate clandestino de animais
Com o tema “Abate clandestino é crime” representando riscos para o consumidor, a campanha tem o objetivo geral de promover a prevenção, controle e erradicação das doenças de interesse socioeconômico, através da intensificação do cadastramento e fiscalização do trânsito de animais, de estabelecimentos de abate, criatório e venda.
Serão identificados, notificados e interditados os estabelecimentos de abate clandestino e venda ilegal de produtos de origem animal.
O consumidor deve ficar atento e exigir o selo de Inspeção Sanitária nos frigoríficos.

“Ou faz ou aceita o que está pronto”, impõe Michel Temer aos chefes de estados brasileiros sobre a Reforma da Previdência

O governo decidiu incluir na Reforma da Previdência um prazo para que os estados também reformem a previdência de seus funcionários.

O governo federal tem a sua própria Reforma que precisa ser aprovada no Congresso. Depois disso, se dentro de seis meses os estados não fizerem as próprias reformas, vai valer a regra nacional. Resumo da ópera: ou faz ou aceita o que está pronto.

Esse prazo de seis meses para os estados e municípios aprovarem suas próprias regras de Previdência, será contado a partir do momento em que a proposta for promulgada pelo Congresso.

O presidente Michel Temer (PMDB) pretende dar prazo de seis meses para que os governos estaduais e municipais aprovem uma reforma previdenciária para seus servidores. O governo federal fará uma emenda ao texto que tramita no Congresso Nacional, adicionando essa sugestão.

A possibilidade de quebra de autonomia dos estados fez o governo excluir os servidores públicos estaduais da reforma da Previdência.

De acordo com a Constituição, estados e municípios têm os regimes próprios de previdência, administrada pelas entidades abertas com fins lucrativos (Bancos e Seguradoras) ou por entidades fechadas, sem fins lucrativos (Fundos de Pensão tais como a PREVI e a PETROS, entre outros). Suas normas básicas estão previstas no artigo 202 da Constituição Federal e nas Leis Complementares nºs 108 e 109/2001 e a União não tem a direito de “impor” a sua Reforma para sobrepor a já existente nos governos.

A nova proposta de Temer é que dentro de 6 meses os estados e/ou municípios que ainda não têm ou não fizerem as suas reformas, terão que, obrigatoriamente, se submeter à regra federal, conforme proposta que atualmente tramita na Câmara dos Deputados.

Com a reforma do governo federal, passa a existir uma única modalidade de aposentadoria voluntária, que exigirá os requisitos de 65 anos de idade, 25 anos de contribuição, 10 anos no serviço público e 5 anos no cargo efetivo, tanto para o homem como para a mulher. Assim como no RGPS – Regime Geral de Previdência Social –, a transição para os atuais segurados será aplicada a servidores com idade igual ou superior a 50 anos (homens) ou 45 anos (mulheres).

A ideia de definir um prazo para que os entes federados organizem suas propostas surgiu de uma reunião ocorrida neste fim de semana entre o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles e o secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano. O objetivo é fazer com que as mudanças ocorram mais rápido em todo o país. Na prática, a emenda ao texto, se aprovada, vai pressionar governadores e prefeitos, uma vez que os servidores estaduais e municipais vão lutar pela aprovação de uma reforma mais benéfica para a categoria do que a oferecida pelo texto federal. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, apresentou a proposta em reunião com os deputados da base na comissão da reforma da Previdência, no final da tarde de ontem (27).

 

“Mais de 40 escolas estão sem condições de funcionamento” denuncia o deputado Wellington sobre teto que desabou em São Luís

Entre os ‘estrondos’ do desabamento, um adesivo – de campanha – que faz referência ao número do partido político (PDT), a qual o prefeito reeleito faz parte. Edivaldo Júnior usava o jargão “É 12” na corrida eleitoral. 

O adesivo mostra que o prefeito infringiu a Lei, que diz no artigo 37 da lei 9504/97 sobre a proibição  da utilização dos bens públicos para propaganda eleitoral.
– As escolas, mesmo que privadas – e aí entram as faculdades também – são consideradas pela legislação eleitoral como um bem público e, dessa forma, não pode ter nenhuma propaganda nelas ou qualquer ato de campanha eleitoral.

“Enquanto deputado estadual, destinei R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) para a educação, inclusive, para a reforma de escolas. Os valores não foram liberados, mas não é por isso que me acomodarei. Conto com o Ministério Público nessa defesa”, disse Wellington.

Na condição de membro da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Maranhão e atendendo as solicitações de pais de alunos que estavam aterrorizados, o deputado estadual Wellington do Curso (PP) constatou as péssimas condições da Unidade de Ensino Básico Darcy Ribeiro, localizada na Avenida dos Africanos. Ocorre que o teto desabou sobre 30 alunos, um professor, sendo que sete alunos ficaram feridos.

– Minha sobrinha estava aqui. A gente tá reclamando disso faz tempo. Os professores e as crianças não aguentam mais. E se minha filha tivesse morrido? Quem iria devolver a vida dela? – desabafou Maria José, de 64 anos.

O deputado Wellington, que tem feito visitas às escolas públicas, disse que não irá permitir que a aflição dessas mães continue e afirmou que conta com o Ministério Público nessa defesa.

– Falta de aviso não foi. Pais de alunos e professores já alertavam há tempos para as péssimas condições da escola Darcy Ribeiro. A Prefeitura fez o quê? Passou uma tinta vermelha, porque é essa a cor dominante atualmente. Mais de 40 escolas estão sem condições de funcionamento em São Luís.

Na semana passada denunciamos a situação caótica das Escolas Prof. Nascimento de Moraes e Prof. Mata Roma, na Cidade Operária e hoje fomos até a escola Dom José Delgado, na Vila Cascavel e constatamos que os alunos estão há dois meses sem aula. Até quando isso continuará? Eu estudei a minha vida toda em escola pública e me encontro hoje nos olhares dessas crianças. Por isso, não deixarei que essa aflição continue. Enquanto deputado estadual, destinei R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) para a educação, inclusive, para a reforma de escolas. Os valores não foram liberados, mas não é por isso que me acomodarei. Conto com o Ministério Público nessa defesa – disse Wellington.

Os ofícios com relatos de pais de alunos e desabafos de professores são encaminhados à Prefeitura de São Luís para que faça a reforma nas escolas e as denúncias também são encaminhadas à Promotoria de Educação para que adote as devidas providências sem que os alunos sejam prejudicados.

Só após teto desabar na cabeça de alunos, prefeito Edivaldo Júnior coloca a “cara no sol”

Já no fim da noite de segunda-­feira (27), o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, acompanhado de secretários, vistoriou as dependências da Unidade de Educação Básica Darcy Ribeiro, no bairro Sacavém. Na tarde de ontem, parte do teto da UEB caiu sobre a cabeça de 30 alunos, todos com 11 e 12 anos de idade. Dois estudantes e uma professora ficaram feridos. Um deles teve que ser encaminhado para o Hospital Djalma Marques, o Socorrão I, onde ficou em observação por algumas horas.

Centenas de escolas de São Luís estão há anos sem nenhum tipo de reforma ou investimento. Com isso, Edivaldo coloca a culpa na chuva

Holanda Júnior vistoriou a situação da unidade e pediu celeridade nos trabalhos de recuperação do prédio. Ele atribui às fortes chuvas o acidente que deixou estudantes, professores e pais assustados.
– Durante todo o dia tivemos uma chuva intensa na cidade. Tomamos todas as providências necessárias com a maior rapidez possível, no intuito de dar uma resposta rápida à população da nossa cidade, para solucionar esta questão. O prédio da escola vai passar por uma vistoria e, logo em seguida, iniciaremos as intervenções estruturais no prédio – afirmou.

Enquanto as obras não ocorrem, o prefeito afirmou que as crianças deverão ser alocadas em um novo espaço nas proximidades, para não comprometer o andamento do ano letivo. O secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, afirmou que já nesta terça-­feira (28) a equipe técnica da Semed iniciará as providências para que os estudantes sejam encaminhados para outro local.

Susto

O Corpo de Bombeiros, à primeira vista, destacou que o teto não desabou completamente, mas apenas uma parte. Uma das vigas centrais teria se rompido e levado as outras juntas. Mas para um laudo mais preciso, é necessário que o setor de engenharia da Defesa Civil faça a vistoria completa, o que só deve ocorrer hoje.

Alunos e professora saíram feridos no desabamento

Além da sala cujo teto desabou, toda a escola está com diversas infiltrações e problemas estruturais, que são mais visíveis agora, durante o período chuvoso. Outra sala, por exemplo, está sem teto, apenas com o forro plástico. O resultado é que a água da chuva infiltra e invade o local, transformando em uma lagoa. Ali, com certeza não dá para ter aulas, tanto que as carteiras estão todas em cima das outras, enquanto a água cai do forro, como se fosse uma cachoeira.

Do lado desse compartimento está a sala que foi incendiada por marginais nos atentados de outubro de 2016. Na época, após os ataques, a Prefeitura de São Luís, através da Semed, afirmou que já estava providenciando a reforma do ambiente, mas o que ainda se vê é que tudo foi apenas fechado, improvisadamente com mesas e cadeiras, para se evitar o acesso. A sala segue sem telhado, sem cadeiras e cheia de água da chuva empoçada. Funcionários da escola dizem que o local se tornou um criadouro para o mosquito Aedes Aegypti.

A quadra da escola é outro problema que já foi bastante batido, mas que parece não ter solução. Várias e várias reportagens, incluindo de O Estado, já denunciaram a situação, mas nada foi feito. O teto está em parte caindo, os banheiros estão depredados e sem condições de uso, além disso, o espaço deixou de ser usado pela comunidade para virar um refúgio de marginais que se aproveitam da falta de iluminação para usarem drogas.

Imirante

São Luís: Teto da escola municipal Darcy Ribeiro desaba e deixa alunos e um professor feridos

O teto da Unidade de Ensino Básico Darcy Ribeiro, localizada na Avenida dos Africanos, desabou, nesta segunda-­feira (27) e deixou alunos e uma professora feridos. O acidente ocorreu por volta de 13h30, na sala do Sexto Ano, quando a aula estava começando. Uma das causas apontadas para o acidente é a intensidade das chuvas ocorridas nos últimos dias em São Luís.

Alunos e professora saíram feridos no desabamento

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, dois alunos e uma professora tiveram ferimentos leves e foram encaminhados para Hospital Municipal Djalma Marques, o Socorrão I, no Centro. Técnicos da Defesa Civil também estão no local para avaliar a situação e as possíveis causas do acidente.

No ano passado, a escola Darcy Ribeiro foi incendiada por bandidos, dias antes as eleições municipais. A cúpula de Segurança Pública e os ministros do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes e da Defesa, Raul Jungmannn, chegaram a visitar a unidade de ensino para avaliar os estragos.

Imirante

 

Painel eletrônico: Câmara de São Luís ostenta imagens de uma São Luís que nem mesmo os vereadores conhecem

Que a Câmara Municipal de São Luís tem passado por uma pequena e lenta modernização ainda que em 2017, mesmo esta sendo a Câmara da capital do Maranhão, isso não se pode negar. A incluir a novidade do painel eletrônico, que durante toda a sessão da Casa, fica exibindo imagens editadas e bem “maquiadinhas” da cidade – como se São Luís realmente ‘funcionasse’.
Na sessão desta segunda-feira  (27), na CMSL, enquanto alguns vereadores ocupavam-se em subir à tribuna, uns para falar da precarização dos serviços públicos, a cobrança ao prefeito Edivaldo Júnior (PDT) sobre as 280 escolas municipais inacabadas, outro vereador ocupava-se em subir à tribuna para contar de sua viagem à São Paulo, onde, resumidamente, disse que aprendeu que os problemas sociais não são apenas os buracos nas portas dos cidadãos ludovicenses. Pensei, “claro, o excelentíssimo vereador Honorato, não deve, com toda certeza, morar na periferia, por isso, miniminiza a importância de uma rua asfaltada e com infraestrutura que preste”.
Mas o que realmente me chamou a atenção foi o painel eletrônico “lá rolando as imagens da São Luís perfeita”, mesmo a fala dos parlamentares sendo, em sua maioria, totalmente contrárias às imagens.
Plenário da Câmara de Vereadores
Ao meu lado ouço alguém que diz:
– Naquele painel ali tinha que passar era imagem das ruas e avenidas cheias de buracos e crateras. Deveria era mostrar os postos de saúde que uma hora dessa estão todos lotados. Poderia mostrar também o dia a dia nos ônibus, com a lotação e o perigo que ronda, motoristas, passageiros e cobradores”.
A senhora reclamou de muitas outras coisas. Citou as precariedades nos bairros periféricos da Ilha, muitos deles conhecidos pelos vereadores em época de campanha,  mas esquecidos depois de eleitos.
Taí, não é que a senhora tem toda razão?
Por que mesmo na Casa do Povo, na “casa dos porta-vozes de cada ludovicense”, as imagens não lhes mostram realmente as verdadeiras necessidades e o que passa cada trabalhador, estudante, cada família de São Luís, nos seu dia a dia?
Quem sabe isso seria até um incentivo para que, de fato, essa Casa e seus “trabalhadores” se sentissem motivados a dar uma resposta a quem lhes confiou o seu voto.
 

P.S – Ah, ia esquecendo .. desde a implantação do painel, ele apenas foi inaugurado no último dia 20 de Março, dia da visita do governador Flávio Dino à Casa. Antes disso, o mesmo estava servindo apenas como bibelô de enfeite.

Só mais um P.S – Diante dos inúmeros e notórios problemas que a Câmara enfrenta, desde banheiros sem papel higiênico, portas sem maçanetas, tetos com forro cedido, além de gabinetes em reforma – até hoje – entre outras coisas, o painel tem sido, no momento, o único artigo de luxo do local.