Preocupado com a segurança da população, o aguerrido Wellington do Curso solicita mais Unidades de Segurança para bairros da capital

IMG-20150625-WA0028Que o medo e a insegurança está tomando de conta da vida de todo cidadão maranhense, isso não é nenhuma novidade. Só que a pior parte disso é ver que as autoridades responsáveis e instituídas por essa mesma população nada fazem em benefício do povo ou, simplesmente, resolveram deixar o grande problema tomar conta da cidade. Sim, porque é isso que está acontecendo. Pessoas do bem sendo reféns de um sistema falido e que não consegue, sequer, oferecer o mínimo de segurança e tranquilidade para a sociedade.

Poucos são os que de fato estão preocupados em tentar chamar a atenção do governo para o caos e a violência que rola solta nos bairros de São Luís. Por isso, durante o seu pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã de ontem (25), o deputado Wellington do Curso (PPS) apresentou proposições em defesa da Segurança Pública do Estado. E essa não é a primeira vez que Wellington “grita” por socorro naquela Casa em nome dos maranhenses.

Dessa vez, o parlamentar solicitou a ampliação do número de Unidades de Segurança Comunitárias (USC) no Maranhão, tendo em vista a criminalidade que, segundo ele, permeia a sociedade. Atualmente existem apenas duas USC’s instaladas em São Luís, sendo uma na Vila Luizão e outra no bairro Coroadinho. Diga-se de passagem, duas deixadas pelo antigo governo.

Wellington não deixou de ressaltar a grande necessidade das USC’s, além de enfatizar a pertinência da polícia comunitária, sobretudo, nos bairros considerados “mais violentos” da capital.

“Após o primeiro ano de implantada, os índices de criminalidade nos bairros atendidos pela USC (Divinéia, Sol e Mar e Vila Luizão) diminuíram consideravelmente, segundo o CIOPS. Quanto à implantação do projeto, adotou-se como critério básico de escolha da localidade o comportamento das linhas de tendência quanto aos crimes dolosos contra a vida, contemplando, assim, as áreas com os maiores índices de criminalidade”, destacou Wellington.

O deputado ainda citou vários bairros da capital que necessitam de Unidades de Segurança, em caráter emergencial. Entre eles, Cidade Olímpica, Maiobão, São Raimundo, Pedrinhas, Vila Maranhão, dentre outros que, segundo o Centro de Apoio Operacional do Controle Externo da Atividade Policial (CAOp-CEAP) e do Ministério Público do Maranhão (MPMA), são os bairros onde há maior índice de crimes violentos letais intencionais.

“Ressalta-se aqui o caráter emergencial, não de apenas se garantir novas Unidades de Segurança, mas a necessidade de se enfatizar o combate à criminalidade e, assim, ao zelo por aquilo que o ser humano possui de mais importante: a vida”, declarou.

Enquanto o governo não priorizar as políticas de segurança pública e a norteá-la com fins eleitoreiros e ideológicos e não com técnica, em todos os seus aspectos, seremos reféns desse sistema que herdamos e que continuamos a tê-lo.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?