Indústria de laticínios São José é interditada pelo PROCON/MA

Atenção a todas as pessoas que geralmente em viagens (pela estrada), saindo ou entrando em São Luís, dão aquela paradinha na empresa de laticínios São José, para comprar aquele famoso queijo, iogurte e afins (minha família mesmo, em viagens, já parou quase todas as vezes).

Em mais uma de suas desbravadas ações – sim, porque com a nova direção, o órgão está trabalhando com afinco (confesso que digo isso sem paixão política) -, o PROCON/Ma interditou a indústria de laticínios São José, localizada na zona rural da cidade de Itapecuru-Mirim e apreendeu produtos impróprios para consumo, na tarde de ontem, 18.

INTERDITADA!
INTERDITADA!

Contando com o apoio da Polícia Militar, a fiscalização aconteceu após denúncias. De acordo com informações do PROCON/MA, na operação, o estabelecimento foi interditado e foram apreendidos 110 quilos de queijo; 360 potes de iogurte integral de polpa de cupuaçu, de 200 gramas; embalagens de produtos; e aproximadamente seis caixas de embalagens para venda de leite e 100 caixas para distribuição de leite para o programa Leite é Vida, do governo federal, além de uma arma sem registro.

Os produtos foram incinerados e as embalagens foram armazenadas na unidade do Procon em Itapecuru-Mirim. A indústria de laticínios continuava produzindo e comercializando mesmo tendo sido interditada pela Superintendência Federal de Agricultura no Maranhão, em outubro de 2014, por não possuir atestados de saúde para seu funcionamento, não realizar análises microbiológicas do leite, não realizar a calibração e aferição dos equipamentos dos laboratórios e outros aspectos. Antes de realizar a ação, o Procon enviou ofício para a superintendência solicitando informações sobre o trâmite do processo de interdição para apurar se a empresa já havia se regularizado, mas não teve resposta.

Laticínios São José desumana

Foi constatado também que a fábrica apresenta irregularidades trabalhistas, onde os funcionários estão sem receber o salário há quase dois anos. A equipe de fiscalização coletou documentos dos colaboradores e enviará ofício para o Ministério Público do Trabalho e a para a Defensoria Pública da União com o objetivo de buscar a intermediação para regularização e garantia do direitos desses trabalhadores.

 De acordo com o diretor-geral do Procon Maranhão, Duarte Júnior, é intolerável que situações como essa ainda acontecem no país. “O Procon está trabalhando firmemente para extinguir qualquer tipo de afronta aos direitos dos consumidores maranhenses, mas para que nossas ações se tornem cada vez mais eficientes, é preciso que os consumidores denunciem tais práticas, de modo, a permitir o melhor direcionamento das nossas ações. Hoje finalizamos um caso que há mais de dois anos afrontava os direitos dos cidadãos maranhenses,” disse.

 O diretor informou, ainda, que notificará, hoje (19), a Associação Maranhense de Supermercados (Amasp) determinado que, todos os supermercados e mercados que comercializam os produtos da Fábrica Laticínios São José retirem das prateleiras e parem de comprar e vender produtos impróprios para o consumo.

leite-sao-jose-169x300

P.S – É aquela coisa, a empresa saber que está completamente errada, colocando em risco a saúde dos seus consumidores, mas não pensa nisso. Cientes da impunidade oferecem e circulam produtos que pode acabar com a vida das pessoas.
E sobre a questão trabalhista de os funcionários estarem sem receber os seus salários há quase dois anos, é algo completamente surreal. A era da escravidão acabou e as autoridades responsáveis precisam urgente atuar em favor desses empregados que, com certeza, trabalham por necessidade, assim como mais da metade da população.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?