Chacina em Panaquatira: Deputado Wellington cobra, mais uma vez, ações eficazes de segurança do Governo do Estado

IMG-20150525-WA0039 (1) (1)

Na tarde de ontem (25), em sua oportunidade na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Wellington do Curso (PPS) lamentou mais um ato de grande violência registrada em nossa capital, a “Chacina de Panaquatira”, que culminou com a morte de quatro pessoas e levou outras duas a estarem hospitalizadas.

Na oportunidade de sua fala, o parlamentar também lamentou a morte de mais um PM, segundo ele, “herói de farda”. Trata-se do jovem Max Muller, soldado da PM que se encontrava na casa de praia onde ocorreu a chacina.

Não é de hoje que Wellington tem usado a tribuna a fim de cobrar mais ações enérgicas e eficazes do governo do estado em relação à nossa segurança, mas ao que parece, tem sido em vão, pois o governador Flávio Dino (PCdoB) não tem dado nenhum tipo de resposta e nem passado tranquilidade para a população.

Por onde tenho andado, conversado, as pessoas têm se mostrado bastante temerosas com a onda de violência que aumenta a cada dia que passa. O medo de sair de casa ou mesmo de estar em casa tem deixado famílias reféns e prisioneiras da bandidagem e de um sistema de segurança incapaz de dar respostas em ações que nos devolva a tranquilidade.

Wellington que há poucos dias subiu à tribuna para lamentar a morte de um tenente da polícia militar (Reveja Aqui), se viu na mesma situação ontem, quando, mais uma vez, os protagonistas do crime assolam São Luís. É como se o clamor de um representante dos maranhenses e dos próprios maranhenses não tivesse surtindo efeito. É como estar clamando no deserto e ninguém está lá para nos ouvir. Assim estamos nos sentindo. Clamando por um poder público que tem obrigação de zelar pela nossa segurança e nada é feito em nossa defesa e benefício.

Ações em favor da Segurança do Estado:
Wellington, que tem se destacado em defesa da segurança pública, já apresentou proposições  solicitando o aumento do efetivo das Polícias Civil e Militar e Bombeiros, bem como a valorização profissional e salarial da categoria, além de encaminhar ao Governo do Estado um anteprojeto de lei criando a gratificação por apreensão de armas de fogo.

Já solicitou também a redução dos impostos (ICMS) para aquisição de armamento para policiais civis, militares e bombeiros e a convocação de mais 2 mil excedentes da PM, a fim de que se atinja, de fato, o número equivalente a 1.000 aprovados no Curso de Formação.

Outro pedido do deputado, foi a nomeação de 33 novos delegados, juntamente com a convocação de peritos e investigadores aprovados no último concurso. (Reveja Aqui)

Banner_blog_MAemalerta

“Vivemos em um cenário de insegurança no qual a morte tem sido exaltada e a vida banalizada. Hoje, o estudante e o pai de família sai de casa incerto do retorno. O que falar sobre o jovem Rafael Santos, de 26 anos, que foi assassinado com um tiro no rosto no início de abril, na porta da faculdade? Como tratar com sutileza a morte de um estudante dentro de um ônibus na Cohab? Devemos, por acaso, passar a compreender as vidas dos nossos heróis de farda como algo insignificante?  Devemos aceitar uma chacina como algo normal? Não, não podemos conviver e consentir com essa triste realidade como se nada estivesse acontecendo. Mais do que meras proposições, almejamos a defesa daquilo que temos de mais importante e que, infelizmente, tem sido tratada como algo insignificante: a vida”, destacou o professor e deputado Wellington ao cobrar ações mais enérgicas do governo do estado no tocante à segurança pública.

Nem mesmo com tudo o que tem acontecido, com todo o medo e pedido de socorro da população e todas as solicitações deste deputado, Wellington nem assim, o governador Flávio Dino tem se sensibilizado em nosso favor. Está sendo bem diferente do que nos fora prometido. É triste isso.

Enfim!

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?