Flávio Dino, um filme a La Charlie Chaplin, O MUDO!

dino2

Particularmente falando, tem sido de uma curiosidade tamanha o ‘novo’ homem que o governador Flávio Dino (PCdoB) tem se apresentado.

Outrora conhecido como o prometido que viria salvar o Maranhão das mazelas das quais ele fazia questão de gritar todos os dias aos quatros cantos do estado e por onde passava, hoje a população tem percebido o peso que o “governador de todos nós” carrega nos lombos ao assumir o controle do estado.

Já diz um ditado que língua é boa é com batata. Outro já discorre que pimenta nos olhos dos outros é refresco. Então deveria ser um ótimo refresco quando o comunista mais poderoso do Maranhão ficava só como antagonista, observador e comentarista do que acontecia aqui nos nossos dias.

Temos passado dias terríveis, dias muito maus e, é claro que não vou dizer que outrora vivíamos como “Alices” no país das maravilhas. A realidade também era dura e cruel. Mas, assim como o povo do Egito – na época do Faraó – esperava pelo Deus libertador que prometera salvá-los da escravidão, assim também foi pregado aos maranhenses, começou em 2010, uma tal de libertação ao povo. Uma tal de mudança (para melhor), principalmente para as famílias mais pobres e necessitadas. Eu nunca acreditei muito nesse discurso de mudança da noite para o dia, até porque tendo a índole cristã, acredito mesmo que quem faz milagres é só Deus, então o discurso que eu ouvia todos os dias e há anos afirmando que uma grande mudança estava por vir, para mim era mais um factoide e falácia.

Na verdade é como continua caminhando o nosso estado e a nossa realidade que tem falado por si só. Vejo, mesmo que de longe e também como uma observadora e comentarista, as mesmas práticas, os mesmo vícios. Só mudaram as pessoas, mas as atitudes, as alegrias para uns e choro para outros, continuam as mesmas. Sabe aquela coisa de apenas alternância de poder? Pois é, é o que temos visto e, ao que parece, se continuar assim, teremos a certeza da troca apenas de 6 por meia dúzia.

Eu não vou nem ser repetitiva ao falar ou relatar do que está acontecendo no Maranhão. Todos os dias notícias trágicas são espalhadas mostrando que o negócio não está para brincadeira. A insegurança é o que mais nos assombra. E, eu assim como milhares de maranhenses estou me sentindo órfã diante daquele que dizia que nos salvaria desde o 1° dia do seu mandato.

Por isso, peço encarecidamente senhor governador, que o senhor no auge do seu poder de ordens e da sua legitimidade em realmente encorajar o seu povo, que o senhor possa, nesse começo de gestão, tentar recuperar a confiança que o estado lhe depositou e uma forma de governar que nos fora prometido, de forma que o fim apresente o resultado de um meio e de um início que não nos traga arrependimentos e, mais uma vez, a descrença nos “salvadores da pátria”. Ou o senhor que ficar conhecido como o governador de gogó? E, pior, ser achincalhado e considerado pior do que aquele pessoal que o senhor não consegue falar 10 palavras se 8 delas não for família Sarney?! Os maranhenses já vivem uma insegurança causada pela carência de assistências dos antigos governos e aí, vai ser mais um?

“Acorda Flávio Dino, senão tu vai ser o governador bananeira, apenas de 1 mandato. Quis tanto ter o Maranhão e agora que tem, está pior do que Roseana Sarney, traindo e demitindo quem esteve ao teu lado e acreditou nos teus discursos”, desabafou uma eleitora arrependida.

Ainda tá na hora: Reveja o seu governo, a sua forma de governar, a sua equipe, as suas atitudes e o seu silêncio. Por que agora sim que é hora de falar e de mostrar a que veio. E “grite”, “grite” sempre que for necessário. Assim como nos últimos anos não lhe passava nada despercebido, tudo o senhor trazia à claridade, então agora a hora é sua de fazer diferente e não deixar passar nada às escuras ou impune.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?