São Luís nada consegue fazer contra a violência e é mantida refém

A cada dia que passa somos surpreendidos com mais notícias, casos chocantes e bárbaros contra vítimas inocentes ou não da violência em nosso estado, mais precisamente em nossa capital.

A insegurança tomou conta de nossas ruas, casas, vizinhança e, de modo geral, das nossas vidas.

O caso mais recente que ganhou notoriedade e consternação em todo o estado foi a morte de mais um policial militar, o tenente  Gilvan Araújo Ramos, morto na madrugada de domingo (17), ao sair de um show realizado no bairro Maranhão Novo, vítima de desentendimento no trânsito, de acordo com informações confirmadas pela Secretaria de Segurança do Estado.

Mais uma vez em solidariedade à casos como esse, o Deputado Wellington do Curso (PPS) denunciou a insegurança que estamos sujeitos todos os dias, lamentando a morte de tenente, onde classificou Gilvan como um lutador da segurança pública, mas que, infelizmente, teve os seus sonhos interrompidos de forma trágica.

Com votos de sentimentos de condolências, o deputado Wellington apresentou moção de pesar na Assembleia Legislativa, na tarde de ontem (18) e demonstrou desgosto pela morte do tenente.

“É com pesar e profunda consternação que lamento  profundamente a morte do jovem tenente da PM e meu ex-aluno, tenente Gilvan Ramos, que dedicou anos de sua vida para defender a sociedade maranhense e teve seu sonho de defender as vidas ceifado de forma covarde pela violência imperante que se alastrou no Estado. Há alguns dias comemorávamos uma conquista da classe, hoje lamentamos uma grande perda. “, afirmou.

Na ocasião, o parlamentar também encaminhou proposição ao Governo do Estado, através de indicação na forma de anteprojeto, que solicita a criação da gratificação especial por apreensão de arma de fogo e explosivos (GEAAFE) a policiais militares, civis, bombeiros e agentes de atividades penitenciárias do Maranhão, além de discorrer sobre os índices de violência no Estado.

“O Maranhão é o estado brasileiro onde mais cresce o número de mortes por armas de fogo. Só em 2012, o Maranhão registrou 1.235 óbitos por armas de fogo e está em primeiro lugar no crescimento no número de mortes de jovens por armas. O número de explosões a bancos é outro dado significativo no Maranhão, uma vez que entre janeiro e abril deste ano, 18 bancos foram explodidos com o uso de dinamites, segundo o Sindicato dos Bancários. Mediante essa preocupante situação e revigorando um dos pontos centrais de minha plataforma de atuação nesta Casa, destaco a necessidade da implementação de políticas públicas com o intuito de restringir o uso de materiais explosivos e requeiro à Mesa que encaminhe ao governo do Estado o anteprojeto que cria a gratificação por apreensão de arma de fogo e explosivos”, destacou.

Em menos de 24h

Menos de 24h, mais um ato de insegurança é registrado em ônibus da capital, causando medo, transtorno, corre corre, gritaria e bala solta. Ontem, 18, a noite, próximo ao viaduto da Cohab um policial à paisana impediu que um assalto fosse consumado dentro do ônibus.

As pessoas já estão agindo como justiceiros mesmo, porque se formos esperar pelo policiamento em todos os cantos possíveis e rota de fiscalização, é como acreditar em conto de fadas.
Enfim! O desespero foi de se imaginar …

IMG-20150519-WA0007[1] IMG-20150519-WA0008[1]

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?