“Nós estamos é devolvendo os cartões do bolsa-família, porque aqui todo mundo vive muito bem”, debocha prefeito de Belágua

CYMERA_20150122_100912[1]

Quem não lembra que a cidade de Belágua, distante 280 km de São Luís, localizada na região leste do Maranhão e com população estimada em 7.191 habitantes (pelo IBGE), foi tema de uma reportagem da Rede Record há duas semanas, ao ser citada como uma cidade miserável e uma das 5 mais pobres do Brasil?

Com a triste repercussão da notícia, vários movimentos e pessoas têm se solidarizado, a fim de realizar ações de arrecadação de alimentos, produtos de higiene, remédios e roupas para as pobres famílias que ali residem.

Atitude bem vista por todas as pessoas que, depois de iniciativas decisivas, estão repartindo com centenas de adultos e crianças necessitadas o maior bem: ajudar ao próximo. Ajuda que não está sendo muito aprovada pelo prefeito da cidade, Adalberto Rodrigues (PT), que em entrevista à uma Rádio, na cidade de Urbanos Santos – município de onde Belágua era povoado – chamou as doações às famílias de atitudes oportunistas e de interesse.

Na entrevista de pouco mais de meia hora, Adalberto citou inúmeras vezes que os belaguaenses não são mendigos, não andam nus e nem flagelados e que a reportagem da Record foi tendenciosa e baseada em interesses, para passar uma imagem negativa da cidade.
Mas aí eu pergunto – quem teria interesse em ‘plantar’ uma falsa notícia da cidade?

Com a voz um pouco embargada e insegura, o prefeito ainda ousou em dizer que as famílias melhoram a cada dia e que depois que assumiu a cidade, em 2009, os programas e os trabalhos só dobraram. Ainda afirmou que na cidade ninguém passa fome e que as pessoas estão com boa vida.

“Eu posso falar em nome do povo de Belágua, tenho autoridade para falar por eles. Nós estamos é devolvendo os cartões do bolsa-família, porque as pessoas estão com boa vida na cidade”, disse o prefeito em um dos trechos da entrevista.

É essa família que está devolvendo o cartão bolsa-família?
É essa família que está devolvendo o cartão bolsa-família?

O gestor se diz incomodado por vir à São Luís e ver o que chama em “todo canto, ações de arrecadações de mantimentos”. Ainda diz “por que essas pessoas não se preocupam com as suas cidades? Estão desrespeitando os nossos limites, pregando uma imagem que não somos. Fome tem em todo lugar. Nós não vivemos em calamidade.”

Em meio a gaguejos, o prefeito Adalberto pede respeito e pede também que as pessoas tenham consideração em procurar a prefeitura ou um órgão do município para poder ter acesso à cidade.

Quem então está mentindo: imagens e depoimentos de pessoas famintas ou palavras de uma entrevista do maior interessado em negar a realidade?

Ouça a entrevista na íntegra e tire as suas conclusões.

Qual é a sua opnião sobre essa matéria?