Existe vereador na Câmara Municipal de São Luís? Sim, só quando é para fazer *

Quatro anos estão se passando desde as últimas eleições municipais e pouco se viu ou se ouviu falar dos pseudos-vereadores de São Luís. O pouco ou quase nada que ainda se ouve é quando estes fazem algum * (piiii … é, isso mesmo).

Foto: Blog Hilton Franco
Foto: Blog Hilton Franco

Se o município, estado, ou o que quer que seja é sempre acusado de funcionários fantasmas, por que não poderíamos dizer que existe, também, vereador (a) fantasminha? Sim, por que eu aposto que metade da população da grande Ilha não sabe nem de longe o nome de 30 dos 31 parlamentares da Casa.

Já não bastasse os pseudos não fazerem absolutamente nada em favor da população, são adeptos àquele dito popular “se não ajuda, não atrapalha”. É, mas nesse caso, eles apenas atrapalham. A exemplo da humilhação que estão fazendo milhares de servidores municipais passarem, aprovando uma proposta indecorosa do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), de 2% de reajuste – que na surdina enviou a mensagem para a Casa.

É importante que a população entenda para que servem os vereadores.

Engana-se quem pensa que é para ser o porta-voz da sociedade em favor de suas maiores necessidades públicas. Engana-se quem pensa que vereador é, na prática, um fiscalizador do Executivo Municipal. Engana-se quem pensa que vereador é o político que deve estar mais perto do povo, entendendo os seus problemas e de sua cidade e buscando soluções. Engana-se quem pensa que vereador propõe, discute e aprova as leis a serem aplicadas no município, em favor da população. ENGANA-SE!

Os vereadores de São Luís, a tirar uma 2 ou 3 exceções (por serem oposições) querem estar perto é do prefeito, a perto do povo. Querem estar é realizando os seus mandos e desmandos e dando amém a tudo que é favorável ao chefe da cidade, a fim de não perderem aquelas vantagens e benefícios que todos nós sabemos. Ficam do lado do prefeito, mas, sequer, ficam ao lado das pessoas. Claro, só até chegarem as eleições, porque aí, viram BFF (Best Friends Forever).

Vereadores aprovam reajuste de 2%

Na manha de ontem (27), Edivaldo Júnior deve ter comemorado a obediência de seus fiéis escudeiros da Câmara Municipal, que em troca de interesses pessoais, 22 vereadores, dos 31 da Casa, aprovaram o reajuste salarial dos professores e demais servidores  municipais.

Dos 31 parlamentares, apenas 4 tiveram a coragem de votar a favor do servidor – entendendo a importância do seu trabalho para a cidade – e contra a proposta esdrúxula do prefeito. Foram eles, Rose Sales (PMB), Marlon Garcia (PT do B), Manoel Rêgo (PP) e Fábio Câmara (PMDB). Os demais estavam ausentes.

Conheça os vereadores que votaram a favor de Edivaldo Holanda Júnior e contra a população de São Luís

  1. Astro de Ogum (PR)
  2. Armando Costa (PSDC)
  3. Beto Castro (PROS)
  4. Bárbara Soeiro (PSC)
  5. Barbosa Lages (PSL)
  6. Chaguinha (PP)
  7. Eidimar (PSDB)
  8. Edimilson Jasem (PTC)
  9. Estevão Aragão (PSB)
  10. Francisco Carvalho (PSL)
  11. Ivaldo Rodrigues (PDT)
  12. José Joaquim (PSDB)
  13. Josué Pinheiro (PSDB)
  14. Luciana Mendes (PP)
  15. Nato (PRP)
  16. Osmar Filho (PDT)
  17. Pedro Lucas (PTB)
  18. Pereirinha (PSL)
  19. Pavão Filho (PDT)
  20. Paulo Luiz (PRB)
  21. Rômulo Franco (DEM)
  22. Ricardo Diniz (PCdoB)

Em tempo

O percentual de reajuste dos servidores municipais ficou 2% a ser pago na folha de junho retroativo a janeiro. O percentual de reajuste dos profissionais do magistério ficou 3,5% a ser pago na folha de junho retroativo a janeiro,  e 4,9% para o mês de novembro sem retroativo.

O valor do reajuste não cobre nem de longe a inflação de 2015 de 10,67%.

 

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Sindicato dos Servidores Municipais de São Luís DESCONVOCA Assembleia Geral

6ba7a7e8-93e9-4ddf-97cb-1265c3d14ed3

É de informação do próprio Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos Municipais de São Luís – SINFUSP/SL, a DESCONVOCAÇÃO da Assembleia Geral que estava marcada para acontecer na próxima terça-feira, 28 de Junho, às 14 horas e 30 minutos, na Associação Comercial.

O cancelamento da referida Assembleia, que teria como pauta deixar a categoria ciente da liminar do Tribunal de Justiça do Maranhão, que concedeu, em favor do município de São Luís, imediata suspensão do movimento grevista, sob pena do pagamento de multa diária, no valor de 10 mil reais, se dá em razão do aguardo de ulterior decisão a ser protocolada no agravo n° 0297402016 ajuizada pelo SINFUSP/SL, cuja finalidade é a revogação da tutela que foi,  inicialmente, favorável ao município de São Luís.

Ilegalidade da greve

Na tarde da última terça-feira, 21, o SINFUSP/SL recebeu uma liminar do Plantão Judiciário de 2° grau, do Tribunal de Justiça do Maranhão, através do desembargador Raimundo Barros, que concedeu, em Ação Declaratória combinada com obrigação de fazer, em favor do município de São Luís, imediata suspensão/sustação do movimento grevista, sob pena do pagamento de multa diária, no valor de 10 mil reais.

A alegação do município de São Luís se baseia na justificativa de que os servidores, ao realizarem um Ato de Mobilização na segunda-feira, 20, na porta da Câmara Municipal, caracterizou-se como paralisação, comprometendo, assim, os trabalhos.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Secretário de Segurança do Maranhão associa casal Curió ao crime organizado

E o chefe dos Curiós amanheceu calado e enjaulado. Literalmente!
Ex-prefeito de Turilândia, Domingos Curió, preso na manhã de hoje, 24
Ex-prefeito de Turilândia, Domingos Curió, preso na manhã de hoje, 24
Falo do ex prefeito de Turilândia, Domingos Curió, que foi preso na manhã desta sexta-feira (24), juntamente com sua esposa Ângela Maria. Os dois estão sendo acusados de desviar recursos públicos, a exemplo do dinheiro da merenda escolar e de medicamentos. O casal Curió foi, inclusive, apresentado na Secretaria de Segurança Pública do Estado, nesta mesma tarde e já foi transferido para Pedrinhas.
De acordo com o secretário de Segurança Jeferson Portela, cheques em branco da Prefeitura de Turilândia, de quando Domingos Curió era prefeito (ele comandou a cidade entre 2005 a 2012), foram encontrados com o agiota Gláucio Alencar, ainda no ano de 2012. “Os cheques eram entregues em branco para preencher como bem entendessem. Dinheiro de merenda escolar, medicamentos. A verdade é que essas pessoas querem ter carrões, vidas luxuosas, tudo à custa da tragédia social e isso é grave. É papel do Sistema de Segurança combater esses crimes”, disse Portela.
Sobre o envolvimento da esposa de Curió, o secretário disse que vários aspectos levaram a sua prisão e que cada um responderá de acordo com sua responsabilidade. “Essa prisão é temporária, justamente para ajudar a elucidação da investigação criminal, que é o que vamos fazer já nesses próximos dias”.
Perguntei também ao secretário se o caso poderia respingar no prefeito de Governador Nunes Freire, Marcel Curió, filho de Domingos, no que ele respondeu: “Pode respingar em qualquer pessoa que tiver envolvimento com a prática criminosa”.
Domingos também é pai do jovem Paulo Curió, pré-candidato a Prefeito nestas eleições, também na cidade de Turilândia.
 Como funciona o esquema
Ainda segundo Jeferson Portela, essa modalidade é de crime organizado, que funciona da seguinte forma, “há um escritório, há um contador que frauda notas, há uma gráfica que faz a nota falsa e há pessoas intelectuais que apontam para a conduta criminosa mais grave”.
O chefe da segurança afirmou que é papel da secretaria de segurança combater todos os crimes que penalizam os milhares de maranhenses.
Tomara, né?
FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Em luto, cantora Eyshila diz que ter Jesus a mantém de pé: “Eu preciso seguir”

13427831_860526597387112_6433888820742302473_n
Eyshila e o filho Matheus (em vida)

A cantora Eyshila quebrou o silêncio em seu luto pela perda de seu filho mais velho, Matheus – que faleceu no último dia 14 de junho, vítima de uma meningite viral – e falou sobre a necessidade de permanecer de pé e continuar em sua jornada de fé.

Em um extenso texto publicado em sua página no Facebook, a cantora pontuou que “a saudade dói”, mas as situações de dor fazem questionar se “realmente sabemos fazer distinção entre o que é trivial ou importante”.

Eyshila pontuou que as divergências que existem no meio evangélico contribuem apenas para acabar com a paz: “Somos tão dedicados a causas e debates que, na maioria das vezes só servem pra expor o que há de pior em cada um de nós que, no anseio de provar a nossa razão, ofendemos e magoamos quem mais amamos. Não estou me referindo a princípios, pois estes não se discutem”.

“As pessoas têm me perguntado como eu consigo continuar de pé. Eis a resposta: Eu tenho Jesus. Ele é o dono da paz. Isso não me impede de chorar e clamar até cansar. Mas eu tenho certeza de que vai passar, e alguma coisa Deus vai me ensinar com tudo isso. Matheus foi recolhido por Deus, mas [o pastor] Odilon Santos [seu esposo] e Lucas [Oliveira, seu filho caçula] continuam comigo na jornada. Eu preciso seguir!”, afirmou.

Veja a íntegra da publicação da cantora:

Malaquias 4:6 – “E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais”. A saudade dói, mas também nos leva a refletir sobre o que realmente vale a pena. O que tem valor pra nós? Será que realmente sabemos fazer distinção entre o que é trivial ou importante? O que é permanente e passageiro? Será que de fato temos investido naquilo que é precioso? Somos tão dedicados a causas e debates que, na maioria das vezes só servem pra expor o que há de pior em cada um de nós que, no anseio de provar a nossa razão, ofendemos e magoamos quem mais amamos. Não estou me referindo a princípios, pois estes não se discutem. Sou adepta dos princípios bíblicos. Creio na inerrante Palavra de Deus. Mas creio que, independente de religião ou opinião, uma coisa todos querem; paz na família. Paz, apesar das lutas e batalhas diárias. Paz, apesar das tragédias e notícias inesperadas. Paz que que nos faz abrir mão do que temos como certo, afinal é melhor ter paz do que ter razão. Essa paz a qual me refiro tem dono: Jesus. Ele é o príncipe da paz. As pessoas têm me perguntado como eu consigo continuar de pé. Eis a resposta: Eu tenho Jesus. Ele é o dono da paz. Isso não me impede de chorar e clamar até cansar. Mas eu tenho certeza de que vai passar, e alguma coisa Deus vai me ensinar com tudo isso. Matheus foi recolhido por Deus, mas @odilonsantospr e @sarievilo (Lucas) continuam comigo na jornada. Eu preciso seguir! Não posso desistir de mim nem daqueles que eu tanto amo. Alguns já encerraram a sua jornada, mas não eu. Quem pode compreender os desígnios desse Deus cujos pensamentos e intenções são impenetráveis? Se eu pudesse entender tudo sobre Ele, eu seria seu deus e não Ele o meu. Que Jesus, o Príncipe da Paz, visite a sua casa e traga a reconciliação necessária para que venha o grande avivamento. Mais um dia de vida, Senhor! Obrigada!

Com informações site Notícias Gospel

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Medo ou autoritarismo: Greve dos servidores municipais é considerada ilegal pela Justiça antes mesmo de acontecer

Se já não bastasse os servidores municipais de São Luís estarem num sono profundo há décadas, quando estes resolvem acordar e pleitear os seus direitos trabalhistas e valorização profissional, não dizendo mais amém para as dezenas de patrões que já passaram pelo Poder municipal, mas, finalmente, entrando na briga contra a prefeitura de São Luís, esta, exercendo a soberania e influência do seu poderio, ‘arma’ e milhares de servidores são impedidos – antes mesmo de começar – de exercerem o direito de greve.

autoritarismo-e-democracia-no-brasil-3-638

Sim, na tarde desta terça-feira, 21, o Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos Municipais de São Luís – SINFUSP/SL recebeu uma liminar do Plantão Judiciário de 2° grau, do Tribunal de Justiça do Maranhão, que concedeu, em Ação Declaratória combinada com obrigação de fazer, em favor do município de São Luís, imediata suspensão/sustação do movimento grevista, sob pena do pagamento de multa diária, no valor de 10 mil reais.

A alegação do município de São Luís se baseia na justificativa de que os servidores, ao realizarem um Ato de Mobilização ontem, 20, na porta da Câmara Municipal, caracterizou-se como paralisação, comprometendo, assim, os trabalhos.

O SINFUSP/SL se defende e afirma que, em nenhum momento, desrespeitou ou prevaricou as preliminares do movimento paredista, informando ao Executivo Municipal, em Ofício de n°127/2016, encaminhado na tarde de segunda-feira, 20, com 72 horas de antecedência, da deflagração da greve geral dos servidores municipais de São Luís a acontecer somente na quinta-feira, 23 e que, através de sua Assessoria Jurídica, a Entidade vai recorrer da decisão, buscando a reforma desta, de modo a garantir o direito dos servidores públicos.

Indicativo de Greve

O Indicativo de Greve tinha sido aprovado pela categoria dos municipais, na tarde da última sexta-feira, 17, em Assembleia Geral, em repúdio à proposta de reajuste salarial de 2% oferecido pela Prefeitura de São Luís aos trabalhadores.

A imoralidade, pedância e resistência nas negociações por parte do Executivo Municipal com a Comissão de representantes dos servidores tem indignado os trabalhadores.

 

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Gestão de Ribamar Alves continua acertando em obras de asfaltamento

Santa Inês – A construtora contratada pela Prefeitura de Santa Inês iniciou ontem, 20, as obras de recuperação das ruas destruídas pelo serviço de esgotamento sanitário iniciado na gestão anterior. O pontapé inicial do serviço foi dado na manhã do último sábado (18), quando o prefeito Ribamar Alves e equipe esteve na Rua Edmilson Gonçalves, bairro Aeroporto, onde os engenheiros da construtora já estão com maquinário para iniciar o trabalho.

Prefeito Ribamar Alves esteve na deste sábado na Rua Edmilson Gonçalves, Bairro Aeroporto, por onde serão iniciadas as obras de recuperação das ruas de Santa Inês
Prefeito Ribamar Alves esteve na deste sábado na Rua Edmilson Gonçalves, Bairro Aeroporto, por onde serão iniciadas as obras de recuperação das ruas de Santa Inês

De acordo com Ribamar Alves, as obras vêm complementar um trabalho que vem sendo desempenhado na recuperação de ruas, uma árdua missão, já que até o momento o Município não havia recebido um centavo para investimento no setor. “Não recebemos recursos dos governos federal e, principalmente, o estadual para asfaltar as ruas de Santa Inês. Com a presidenta Dilma, repasse zero; governador Flávio Dino, repasse zero. Mesmo assim, pouco a pouco e com recursos da arrecadação municipal, já abrimos dezenas de novas ruas e recuperamos e revitalizamos as vias mais importantes de nossa cidade”, enfatizou Ribamar Alves.

O prefeito disse que graças à sua persistência e como resultado de sua peregrinação por São Luís e Brasília, usando de sua amizade ao longo de sua vida pública, a luta tem valido à pena e o tão sonhado projeto de reconstrução de Santa Inês propagado em seu plano de Governo está se transformado em realidade. “Graças a Deus acima de tudo, conseguimos êxito. Alavancamos a Educação, Saúde, Agricultura, Cultura e o Esporte. Agora, finalizaremos nosso plano de Governo investindo pesado em obras de infraestrutura, realizando o sonho da população da nossa cidade e proporcionando qualidade de vida a todos”, ressaltou o prefeito.

77c1cabb-8dda-4302-8d45-f9f212d0dd9b

O prefeito disse ainda que os recursos para a recuperação dessas ruas foram conseguidos junto ao Governo Federal, através do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica.

As informações são da ASCOM/SantaInês

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Governo do Maranhão x Prefeitura de São Luís: parceria que não vem dando certo

O Maranhão está de GREVE!

Capa do jornal O Estado do Maranhão
Capa do jornal O Estado do Maranhão

Por décadas, os milhares de maranhenses esperavam ansiosamente a proeza da parceria entre os governos, municipal e estadual. Em muitos discursos, em muitas campanhas eleitorais, em muitas promessas de candidatos, a junção entre os poderes seria a realização de uma capital e um estado que caminharia rumo ao desenvolvimento e, principalmente, a dar certo. Só que não!

Passados anos de ensaios do poderes, finalmente aconteceu o que os “mais velhos” sempre disseram, “quando o governo apoiar a prefeitura, tudo vai melhorar”. Eu mesma já ouvi, por várias vezes, papai dizendo isso. Eu também pensava, eu também acreditava que seria ‘a salvação dos nossos dias e futuro do estado’.

Ao ter o tal pensamento ilusório, eu esqueci que a proposta da política é diferente dos políticos. Política é ferramenta, político é o mentor. E na nossa política, os nossos mentores têm nos mostrado a que realmente vieram e o que estão fazendo pelo povo e pela cidade e estado. Vou me ater à política local.

Em 2012, governo Roseana Sarney (PMDB), Edivaldo Holanda Júnior (PDT), como um fantoche nas mãos do ‘arquiteto de ideias’ – Flávio Dino (PCdoB), foi criado e manipulado como o candidato a disputar a prefeitura de São Luís. É claro que todo mundo sabia qual o real interesse do comunista (que já vinha há anos tentando fortalecer o seu interesse em se tornar governador do estado). A palavra de ordem era MUDANÇA!

À época, os milhares de ludovicenses cansados de apanhar do então prefeito João Castelo (PSDB), apostaram no novo, apostaram no menino de riso fácil e abraço caloroso. Apostaram nas centenas de promessas. Apostaram e acreditaram que, agora sim, São Luís viveria coisas novas e novas oportunidades e desenvolvimento. Apostaram, sem dúvida, que a mudança, enfim, chegaria.

O povo acreditou e votou e Edivaldo venceu as eleições, desbancando o prefeito e candidato à reeleição – que se considerava o experiente -, Castelo.

Durante o ano de 2013 e 2014, além de eleitores, sociedade em geral, ficou esperando o grande marco da gestão de Edivaldo, que parecia mais perdido do que cego em tiroteio. Um secretariado de amadores foi logo constituído, sendo, por inúmeras vezes, trocado de seus postos, deixando mais vulnerável a sua gestão.

Como falei acima, Roseana Sarney – governadora -, até tentou a tão sonhada parceria em prol do povo. Houve até o dizer “vamos salvar São Luís”. Mas, infelizmente, como um menino apenas mandado pelo seu mentor, Edivaldo não foi autorizado por Flávio Dino em aceitar a proposta de parceria. Ou seja, olha a diferença entre a política e os políticos. NÃO ao povo .. SIM ao ódio e aos seus interesses pessoais.

É óbvio que Flávio Dino jamais aceitaria tal ajuda, afinal, como um ser que só pensa em si, em manifestar o seu ódio pessoal pela família Sarney e outros desafetos, abriria mão da prefeitura de São Luís para pantetear o seu projeto?

Flávio Dino foi eleito governador do Maranhão com a ajuda da prefeitura de São Luís, claro, com a proposta da MUDANÇA. Maranhenses desesperados em novas oportunidades, num novo Maranhão, creditaram e acreditaram nos ‘diálogos de gogó’. Pronto, agora a parceria tão esperada entre a prefeitura de São Luís e o Governo do Estado vai nos salvar. Tudo vai mudar.

Hoje, 2016, quase 4 anos de mandato de Edivaldo Júnior, quase 2 anos completos do governo de Flávio Dino e o que se pode ouvir dos milhares de ludovicenses e maranhense? Hoje, podemos ouvir somente a palavra GREVE, ao pé da letra, acompanhada das palavras de ordem: Flávio Dino nunca mais, Edivaldo Júnior nunca mais.

Os maranhenses estão em greve de sonhos, de oportunidades há anos. Até hoje esperamos a mudança prometida, aquela que viria e não tardaria.

Ai vai ter alguém que pode questionar, com toda razão, “ah e os governos passados”? Sim, os governos passados usaram também apenas a política como ferramenta para a maioria de suas benesses. Como sempre, é o povo que paga a fatura ao final. Não foram governos passados que prometeram ‘limpar’ as cidades e o estado. Foi o atual.

Quase 2 anos de ‘parceria’ e não consegui vislumbrar nada novo na cidade e nem no estado. Os gestores atuais parecem viver eternamente na sombra dos gestores passados. Tudo é atribuído ao fracasso de mandatos passados. Tá, tudo bem .. mas e o novo? O que pode ser proposto para o povo a partir daqui? Como podemos trabalhar a partir daqui? Cadê a mudança, cadê as coisas novas?

O Maranhão está em greve. A educação está em greve. Servidores municipais aprovaram indicativo de greve – movimento paredista começa quinta-feira, 23. Os policiais civis estão em greve. Funcionários do Detran/Ma deflagraram greve.

O que esperar de governos que pregaram diálogo, mas que não dialogam? O que esperar de governos que perseguem trabalhadores? O que esperar de governo que não valoriza professor e educação? O que esperar de governo que só exala ódio aos seus desafetos e ainda trai os afetos? O que esperar de um governo que não ouve, só ordena? O que esperar de um governo que maquia a cidade somente em vésperas de eleição?

Na prática, estamos tendo, mais uma vez, a infeliz certeza e vivência de que não importa a promessa de parceria, se não há a disposição para trabalhar. Não importa se os governos são ‘aliados’, pelo menos aparentemente, o que realmente importa para a sociedade é que desavenças políticas sejam menores do que o anseio do povo e o bem para a sociedade. A parceria do Governo e Prefeitura não vem fazendo bem para São Luís e nem para o Maranhão. Mais uma vez, a política vira zero como ferramenta e meio de direcionar (para melhor) a sociedade e vira, como sempre, o meio pessoal pelo qual pessoas realizam suas vontades obscuras e intocáveis.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Servidores municipais sofrem violência e repressão em Ato de Mobilização contra a Prefeitura de São Luís

Um Ato de Mobilização organizado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Luís – SINFUSP/SL e o SINDEDUCAÇÃO – Sindicato dos Profissionais do Magistério da Rede Municipal de São Luís aconteceu na manhã desta segunda-feira, 20, em frente a Câmara Municipal. A mobilização se deu em repúdio ao golpe que o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) deu nos servidores, ao mandar, na surdina, mensagem aprovada apenas por ele, do reajuste salarial referente a Data Base 2015, de 2% para os servidores municipais e 3,5% para os professores. Edivaldo conta com a aprovação da maioria de vereadores na Casa.

Sindicatos municipais juntos, em defesa da categoria
Sindicatos municipais juntos, em defesa da categoria

Na última sexta-feira (17), a categoria aprovou indicativo de greve, com grande mobilização a ser realizada hoje.

Durante o Ato, centenas de servidores com cartazes, apitaços e palavras de ordem manifestaram total indignação ao desrespeito e desvalorização que vêm sofrendo por parte do Executivo Municipal. O intuito dos servidores é impedir que os 31 vereadores – que mais parecem eleitos pelo prefeito, do que pelo povo – aprovem a mensagem de Edivaldo.

“É uma imoralidade o que a gestão Edivaldo Júnior vem fazendo com o servidor. Transforma os seus aliados em capachos e transforma o povo que o elegeu, que acreditou em um novo jeito de governar, de fazer política, em inimigos. Tem se tornado maior mentiroso e o maior inimigo dos trabalhadores e das crianças que são estudantes”, desabafou um servidor.

As diretorias dos Sindicatos acompanhadas de servidores ainda tentaram entrar na Câmara, pela porta da frente – que diga-se de passagem é a Casa do Povo -, mas foram impedidos e os portões estavam duramente passados correntes e cadeado.

bb7d133b-89ae-43f0-bb5f-c9f6821e10bd

Ao tentarem adentrar o interior da Casa pelo portão lateral, sofreram repressão e violência dos seguranças. Um deles até tentou agredir uma idosa, sendo segurado pelos manifestantes.

Em tempo

– Até o fechamento dessa matéria (10 horas e 40 minutos), há informações de que nenhum vereador chegou para a sessão na Câmara.

– É a 1° na história do serviço municipal que os servidores aprovam indicativo de greve, realizando antes, mobilização.

– Os profissionais da rede municipal de ensino estão em greve há quase 1 mês.

 

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

“O prefeito Edivaldo Júnior abandonou a saúde de São Luís e, agora, às vésperas das eleições vem fazendo uma maquiagem”, denunciou médico do Socorrão I

Médico Allan Garcês
Médico Allan Garcês

Em entrevista concedida à mim, na tarde desta sexta-feira, 17, o médico Allan Garcês, do Socorrão I, com muita insatisfação desabafou acerca das condições de trabalho, de serviços e estruturais da saúde do município. A inoperância, limitação e deficiência na prestação do serviço da saúde pública na capital, tem apenas 1 culpado, a gestão municipal, que segundo o médico, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior a abandonou. “A gestão de Edivaldo Júnior abandonou a saúde de São Luís e, agora, às vésperas das eleições vem fazendo uma maquiagem”, contou.

Quando o médico começou a discorrer sobre a situação da saúde, tive a curiosidade de perguntar sobre a questão das macas no corredor do Socorrão I, pois é sabido que o prefeito Edivaldo tem limitado a saúde do município a dizer que “limpou” o corredor do Hospital, retirando de lá as macas.

O médico foi bastante incisivo na resposta, ao que afirmou “Edivaldo vem enganando a população em todas essas propagandas que aparecem na Tv. Ele retirou as pessoas do corredor do Socorrão I e entupiu e escondeu na Santa Casa”. Nesse momento, o profissional me convidou a ir ver in loco a situação humilhante e penosa no Hospital Santa Casa.

CAPA-1-_prefeito_visita_socorrao_i_070516_foto_fabriciocunha_273
Segundo a denúncia do médico, Edivaldo retirou as pessoas do corredor do Socorrão I e escondeu na Santa Casa”.

Segundo Allan Garcês, as pessoas hospitalizadas foram transferidas para um outro Hospital que está faltando tudo. “Lá falta medicação, materiais básicos para cirurgia, falta gaze para fazer um curativo, fio de sutura. A situação é muito precária e não o que se vê na televisão”, denunciou.

Salários atrasados

A entrevista toma outro rumo quando o servidor municipal denuncia, também, o abuso do prefeito em atrasar o salário dos profissionais. Para ele, é um desrespeito grande com os funcionários.

“O pessoal da limpeza que ganha 1 salário mínimo, estava há 3 meses com salário atrasado. Isso é imoral e essas condições não podem continuar”, afirmou Allan.

O meu entrevistado tocou em um ponto que eu sempre friso nos meus textos, a questão da “mudança” pregada pelo prefeito Edivaldo Júnior e que até o fez ganhar a eleição, mas, no mesmo pensamento unânime de todos os ludovicenses que estão padecendo com a gestão que vem nos maltratando, tudo realmente mudou, mas foi para pior.

“Os pagamentos estão assim, os médicos estão sendo pagos com atraso, os anestesistas, por exemplo, estavam há 6 meses com os salários atrasados e receberam apenas 1 pagamento, ou seja, continuando 5 atrasados e assim sucessivamente com toda a categoria dos profissionais da saúde”.

Em relação a proposta de reajuste salarial 2016 de apenas 2% oferecido pela prefeitura de São Luís, o médico Allan Garcês diz se envergonhar com tamanha imoralidade. “Essa proposta imoral de reajuste fere a dignidade do servidor público, é atacar no íntimo da dedicação e amor ao trabalho do funcionário, por isso, os médicos do Socorrão I vão parar.

Allan quis pontuar que como os médicos têm responsabilidade ética e moral com a vida, os serviços de urgência continuarão. Exceto os atendimentos de consultas, os quais serão suspensos.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Aníbal Lins demonstra solidariedade à luta dos servidores municipais na briga pelo reajuste salarial 2016

Na calorosa Assembleia Geral Específica do Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos Municipais de São Luís – SINFUSP/SL com a categoria (reveja aqui), a presença do experiente presidente – licenciado – do SINDJUS-MA (Sindicato dos Servidores da Justiça do Maranhão) Aníbal Lins, foi bastante agregadora em ajudar a classe dos municipais na decisão, com responsabilidade, dos novos rumos a tomar no que diz respeito a luta com a Prefeitura de São Luís por um reajuste salarial valoroso e que contemple os trabalhadores.

Aníbal Lins com a palavra
Aníbal Lins com a palavra

Aníbal Lins com vasto conhecimento em defender causas de minorias injusticadas e desrespeitadas, presidir inúmeras reuniões e assembleias, partir para o enfrentamento do que acredita e sempre lutar pela categoria dos servidores da Justiça, a qual por anos foi presidente, usou de suas palavras na Assembleia do SINFUSP/SL para prestar solidariedade à luta dos servidores municipais, que de forma humilhante e ditatorial vêm sendo obrigados a ‘engolirem’ a proposta indecorosa de reajuste salarial 2016 de apenas 2%, oferecido pelo Executivo Municipal.

“Quero prestar a minha solidariedade à luta de vocês, para que sejam tratados da forma digna que merecem ser tratados por qualquer gestor público. Sindicato é luta e precisa estar independente a qualquer governo. É necessário que sempre saibamos respeitar os governos e entrar e sair por suas portas com a independência para representar e defender, de cabeça erguida, os direitos dos trabalhadores que a Entidade representa. O SINFUSP/SL está fazendo história e não deve se sentir amedrontado pelo patrão”, encorajou Aníbal – que é servidor do Judiciário maranhense.

Aníbal ainda esclareceu, de forma bastante contundente aos servidores, o direito de greve e sua legitimidade e legalidade do movimento. Além de aconselhar a categoria a observar os dispositivos da Lei de Greve, para que esta possa estar preparada para eventuais punições e brigas na Justiça.

“O pleito de vocês em realizar uma greve é um feito histórico. Mas, é fundamental estarem unidos, mostrando força e adesão. O prefeito já mandou o projeto de reajuste de 2% para a Câmara, para os vereadores aprovarem, não é isso? Os 31 vereadores vão precisar responder a vocês, aos 600 mil eleitores e aos mais de Hum milhão de ludovicenses, de que lado estão. Se são vereadores para melhorias do povo ou se são vereadores obedientes às ordens do Prefeito”, indagou.

Ao final, Aníbal Lins parabenizou pela coragem, iniciativa e altivez dos servidores municipais. “Recebam aqui a minha solidariedade e o meu encorajamento. Se vocês querem iniciar uma greve, mesmo que a prefeitura tenha 30 mil funcionários e a adesão ao movimento de vocês tenham apenas 70, serão esses 70 trabalhadores que vão reescrever a história do município de São Luís”. Com essa coragem, Aníbal foi amplamente aplaudido pelos servidores.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail