Intermediador: Deputado Wellington realiza reunião e manifestantes desocupam Prefeitura de Barreirinhas

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) se reuniu, na tarde desta sexta-feira, 24, com os aprovados no concurso da Prefeitura de Barreirinhas, que aconteceu em 2016.

A reunião é desdobramento do encontro de ontem quando, após a chegada do deputado Wellington à cidade, os aprovados que estavam acampados na sede da Prefeitura como forma de protesto há 03 dias, acataram a solicitação do parlamentar e desocuparam o espaço. Os aprovados fizeram isso após o deputado Wellington se comprometer em realizar audiência pública, a fim de discutir a convocação dos aprovados no último concurso por parte da Gestão Municipal.

“Nós estudamos, nos preparamos e, agora, vimos que o Prefeito quer contratar e não quer convocar quem foi aprovado”, disse Irlana Mendonça, uma das 328 aprovadas que realizaram o concurso em abril de 2016 e foram nomeados no dia 27 de dezembro e, até o presente momento, não tomaram posse.

Sobre a situação, Wellington destacou que, enquanto deputado, não pode resolver o problema, mas que está à disposição para intermediar esse acordo entre aprovados e Prefeitura.

“Eu vim a Barreirinhas a pedido dos aprovados no último concurso que encaminharam a solicitação até o nosso gabinete. Como deputado estadual, eu não tenho a atribuição de dar posse a ninguém. Afinal, essa administração cabe ao prefeito. No entanto, coloco-me à disposição para intermediar esse diálogo entre aprovados e Prefeitura”, dispôs-se Wellington.

Audiência Pública

Após duas reuniões com os aprovados, ficou agendada uma Audiência Pública para o dia 08 de Março, às 16h, que deve contar com a presença do Prefeito, de vereadores, do Ministério Público, da Defensoria Pública, do Judiciário, de secretários e dos aprovados. Além disso, o deputado Wellington encaminhará a solicitação por meio de indicação, na Assembleia Legislativa, ao prefeito e secretários da cidade.

Em liberdade! Ex-goleiro Bruno é solto após 6 anos de prisão pelo assassinato de Eliza Samúdio

Bruno deixou prisão após 6 anos, com autorização do STF

O ex-goleiro Bruno deixou a prisão na noite desta sexta-feira (24), após seis anos e sete meses de reclusão por ter sido condenado por matar a ex-namorada Eliza Samudio.

Ele saiu do presídio em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, após uma liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal. Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato de Eliza.

Segundo Marco Aurélio, o goleiro tem o direito de aguardar o julgamento do recurso em liberdade, já que é réu primário e possui bons antecedentes criminais.

Internautas repudiam ‘carnaval’ oferecido pelo Governo do Maranhão

“Bom dia, sou presidente do Bloco Urso Caprichoso e compartilho da mesma indignação, pois excluíram o bloco que tem três décadas de apresentações e, hoje, simplesmente foi eliminado por um motivo inaceitável, já que o erro partiu de dentro da secretaria. Pediram uma declaração da Caema, mas em momento algum nos foi dito que essa declaração teria que ir com uma data específica. Isso é apenas um sinal da falta de organização e de informação, além do mais, levei a bendita declaração, mas, mesmo assim, não fomos credenciados” – internauta.

A onda de críticas ao que foi apresentando aos ludovicenses neste carnaval 2017 – tanto pela prefeitura, quanto pelo governo do estado -, melhor seria se tudo ficasse no famoso clichê “deixa quieto”.

Por onde passo ouço da maioria dos eternos apaixonados pela época festiva “que nem de longe São Luís faz carnaval como nos velhos tempos”. Outros mais saudosos lamentam, “uma época dessa a cidade estava efervescente, cheia de turistas, toda decorada e bombando de blocos, programações. E a Madre Deus? Ah, a Madre Deus era o maior palco do espetáculo”.

Diz que essa “decoração” é para o tal de circuito carnavalesco. (risos)

Bom, lamentações como estas são fáceis de serem ouvidas por todos os cantos. Claro, para este ano, o máximo que a PARCERIA da Prefeitura de São Luís com o Governo do Estado, conseguiu, juntas, produzir, foi uns pedaços de papelões nuns postes ‘pingados’ pelo Centro da capital. Diz que “decoração” do circuito carnavalesco.

Mas a vergonha não para por aí. Segundo informações de internautas, a Rua Portugal, no Centro Histórico, foi enfeitada, com umas contadas bandeirinhas, somente para a gravação de um comercial (ilusório) de carnaval.

Uma outra internauta foi mais além em um desabafo na rede social.
“Estou impressionada com o que tenho ouvido de relatos de amigos artistas que farão shows nesse carnaval pelo governo do estado. Impressionada com as pessoas enfiarem a boca num saco e gritar mudo. Impressionada.
Baile do Baleiro? Sério que vocês acham isso maravilhoso? E por isso não tem crítica e por isso tá tudo certo?
Mais uma pra conta da decepção.

E eu neste post marco Diego Galdino, Márcio Jerry Saraiva Barroso, Raydenisson Sá e sei lá mais quem. Estarrecedor”.

 

Foliões com os ânimos mais exaltados chegam a questionar o “que Zeca Baleiro tem a ver com carnaval” e respondem “nada”.

Denúncia

Segundo o desabafo/denúncia da internauta, o governo do estado vai pagar ou já até pagou R$ 300 mil reais para o cantor maranhense Zeca Baleiro, o qual vai fazer um tal de Baile do Baleiro, na terça-feira de carnaval, 28. Enquanto isso, outros cantores maranhenses, diversos artistas e grupos com anos de serviços prestados estão amargando, à mercê de qualquer oportunidade, reconhecimento e tostão.

Eu concordo plenamente. Hoje chorei ao ver a situação de diversas entidades carnavalescas…vocês não tem noção da gravidade. Estou muito frustrada em ver o ponto que chegamos! O meu povo…o povo da Cultura Popular (os fazedores de verdade) está em depressão!” – desabafou outra internauta.

 

Deputado Júnior Verde quer reativar Comissão Especial da crise das siderúrgicas do Sul do Estado

O deputado estadual Júnior Verde (PRB) quer reativar a Comissão Especial que busca soluções para a crise das siderúrgicas do Sul do Maranhão. O parlamentar recebeu, esta semana, um grupo de vereadores da região solicitando a reativação do colegiado, que foi criado em abril de 2015 para evitar demissões e criar mecanismos de incentivo ao setor.

O grupo, composto por vereadores de Açailândia e representantes das empresas de siderurgia, foi recebido no gabinete do deputado. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas de Açailândia (STIMA), Antônio da Silva, relatou que a situação ainda é delicada e que o setor enfrenta uma crise preocupante.

 O vereador Jardes Adelino, que também é sindicalista, solicitou a reativação da Comissão Especial, na esperança que não apenas cessem as demissões, mas que novos postos de trabalho sejam criados.

 Júnior Verde relatou os resultados alcançados durante a atuação dos parlamentares que integravam a Comissão. “Estivemos com o governador, que na ocasião, garantiu o crédito de ICMS, uma das reivindicações dos empresários para não fecharem as portas e também a questão ambiental, entre outras que surtiram efeitos positivos”, lembrou.

 No mesmo dia, outro deputado se pronunciou sobre a necessidade do retorno das atividades da Comissão. “É importante que possamos formalizar novamente essa Comissão. Ir à Açailândia, ouvir os empresários, acolher as demandas e tomar as medidas necessárias para fortalecer as indústrias locais”, acrescentou o parlamentar – que formalizará a solicitação para reativar a Comissão no início do próximo mês.

Como não é mais o queridinho de Flávio Dino à frente da prefeitura de Caxias, Saúde padece sem recursos

Do Blog Ludwig – com alterações

De tanta falta de atenção que vem passando a Saúde de Caxias, principalmente depois que o candidato de Humberto Coutinho (PDT) e Flávio Dino (PCdoB) foi derrotado de forma humilhante nas urnas, na última eleição municipal, o município deixou de ter os ‘olhos’ do governo estadual voltado para as necessidades da cidade. Diante disso, o Conselho Municipal resolveu ir às ruas manifestar para tentar chamar a atenção das autoridades competentes para o descaso. Atitudes egoístas, deixando as pessoas padecerem mostra o quanto o rancoroso governador “de Todos Nós”, administra o estado de forma unilateral e de preferências políticas.

Com o tema “A saúde é SUS, o direito é seu”, o Conselho Municipal de Saúde de Caxias, por meio da comissão organizadora da mobilização popular em prol da saúde do município, realizou na manhã desta quinta-feira (23) uma caminhada de conscientização que teve início na frente da Igreja da Catedral e seguiu pelas principais ruas do centro até a praça Gonçalves Dias.

O município de Caxias vem perdendo recursos financeiros que mantém o funcionamento de diversas unidade de saúde, além de alguns programas, tudo isso por questões política – algo confirmado por vários manifestantes durante a caminhada.

“Com relação ao objetivo da mobilização, é mostrar que, mostrar não, exigir que os entraves políticos, os acordos políticos, que a população de Caxias não pague por isso! Que a gente sabe, Saúde, a Carmosina Coutinho, a UPA é tripartite. Caxias tem sua responsabilidade, o governo federal tem sua responsabilidade. Mas, o governo do estado também tem sua responsabilidade. E a gente está exigindo aqui hoje essa contraparte do estado porque está deixando de mandar para Caxias. O último repasse feito do governo do estado para a Carmosina Coutinho, foi em dezembro do ano passado. Desde lá até hoje não caiu um tostão do governo do estado”, denunciou o manifestante Marcos Silva.

Destaque da manhã: Francisco do Vale – presidente do SINFUSP/SL e supervisor de Terminal de Integração. Pode?

A onde de denúncias contra o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Luís – SINFUSP/SL, Francisco do Vale não para.

Em mãos com a lista de Supervisores dos Terminais de Integração de São Luís, quem aparece para a minha surpresa? Sim, ele, Francisco do Vale, o presidente do SINFUSP/SL – aquele que é servidor da SMTT, mas que está licenciado para a função de presidente da Entidade, desde Novembro de 2015.

Mas, perai .. se Francisco está licenciado de suas atribuições lá na SMTT, por que continua como supervisor do Terminal de Integração da Praia Grande?

Pelo que conheço da realidade do tal presidente, sua função de presidente o obriga a estar “ocupado” com os interesses da categoria de servidores municipais, lutando pelas conquistas e melhorias de trabalho e qualidade de vida dos mesmos. Impossível dar tempo de ter essa “vida dupla” de trabalho.

Pelo visto, o tal quer continuar mamando de todos os lados. É o besta!

P.S – Um p.s que não pode passar despercebido é que na relação de supervisores existem outros diretores da Entidade Sindical

O mais interessante é que parece que a prefeitura de São Luís compactua com todas as “vantagens” para o tal presidente.

Ministério Público, que tal dar uma investigada no Sindicato?

Te decide: SMTT volta atrás e diz que aguardará decisão da Câmara de Vereadores para iniciar ou não fiscalização contra os veículos UBER

Uber começou a fazer corridas ontem em São Luís
Foto: O ESTADO

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), divulgou nota oficial sobre o início da atuação da Uber na capital. O órgão reiterou o que o titular da pasta, Canindé Barros, disse depois que revogou a própria declaração de que seria iniciada fiscalização para impedir que os veículos do serviço façam corridas em São Luís.

A SMTT, afirmou na publicação, que o “serviço de transporte por meio do aplicativo Uber não está regulamentado no município de São Luís e que aguarda o resultado de projeto em tramitação na Câmara Municipal acerca da regulamentação do serviço na cidade”. Disse, ainda, que a fiscalização em ruas e avenidas da capital é realizada de forma rotineira, de modo a garantir o respeito às leis de trânsito, bem como a segurança no tráfego e no transporte de passageiros”.

Entenda o caso

Na noite de ontem Canindé Barros havia dito que a SMTT já estava autorizada a recolher os veículos que estivessem fazendo corridas pelo aplicativo. A declaração do secretário repercutiu negativamente e uma enxurrada de críticas tomaram conta das redes sociais.

Menos de 12 horas depois, porém, Canindé Barros recuou e afirmou que aguardará decisão da Câmara de Vereadores para iniciar ou não fiscalização contra os veículos que fazem o transporte de passageiros por meio do aplicativo Uber.

O Projeto de Lei 001/2017, citado pelo secretário, é de autoria do vereador Paulo Victor (Pros). O parlamentar criticou o posicionamento de Canindé Barros e disse que o secretário fez um “infeliz comentário”.

O PL foi protocolado no dia 23 de janeiro e ainda não tem data para ser discutido. Para que análise e discussão da proposição não se estenda por muito tempo, o parlamentar entrou com um pedido de urgência ainda na primeira quinzena deste mês.

De O ESTADO

Não mais! UBER está impedido de funcionar em São Luís; Prefeitura não permite

De acordo com Canindé, “enquanto não houver uma lei, o serviço não será autorizado em São Luís”.

Em entrevista no início da noite desta terça-feira  (21) a um programa de rádio, o Secretário Municipal de Trânsito e Transporte de São Luís, Canindé Barros, afirmou que a SMTT está autorizada a apreender os veículos que estão trabalhando pelo Uber, na capital.

O serviço começou a operar ontem em São Luís.

O Uber é um aplicativo de celular que conecta uma pessoa a um motorista particular. O carro  é pedido do mesmo modo em que se pede um táxi e consiste na utilização de carros mais compactos e com preços mais acessíveis, segundo informa a gerente de comunicação da plataforma, Letícia Mazon.

Entenda o caso

O Projeto de Lei que regulamenta o serviço em São Luís, já foi protocolado, mas ainda não foi votado na Câmara Municipal do município, porém o autor do PL, vereador Paulo Victor (Pros), informa que até março o texto será votado em plenário.

A gerente da plataforma elogiou a iniciativa do vereador Paulo Victor (PROS) – que criou um Projeto de Lei que facilitará a entrada do serviço na capital. Ela fez questão também de ressaltar que a Uber não é concorrente dos táxis e nem do transporte público.

O Sindicato dos Taxistas de São Luís, informou que não haverá protestos nas ruas da capital por causa do serviço do Uber na cidade.

Posicionamento da SMTT

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) informou que o serviço de transporte do aplicativo Uber não está regulamentado no município de São Luís. A secretaria afirmou ainda que realiza rotineiramente ações de fiscalização nas ruas e avenidas da capital.

Imirante

Deputado Wellington solicita Plano Emergencial de Recuperação Asfáltica para avenidas de São Luís

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) apresentou, na sessão plenária de hoje (21), proposição em que há Plano Emergencial de Recuperação Asfáltica para as principais avenidas de São Luís que estão repletas de buracos e causam inúmeros transtornos à população. A solicitação deve ser encaminhada ao prefeito Edivaldo Júnior – que ninguém nunca mais ouviu falar – e ao secretário de Obras e Serviços.

O que chega a ser engraçado, se não fosse triste (que paradoxal), é que hoje em dia passamos pelas ruas e avenidas e, infelizmente, não temos mais o prazer de ver as máquinas da prefeitura trabalhando a todo vapor, de dia e de noite, enfiando asfalto até nas calçadas do povo, a torto e a direito. Claro, não vemos mais porque a campanha acabou e ‘graças’ a ilusão do asfalto Edivaldo Júnior foi reeleito.

Como a campanha acabou, o asfalto sonrisal e de péssima qualidade começa a se revelar, dando lugar a buracos e crateras ao longo das vias.

Plano emergencial

Sobre o Plano Emergencial, Wellington destacou várias solicitações que o gabinete recebeu e citou avenidas como a Avenida João Pessoa, no bairro do João Paulo, Avenida São Luís Rei de França; além de vias públicas do Cohatrac, dentre outras.

“A solicitação que aqui apresentamos não é minha, mas da população que padece com a falta de infraestrutura nas principais vias públicas de São Luís. Como exemplos podemos citar a Avenida São Luís Rei de França; Avenida João Pessoa, no bairro do João Paulo; Avenida Jerônimo de Albuquerque; Avenida dos Holandeses, dentre outras. Sabe-se que tal problema não pode ser solucionado de uma hora para outra, mas compreende-se também que a elaboração de um Plano Emergencial é capaz de atenuar os atuais transtornos enfrentados pela população. De imediato, frisa-se o alcance do Plano, ao menos, nas principais vias públicas, já que são por elas que há o fluxo mais intenso”, afirmou Wellington.