Ação Inédita: Com gabinete móvel, deputado Wellington do Curso quer estar mais perto do povo

Pode falar quem quiser falar e quem não tem capacidade para fazer igual ou porque o comodismo não deixa, mas a verdade é que o deputado estadual Wellington do Curso (PP) tem se mostrado o político maranhense revolucionário. Geralmente quem fala e quem critica é porque não faz nada. Das duas uma, ou fala por despeito ou porque quer fazer igual.

Com ação inédita e com o desejo cada vez mais crescente de estar mais perto da população, Wellington do Curso inaugurou na tarde desta terça-feira, 24 – já em atividade – o Gabinete Móvel. A inauguração, que se fez na prática, aconteceu durante deslocamento para participar de uma audiência que aconteceu em Bacabeira. O objetivo é levar para junto da comunidade, para os municípios e nos bairros periféricos da cidade, as ações do deputado Wellington, ouvindo as principais reivindicações da comunidade.

Deputado Wellington sempre está onde o povo está
Deputado Wellington sempre está onde o povo está

“Ouvir a população é o que nos motiva a cobrar e a fiscalizar. Por isso, com o Gabinete Móvel queremos percorrer bairros e, assim, os municípios de nosso Maranhão. O que queremos é ouvir os anseios daqueles que não conseguem ir até à Assembleia Legislativa. Além de ouvir, pretendemos encaminhar as reivindicações da população e, assim, cobrar e fiscalizar o cumprimento de direitos”, afirmou o deputado.

Ao ser questionado sobre a inédita ideia referente ao Gabinete Móvel, Wellington enfatizou a participação popular que, para ele, é essencial em uma atuação política independente. Ressaltou ainda, que ir ao encontro do povo não significa somente pedir votos, mas conhecer e conviver com a realidade diária do povo, além de buscar soluções para os problemas da coletividade.

Como funciona o gabinete móvel

O Gabinete Móvel consiste em uma van, em que o deputado Wellington e sua equipe, percorrerão bairros da capital, e de demais municípios do Maranhão. Nessa van, há uma espécie de “sala de atendimento” que será direcionada à população, a fim de receber denúncias, solicitações e, posteriormente, transformá-las em proposições na Assembleia Legislativa.

O Gabinete Móvel possui uma agenda que será previamente divulgada. Para solicitar a visita, qualquer cidadão pode entrar em contato com a Equipe WC, através do número (98) 99911 0011 e justificar a solicitação.

Adriano Sarney também lança a Caravana Verde

Não obstante, o deputado estadual Adriano Sarney (PV) também anunciou, nesta quarta-feira (25), a Caravana Verde, que vai percorrer o Maranhão. “Essa ação vai ser muito importante pois vamos dar voz à população”, declarou o deputado.

 

Van da Caravana Verde

Segundo o deputado, a Caravana Verde é um projeto desenvolvido pelo deputado com objetivo de ampliar o diálogo com a população, lideranças sociais e comunitárias, não somente da Grande Ilha mas também dos diversos municípios do interior, para tratar dos principais problemas de cada região, coletar sugestões e discutir ações e projetos já desenvolvidas pelo parlamentar na Assembleia.

 

P.S – Eu, particularmente, parabenizo a iniciativa dos dois jovens deputados, que vêm colocando muito parlamentar veterano e acomodado no bolso. 
O meu desejo é que essa ferramenta dos nobres deputados, em favor da sociedade, seja realmente aplicada para os fins dos quais está sendo proposta.
FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Santa Inês: Prefeitura realiza II Seminário do PNAIC 2015

4de79143-3f8e-494f-b7a4-abd8be2752a5
O PNAIC é um programa assumido pelos governos Federal, Estadual e Municipal

A Secretaria de Educação da Prefeitura de Santa Inês realizou na manhã do último sábado (21/05), o seminário de encerramento das atividades 2015 do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC).

O evento aconteceu no pátio da Escola Municipal Terezinha Lopes e contou com a participação do secretário municipal de Educação, Paulo Rodrigues; da coordenadora municipal do PNAIC Érika Fernanda Soares, além de educadores e comunidade em geral.

Sob o tema “Criança e Infância”, o seminário marcou o encerramento das ações desenvolvidas no ano de 2015, que teve foco na organização interdisciplinar das práticas escolares para a alfabetização. A programação contou com relatos sobre o PNAIC; dramatizações, paródias, leitura dos acervos feitos pelos alunos, além de exposição dos trabalhos realizados durante as formações do Pacto.

Ao usar da palavra, o secretário municipal de Educação, Paulo Rodrigues, enfatizou que a gestão do prefeito Ribamar Alves conseguiu avançar em inúmeros aspectos na educação de Santa Inês. “Santa Inês há 20 anos se mantém na taxa de ofertas para as creches, mas na gestão do prefeito Ribamar Alves iniciamos com 0% da oferta e hoje estamos com 14%, podendo chegar a 25% da oferta até o final deste ano”, disse Paulo, acrescentando que a atual gestão investe na educação municipal, promovendo conhecimento através de permanente formação continuada. Além disso, implantou o Plano de Cargos, Carreiras e Salários, com 97% dos professores enquadrados e muitos outros benefícios.

A coordenadora Érika Fernanda disse que o PNAIC trouxe uma nova concepção do que seja alfabetizar, trazendo, também, inúmeros resultados positivos para o educador e o educando de Santa Inês. “O PNAIC oferece mecanismos para o professor trabalhar de forma diferenciada, facilitando o conhecimento ao professor e o melhor de tudo foi que o professor abraçou isso”, afirmou Érika.

A coordenadora ainda ressaltou que as crianças estão sendo alfabetizadas na perspectiva do letramento, pois elas são alfabetizadas para uma vida, no convívio social, para a leitura na sociedade de forma mais ampla.

f09b8e11-0ba0-42bf-a086-a478f0eaf08a

Em 2015, o PNAIC contou com a participação efetiva de 180 professores do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental.

Para 2016, serão inscritos 212 professores do 1º ao 3º ano, salas multifuncionais, além do cadastro de e 21 escolas prioritárias, onde irão participar professores do 4º ao 9º ano, para esta próxima formação do PNAIC. “Essas formações só vêm para somar e os professores aprendem e realmente levam o aprendizado para a prática em sala de aula. Nossa novidade para este ano são as 21 escolas prioritárias, aquelas onde os alunos têm dificuldades no aprendizado”, explicou Érika.

O PNAIC é um programa assumido pelos governos Federal, Estadual e Municipal, com o objetivo de assegurar que todas as crianças até os oito anos de idade estejam alfabetizadas ao final do 3° ano do Ensino Fundamental.

 

As informações são da ASCOM/SantaInês

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Apicum-Açu 2016: Oswaldo Sabóia e Werly Monteiro lançam projeto “Planejando Apicum-Açu pelos próximos 12 anos”

Ocorreu na manhã do último domingo (22) o lançamento oficial do PA-12 – “Planejamento Apicum-Açu pelos próximos 12 anos”.

saboia2-768x512
Oswaldo Sabóia, Werly Monteiro e o secretário Diogo Diniz.

Idealizado pelo pré-candidato a prefeito pelo PDT, Osvaldo Sabóia e pelo seu vice Werley Monteiro, o PA-12 visa a elaboração de um plano de governo discutido e elaborado por um comitê gestor, eleito democraticamente pelos Apicuenses, com representatividade em todas as esferas da sociedade e com o objetivo de dar continuidade no desenvolvimento do município, independentemente do grupo político que for gerir a cidade.

O evento contou com uma palestra do Secretário de Urbanismo e Habitação de São Luís, Diogo Diniz Lima, que analisou a realidade atual brasileira e os novos desafios que os municípios enfrentam. O secretário elogiou a iniciativa de elaboração democrática do PA-12 como um instrumento para aproximar a população das decisões sobre as políticas públicas municipais. Em seguida, aconteceu um debate sobre os principais problemas enfrentados pelo município.

Presente no evento, o deputado Federal e presidente Estadual do PDT/MA, Weverton Rocha saudou a criação do “Planejando Apicum-Açu Pelos Próximos 12 Anos”, ação que, segundo o líder trabalhista, favorece a população a partir de um planejamento para o futuro.

“É Importante que os projetos políticos em nossos municípios estejam interligados com as demandas, ainda mais no contexto atual do nosso país. A população ganha muito com a iniciativa de um planejamento para o futuro”, disse.

Dep. Weverton Rocha também prestigiou o evento coordenado por Sabóia.

Próximos passos

Segundo o pré-candidato Osvaldo Sabóia, as discussões iniciadas no último dia 22 deste mês são apenas o começo de uma série de outras ações que terão prosseguimento com reuniões, na sede e nos povoados de Apicum-Açu, durante o restante de maio até agosto, ficando o mês de setembro reservado para a consolidação e impressão de um documento a ser distribuído para a população  local.

“Para o primeiro evento resolvemos sediar em São Luís para ouvir os nossos filhos de Apicum-Açu que moram na capital e que nunca haviam sido ouvidos. Iremos expandir daqui para frente e chegar nas comunidades da nossa querida Apicum-Açu em várias frentes até o mês de agosto. Em setembro, consolidaremos as propostas num documento impresso que será distribuído à população da cidade. Diante disso, contamos com a participação efetiva dos atuais gestores, ex-gestores, pré-candidatos a prefeito e vereadores e toda a sociedade. A Participação de todos é fundamental”, finalizou.

 

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Faltando apenas 4 meses para as eleições 2016, Wellington do Curso é o nome que mais cresce

Já diz o ditado “pau que dá em Chico, tem que dá em Francisco”. O clichê tem muito a ver com as eleições maranhenses, onde, nada melhor do que o passar dos dias para mostrar que as pessoas não se deixam mais enganar e nem ludibriar pelos chamados políticos “mea boca”.

Os personagens principais das eleições municipais
A cara das eleições municipais 2016

A verdade é uma só, ninguém aguenta mais apanhar. E como o poder do voto está em nossas mãos, somos nós os personagens principais em colocar e tirar representantes que em nada conseguem representar a ou contribuir com a sociedade.

Podemos relembrar que em 2012, o então prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB), que inclusive já foi governador do Maranhão – e até considerado como um bom governador – brincando de ser prefeito, ou por estar cansado dos ludovicenses, ou por achar alguém besta, ou por achar que a famosa “MÁQUINA” resolveria qualquer problema, ou até mesmo por achar que os seus poucos cabelos brancos lhe renderiam mais um mandato, acabou sendo nocauteado por um jovem e ex-aliado, que era deputado federal e ainda um menino na vida política e pública. Castelo perdeu as eleições para Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Como dizem as minhas amigas, Castelo “silas (…)”. João Castelo não apenas foi um prefeito bananeira, como ninguém quer mais nem ouvir falar no HOMEM DO VLT.

No atual cenário temos um prefeito que, ao que parece, se depender da vontade popular, também vai ser um prefeito bananeira. Edivaldo ganhou as eleições, apoiado por Flávio Dino PCdoB), com um tal de discurso da “mudança” e meio mundo de promessas, a incluir, viadutos, 25 creches, escolas em tempo integral, GPS em ônibus, subprefeituras, alunos em sala de aula, valorização de professores e profissionais municipais, entre outros. Quem não lembra do tão falado hospital de Urgência e Emergência Dr Jackson Lago? Construção de novas avenidas e muito mais blá blá blá. No caso das avenidas, realmente, as ruas, bairros e avenidas estão sendo ligadas, mas por intermédio de tantos buracos, juntando todos e resultando em grandes valas.

Por onde passo, ouço que o menino Edivaldo (que como pessoa é um ser maravilhoso), tem sido a decepção política da grande maioria das pessoas. Como no caso de 2012, que nem mesmo a máquina municipal nas mãos de Castelo o reelegeu, pois quando o povo não quer mais, não existe máquina (mesmo ela sendo até estadual), tambor, batidas que levante um desgastado prefeito.

Reprodução: Internet
Reprodução: Internet

Assim como Castelo, Edivaldo Holanda Júnior é capaz de deixar a prefeitura de São Luís sob o codinome de EdiVala. O povo não está perdoando e cansou de ser subestimado.

Uma novidade que está tirando o sono do atual prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior e candidato à reeleição,  é o nome do deputado estadual Wellington do Curso (PP), na pré-disputa. O nome do deputado tem crescido a passos largos nas pesquisas de intenção de voto. A coisa está ficando tão séria que Edivaldo Holanda – pai, colega de parlamento de Wellington,  já está até “de mal” com o desafeto de seu filho.

Wellington como deputado, tem atuado bastante em São Luís, denunciando as precariedades e inoperância da prefeitura, além de apresentar soluções. Wellington tem estado onde Edivaldo não está. Wellington tem ido aonde Edivaldo não vai. Wellington tem defendido causas e profissionais que Edivaldo não defende. Wellington fala cara a cara com quem Edivaldo não fala e nem encara e, segundo o pré-candidato, será assim por toda a sua vida pública e política.

Ai vai vir alguém comentar, dizendo “e por que ele não destina as suas emendas como deputado para a saúde, transporte ou escolas de São Luís”? A resposta não é nem difícil de ser respondida, “simplesmente porque o deputado nunca recebeu nenhuma emenda do governador Flávio Dino (PCdoB)”. Quando isso acontecer, juro que vou ser a 1° a perguntar.

Sem Castelo na disputa, sem Bira na disputa, o páreo fica entre o atual prefeito de teoria e o prefeito na prática. Como o povo de São Luís não se deixa vender por alguns trocados e prefere um mandato de trabalho do que apenas uma conta de luz paga por 1 mês, como compra de voto pela máquina, será quem o povo de São Luís vai preferir ter, de fato e prática, como prefeito?

E Eliziane? Eliziane é uma espécie de Marina Silva maranhense. A estagnada. Melhor nem falar!

 

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Delegado Tinoco pede direito de resposta ao blog Mônica Alves

direito-de-resposta-2

Como o meu blog é um espaço democrático, onde defendo a pluralidade de informações, livre de todo e qualquer tipo de interesse, sendo o meu único intuito informar os cidadãos sobre os acontecimentos que nos rodeiam, não é diferente que eu não dê espaço a quem, de alguma forma, tenha se sentido “tocado” em alguma matéria escrita por mim e queira, com todo direito, prestar alguns esclarecimentos em sua defesa.

O direito de resposta é baseado na da Lei 13.188/15, que regula a devida retificação da pessoa ofendida, previsto no artigo 5º, V, da Constituição Federal (CF), no que tange a “matéria divulgada, publicada ou transmitida por veículo de comunicação social”.

Pois bem, baseado nisso, concedo nesta página um espaço às declarações do delegado Luís Henrique Tinoco Sousa e direito de resposta à matéria veiculada por mim, neste blog, escrita no último domingo (22/05), com o título “Exclusivo: Em vez de prender, delegado manda soltar 4 bandidos pegos com galões de combustível”.

Na matéria, o delegado Tinoco foi citado pela omissão em receber e assinar o boletim de recebimento de 4 elementos apreendidos com galões cheios de combustível, na noite de sexta-feira (20/05). Quatro homens, sendo 2 de maior idade e 2 de menor idade foram levados pelo Sargento Nogueira, da Polícia Militar, ao Plantão da Vila Embratel. Assim contou a matéria.

O delegado plantonista, Tinoco, se defende, afirmando que “no fiel cumprimento do meu dever e atribuições, devo aqui informar a quem restar saber que há um decreto (N.o 31.593, DE 5 DE ABRIL DE 2016), emitido pelo Governo do Estado, onde se redefine as circunscrições dos respectivos plantões, pelo que a Vila Maranhão passou a ser circunscrita ao Plantão da DECOP e não mais ao Plantão da Vila Embratel, conforme reza o citado dispositivo do documento que faço anexo à presente resposta”.

O delegado ainda diz mais: “diante do conhecimento do Boletim de Ocorrência, fiz ciente à guarnição da mudança da área de circunscrição do Plantão da Vila Embratel e informei o plantão para o qual deveriam se deslocar, qual seja, o da DECOP, tendo posteriormente, os referidos, liberado os conduzidos na porta do citado Plantão, eximindo esta Autoridade Policial de qualquer responsabilidade diante do ocorrido, tendo em vista que este apenas cumpriu determinações legais de direcioná-los ao plantão devido”.

Mas, esperai ai!

Se o delegado Tinoco diz que orientou o Sargento Nogueira de que os referidos homens apreendidos nas imediações da Vila Maranhão deveriam ser encaminhados à DECOP (e não foram), continua havendo uma culpa, uma falha no sistema. Agora cabe uma averiguação profunda.

Nogueira afirma que ligou pra o CIOPS e que o Centro Integrado de Segurança mandou liberar os apreendidos por

Agora precisa-se saber de quem é a culpa e quem fala a verdade, porque uma coisa é certa, os elementos não foram encaminhados a delegacia alguma e, sim, voltaram às suas liberdades e às suas ações.

O blog está aberto para mais esclarecimentos e concede espaço, nesta página, ao Sargento Nogueira, CIOPS ou até a própria Secretária de Segurança, para que possa explicar, de fato, o rumo dos acontecimentos.

Uma coisa é certa, alguém fez besteira, pois o sistema de segurança tem a obrigação de falar a mesma língua e, em hipótese alguma, ser falho.

Confira abaixo o direito de resposta

Sr. Editora,

Eu, LUIS HENRIQUE TINOCO SOUSA, sirvo-me do presente para REQUERER junto a Sr.ª Monica Alves, proprietária do blog homônimo que veiculou matéria ofensiva a minha honra e imagem, a publicação de DIREITO DE RESPOSTA assegurado pela Constituição Federal, em seu artigo 5º., inciso V e Lei 13.188/2015, (art.2º e demais), pelo que repondo nos seguintes termos:

“Sr. Editora, A bem da verdade e em defesa de minha imagem e honra, bem como em respeito à população leitora deste veículo de comunicação do qual a senhora é legítima responsável, cumpro o dever de esclarecer e informar devida e corretamente ‘amparado pela Lei 13.188/2015, a qual disciplina o Direito de Resposta, o seguinte fato escrito e assinado pela senhora, Mônica Alves, dia 22 de maio de 2016: “EXCLUSIVO: Em vez de prender, delegado manda soltar 4 bandidos pegos com galões de combustível”

1. Consta na respectiva matéria veiculada no blog que 4 (quarto) indivíduos foram conduzidos ao Plantão da Vila Embratel (16º DP) e que “(…)Durante a apreensão os mesmos foram encontrados com galões cheios de combustível, LOGO (grifo nosso), foram levados para o Plantão Central da Vila Embratel(…)” e “ (…)Sem entender o porquê (e até hoje não se sabe), o delegado, além de se negar em receber os conduzidos, negou, também, em assinar o boletim de recebimento dos mesmos(…)”. Pois bem, passemos a entender o ocorrido:

2. No fiel cumprimento do meu dever e atribuições, devo aqui informar a quem restar saber que há um decreto (N.º 31.593, DE 5 DE ABRIL DE 2016), emitido pelo Governo do Estado, onde se redefine as circunscrições dos respectivos plantões, pelo que a Vila Maranhão passou a ser circunscrita ao Plantão da DECOP e não mais ao Plantão da Vila Embratel, conforme reza o citado dispositivo do documento que faço anexo á presente resposta.

3. Diante do conhecimento do Boletim de Ocorrência, fiz ciente à guarnição da mudança da área de circunscrição do Plantão da Vila Embratel e informei o plantão para o qual deveriam se deslocar, qual seja, o da DECOP, tendo posteriormente, os referidos, liberado os conduzidos na porta do citado Plantão, eximindo esta Autoridade Policial de qualquer responsabilidade diante do ocorrido, tendo em vista que este apenas cumpriu determinações legais de direcioná-los ao plantão devido.

4. Destaco que em nenhum momento deliberei no sentido de soltar os 4(quatro) conduzidos, senão que os mesmos fossem levados ao Plantão da Cidade Operária. Além disso, a liberação dos conduzidos em acolhimento à orientação do CIOPS, tal qual foi (?)informado(?) na matéria, é procedimento estranho, não tendo qualquer respaldo, uma vez que o esperado era a condução dos 4 indivíduos ao plantão da circunscrição correspondente a área do fato para o devido procedimento.

5. Devo ainda ressaltar que faço parte dos quadros da Polícia Civil do Estado do Maranhão há 25 anos, sempre prezando pelo fiel cumprimento da lei que me determina e que rege os meus trabalhos no combate à criminalidade junto a honrosa Polícia Civil do Estado do Maranhão, pela qual tive meu trabalho reconhecido ao alcançar o segundo lugar em produtividade, referente a flagrantes e apreensões no ano de 2015, em clara demonstração hombridade e trabalho sério e determinado para a com a sociedade maranhense.

6. No que toca ao mencionado na matéria “incentivo à corrupção, á mentira, o ‘jeitinho’”, tal afirmação é leviana e em última análise, contraditória por parte de quem veiculou a matéria. Digo porquê! Como pode a senhora responsável pelo blog demonstrar tanta indignação com a autoridade policial que aqui responde pelo simples fato desta ter redirecionado a guarnição para o plantão devido (cumprido determinações legais – organizacionais) e ao mesmo tempo cobrar um efetivo combate á criminalidade?!!

7. Ora, senhora responsável pelo blog, estou apenas sendo organizado e contribuindo para a luta da Polícia Civil do Estado e demais forças de segurança contra o crime Organizado. Sim! Porque assim se combate o crime (organizado), organizandose, seguindo as determinações, cada um desempenhando sua função da melhor forma! Comentado [LG1]:

DIANTE DO EXPOSTO, reitero o pedido de publicação da resposta indexada, conforme a Lei 13.188/2015 para que tenha o destaque, a publicidade, a periodicidade e a dimensão da matéria que a ensejou (art.4º, inciso I), cabendo indicar que a “resposta ou retificação cuja divulgação, publicação ou transmissão não obedeça ao disposto nesta Lei é considerada inexistente (art. 4º, § 3º)”, bem como que “Se o veículo de comunicação social ou quem por ele responda não divulgar, publicar ou transmitir a resposta ou retificação no prazo de 7 (sete) dias, contado do recebimento do respectivo pedido, na forma do art. 3o, restará caracterizado o interesse jurídico para a propositura de ação judicial”.

Faço anexa o decreto (pgs. 5 a 8) referida na resposta e demais documentos que indicam a mudança de circunscrição aludida.

São Luís, 23 de maio de 2016. LUIS HENRIQUE TINOCO SOUSA

ANEXO e ANEXO

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Flávio Dino se rende: Força Nacional chega nesta segunda, 23, ao Maranhão

forcanacional
Reprodução: Internet

A Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) deve chegar ao Maranhão nesta segunda-feira (23), conforme divulgou o G1 na manhã deste domingo (22). A informação foi do delegado-geral de Polícia Civil do Maranhão, Lawrence Melo Pereira.

No fim da manhã, o governador Flávio Dino (PCdoB) confirmou pelas redes sociais o embarque dos homens da Força Nacional em Gama (DF) e agradeceu o apoio do Ministério da Justiça. Ao todo, são 128 agentes. O deslocamento é feito em 20 viaturas, um micro-ônibus e um ônibus.

Após dias de medo e violência, usuários e trabalhadores do sistema de transporte público continuam utilizando os coletivos. Ônibus continuam circulando normalmente, ainda mais agora, depois da ordem do governador em mandar multar empresa que recolher ônibus por causa de ataques. (reveja AQUI)

 

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Governo do Maranhão dá ordem ao PROCON/MA multar empresa que recolher ônibus por causa de ataque de incêdios

IMG_20160522_204709[1]

Mesmo com ônibus sendo incendiados há 4 dias por facções criminosas, em lugares diferentes da capital maranhense, a ordem do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) é uma só: autorização do PROCON/MA – Órgão de Proteção e Defesa do Consumidor na aplicação de medidas sancionatórias contra as empresas que retirarem os seus ônibus de circulação. Diz que a ação visa garantir a circulação normal dos ônibus em São Luís e região metropolitana

A estranha decisão foi a partir da reunião realizada na tarde deste domingo (22), onde esteve presente alguns membros da cúpula do Governo. Ficou decidido que, a partir de hoje mesmo, oficiais da Polícia Militar e do PROCON/MA fiscalizarão a saída dos ônibus nas garagens e empresa. Um belo tipo de coação, acredito!

Eu, sinceramente, acredito que esse não deveria ser o papel do governo, coagir empresário e obrigar ônibus de continuarem circulando, sendo que a garantia de segurança no transporte público e à população não está sendo, de um todo, assegurada. Podem estar até tentando, mas, infelizmente, não estão conseguindo. Enquanto ataques aos ônibus continuarem a acontecer, a vida dos usuários de coletivos, motoristas e cobradores, está em perigo.

O que parece é que Flávio Dino quer controlar o que pode estar em suas mãos – e isso é muito fácil. É muito cômodo dar ordens aos empresários, aplicar-lhes multas, do que dar um basta na criminalidade e na violência sem freio que nos assola. É muito mais fácil dar ordem ao que está ao seu alcance, do que ter ação governamental que possa punir, de fato, com a bandidagem que está solta nas ruas.

Ônibus incendiado na noite deste domingo, no bairro Alto do Turu
Ônibus incendiado na noite deste domingo, no bairro Alto do Turu

Aliás, horas depois da reunião, mais um ônibus foi queimado e, desta vez, no bairro Alto do Turu. A situação fugiu do controle, mostrando que o problema não está em ir pelo lado mais fácil, de ordens e multas – bem coisa de governo ditador – e, sim, pelo lado mais difícil e perigoso, partir para o enfretamento, para ações eficazes, seguras e de punições, fazendo com que bandido se arrependa de cometer crime novamente. Não, infelizmente, o nosso governo e a nossa justiça, ao que parece, não tem capacidade para isso.

Exatamente às 20 horas deste domingo, o secretário de segurança do estado, Jefferson Portela garantiu que “a força do estado não vai permitir o retorno dessas ações violentas”. Como não, secretário? Acabou de acontecer.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Pânico no Vinhais: menores foragidos e helicóptero do GTA sobrevoa o local

Informações dão conta de que 25 menores de idade fugiram da Casa de Detenção, localizada no bairro do Vinhais, próximo à UPA – Unidade de Pronto Atendimento. Helicóptero do GTA está sobrevoando o local.

Segundo informações de moradores do bairro, todos os moradores, em suas residências, estão aterrorizados, fechando portas e janelas, “há até quem esteja gritando só de medo”, conta uma leitora do Blog.

IMG-20160522-WA0036[1]

IMG-20160522-WA0037[1]

 

Com contribuição de informações, imagens e vídeo, a leitora do Blog, Stefanne Guimarães

 

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

EXCLUSIVO: Em vez de prender, delegado manda soltar 4 bandidos pegos com galões de combustível

São Luís vem vivendo dias assombrosos desde a última quinta-feira, 19, quando bandidos, tocando o terror na cidade, atearam fogo em vários ônibus da capital. Só nessa noite, foram queimados 5 coletivos.

onibus33
Um dos ônibus incendiados na noite de quinta-feira

Nessa mesma noite toda a equipe da Secretaria de Segurança do Estado e seu policiamento já tratou de tentar minimizar o terrorismo, tranquilizando a população com o que estão chamando de “segurança ostensiva” nas ruas. Desde então, centenas de policiais estão tomando as ruas, ônibus e becos, da capital e região metropolitana. Até a presença do secretário de segurança Jefferson Portela e do governador Flávio Dino (PCdoB) já foi vista nas ruas, como sinônimo de “está tudo sob controle”.

Seria bom que fosse. Mas, em sua totalidade, não é!

Infelizmente quem detém o poder só mostra o que quer e até onde quer.

Prova disso é que informações chegadas a mim dão conta de que na noite da última sexta-feira, 20, a equipe do Sargento Nogueira, da Polícia Militar, fez a apreensão de 4 elementos – 2 maiores de idade e 2 de menor idade.

Durante a apreensão os mesmos foram encontrados com galões cheios de combustível, logo, foram levados para o Plantão Central da Vila Embratel. Chegando ao Plantão V.E, os homens foram apresentados a um agente de polícia, que, por sua vez, repassou a informação ao Delegado Plantonista – Tinoco. Sem entender o porquê (e até hoje não se sabe), o delegado, além de se negar em receber os conduzidos, negou, também, em assinar o boletim de recebimento dos mesmos.

Diante dessa atitude inesperada, o Sargento Nogueira informou à CIOPS o caso e pediu diretrizes em como proceder. A resposta do CIOPS foi uma só “se o delegado se negou a receber os bandidos, pode soltar”.

Oi? Como assim? Soltar bandido? É isso mesmo?

No momento da apreensão, o secretário Jefferson Portela foi um dos primeiros a ficar sabendo e, na ânsia de mostrar serviço ou até impressionar (quem sabe), saiu ligando para toda a imprensa local, para informar que estaria apresentando os 4 elementos no Plantão da Vila Embratel, aos profissionais. O que o secretário não sabia era que enquanto fazia contato com a imprensa, os “filhinhos de Deus” já estavam era na rua e, quiçá, tocando o terror.

Logo nas primeiras horas deste sábado, 21, Jefferson Portela quis esclarecimentos do Sargento Nogueira (o da apreensão). Depois deste explicar o que, de fato, acontecera, o delegado Tinoco foi chamado e, literalmente, só não foi chamado de santo, durante a conversa como o chefe da segurança do estado. Todas as conversas foram presenciadas pelo Comandante de Policiamento Metropolitano, Coronel Pereira.

Por que, olha só a loucura, como uma cidade que está sendo comandada e aterrorizada por bandidos e está sendo refém de uma violência que segurança nenhuma consegue dar jeito, aí vem uma parte do corpo dessa segurança/policiamento e, simplesmente, age contra a população, soltando bandidos, mesmo estes sendo pegos com material que é um dos responsáveis pela penalização das situações ocorridas?

Tal atitude só demonstra a incapacidade da segurança em se comunicar e falar a mesma língua. O que parece é que há crise interna, discórdia entre policiais e delegados e, mais ainda, com o secretário de segurança, visto que isso fica à mostra nessas situações de fragilidade e incompetência da segurança. A falta de coordenação entre as polícias Militar e Civil é gritante.

Ante a essa falha irremediável, o secretário Jefferson Portela chegou a solicitar ao Sargento Nogueira, a devolução do Boletim de Ocorrência em que o Delegado Tinoco se recusou em assinar o registro feito no Comando. Há informações certas de que Nogueira não fará tal ato, pois não se dará ao desprazer de perder a única prova material do trabalho que realizou. Pelo contrário, já fez um registro junto ao Comando para estar respaldado contra possíveis punições.

Quer dizer, os próprios cabeças da segurança da nossa cidade e do nosso estado incentivam a corrupção, a mentira, o “jeitinho”, o abafamento das coisas. Eles estão mais preocupados em esconder as coisas, manter as aparências, do que, de fato, exercer o papel e a função ao qual foram delegados a fazer e dar como resposta de um trabalho de esforço e dedicação, resultados que satisfaçam e que leve segurança a milhares de maranhenses.

Segundo informações, é de ordem do próprio secretário de segurança Jefferson Portela abafar esse desastroso acontecimento, surreal, eu diria, da soltura de 4 homens apreendidos com galões com combustível em dias que a cidade está sendo incendiada, simplesmente porque o funcionário do governador não quer que este saiba dessa falha irresponsável de sua equipe de segurança.

Convocação da Imprensa

Quanto a convocação da imprensa na noite de sexta feira (20), para a apresentação dos 4 elementos, é bem certo que o secretário tenha dado uma desculpa aos profissionais que até lá se deslocaram.

Quando há excesso de negligência, a única conduta é dar uma desculpa. Até rimou!
Em tempo

Na soltura dos apreendidos, os 2 maiores de idade foram soltos na porta do próprio Plantão da Vila Embratel, enquanto os outros 2 de menor idade, foram conduzidos às suas residências.

P.S – A pergunta que fica é: “Diante disso, a realidade da segurança do Maranhão está sob poder e domínio de quem mesmo”? Maranhão ferrado!⁠⁠⁠⁠

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail

Santa Inês MCMV: Prefeito Ribamar Alves se reúne com representante da Caixa Econômica Federal

aa837d91-6c63-4f39-a6ef-dc044ef8cc1b

Em defesa das 1.000 famílias residentes do Conjunto Residencial Sol Nascente, construído em Santa Inês pela Caixa Econômica Federal, através do programa Minha Casa Minha Vida, o prefeito Ribamar Alves esteve reunido, em São Luís, quarta-feira (18/05), com o superintendente regional CEF, Emílio Carlos Murad, para tratar das obras de recuperação do residencial.

Durante o encontro, o prefeito Ribamar relatou os problemas que assolam o residencial e há muito tempo prejudicam a qualidade de vida dos moradores. O prefeito destacou, ainda, que as construtoras responsáveis pelas obras fizeram um acabamento ruim, onde várias residências estão danificadas por problemas da estrutura. Segundo ele, o sistema de esgoto foi mal feito, com falhas na elaboração, os quais provocam inundações, colocando em risco a saúde de grande parte dos moradores do residencial. Além disso, a pavimentação é de péssima qualidade, apresentando afundamento e crateras no leito das vias, que estão deterioradas.

489548cd-4ee5-4fe1-83d5-14c111b55d28

Na conversa, o gestor ainda lembrou que a Prefeitura de Santa Inês está empenhada nessa luta, inclusive levando sua equipe de engenheiros, juntamente com representantes da Caixa Econômica e das construtoras responsáveis pelas obras do Conjunto e fazendo levantamentos da estrutura do residencial. Durante essas visitas, os representantes das construtoras se comprometeram de fazer um projeto para drenagem e recuperação de toda a infraestrutura do bairro.

“Estamos com uma ação judicial contra os responsáveis pelas obras do Minha Casa Minha Vida de Santa Inês. Mas, antes, queremos esgotar o diálogo administrativo”, afirmou o prefeito

Resultado da reunião

Como resultado da reunião entre o prefeito Ribamar Alves e o superintendente da CEF – Emílio Murad, este se comprometeu em levar os problemas ao engenheiro Antônio Nairton, responsável pelo Programa Minha Casa Minha Vida. Após essa reunião, o representante da Caixa Econômica dará um posicionamento quanto ao trabalho de recuperação do Residencial Sol Nascente.

d87620c4-388b-4acc-892a-ddbbf01027d6
Infraestrutura do MCMV de Santa Inês foi tema de reunião entre Ribamar Alves e o representantes da CEF

“Estamos lutando para que as mil famílias que residem no Sol Nascente tenham dignidade nas suas casas, já que o conjunto veio para minimizar um grave problema, que é o déficit habitacional, mas, no entanto, está causando transtorno para essas famílias pelas dificuldades que estão tendo devido a problemas na estrutura do bairro”, pontuou o prefeito.

Vale lembrar que várias vezes a Prefeitura realizou trabalhos emergenciais visando dirimir a gravidade dos problemas do residencial. Além disso, o Executivo auxilia o projeto social do bairro, através de ações e reuniões permanentes, onde são ouvidas as necessidades dos moradores.

As informações são da ASCOM/SantaInês

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppEmail